CPTM assina contrato para anteprojeto de extensão da Linha 13-Jade

Serviço será executado pelo consórcio Projetista L13 Leste e deve ser concluído no segundo semestre de 2023
Trem da Linha 13-Jade (Jean Carlos)

A CPTM assinou contrato com o consórcio Projetista L13 Leste, que será responsável pelos serviços de engenharia e arquitetura para elaboração de anteprojeto, estudos de viabilidade ambiental, análise mercadológica e econômico-financeira da extensão da Linha 13-Jade sentido leste de Guarulhos.

Agora resta apenas a emissão da ordem de serviço para que o anteprojeto de extensão do ramal após a estação Aeroporto Guarulhos comece a ser executado, com prazo de conclusão de 16 meses, ou seja, no final do segundo semestre de 2023. O custo do anteprojeto é de R$ 2,579 milhões, proposto pelo consórcio formado pelas empresas Egis , Oficina e Addax.

De posse desse estudo, a companhia poderá então decidir como implementá-lo, seu custo aproximado e futuras estações a serem construídas. A princípio, o novo trecho prevê quatro novas estações até Bonsucesso, bem próximo à Rodovia Presidente Dutra. A expansão também deverá incluir um pátio de manutenção ao norte do Aeroporto de Guarulhos.

Por falar no aeroporto, as novas estações deverão contonar o sítio aeroportuário, num evidente desperdício de oportunidade de ampliar o atendimento aos passageiros em caso de expansão dos terminais de Guarulhos, algo que está previsto no plano diretor da concessão.

Projetada para atender a uma demanda diária de 120 mil passageiros, a Linha 13-Jade está longe dessa meta atualmente. Os trens deveriam circular a cada oito minutos, mas desde abril o intervalo mínimo caiu de 20 para 15 minutos. Em abril, último dado disponível, passaram pelo ramal 344 mil usuários, o que significa uma média diária de 11,5 mil pessoas atendidas.

No início da gestão atual, uma previsão vista numa apresentação apontava o ano de 2024 para a conclusão da extensão até Bonsucesso, com 9,5 km a mais de vias a expectativa de atender a 233 mil passageiros diariamente.

Apresentação de 2019 citava investimento de R$ 1,66 bilhão para levar a Linha 13 até Bonsucesso

 

Total
1
Shares
7 comments
  1. Está extensão deveria levar em consideração a possível construção da terceira pista do aeroporto. Caso essa extensão seja feita de acordo com o projeto acima, tornará inviável uma necessária extensão do aeroporto no futuro.

    1. Terceira pista???
      De um lado das duas pistas tem a base aérea…
      Do outro lado tem a linha de transmissão de alta tensão…
      Vai ser construído mais um terminal, ao lado do terminal três só para VIP…
      Vai iniciar a construção do people mover…
      Que venha a extensão da linha 13 até o bairro de bonsucesso!!!

  2. Fico pensando, extensão d linha 13 , haverá um acréscimo significativo de usuários, ai a linha 13 se junta com a 12, como fica o intervalo de 2 linhas usando as mesmas vias.

    1. Juntando as linhas seria necessário a melhora da sinalização pra suportar 3min de intervalo, assim cada linha teria 6min de intervalo, seria o ideal, mas na prática pode ser um intervalo irregular de 3-9min uma vez que seria necessário movimentação de AMV

  3. Focar na expansão e na sua a extensão desta linha 13-Jade no sentido Guarulhos ainda nesta década deveria ser prioritário com quatro estações indicadas, Jardim dos Eucaliptos, São João, Presidente Dutra e terminal rodoviário em Bonsucesso que iria atrair usuários de outros municípios limítrofes como Arujá, Santa Isabel, Itaquaquecetuba entre outros periféricos e levarão o ramal para uma região totalmente carente de transporte sobre trilhos no entorno do aeroporto, onde iria aguardar a chegada da Linha 2-Verde ainda nesta década (2029) em que seria construído um pátio e um terminal de manutenção de trens, afinal este é o município do Brasil com 1,4 milhões de habitantes e não tem Trem Metropolitano e nem Metrô, e esta linha 13-Jade está com uma demanda ociosa de 12 mil contra uma capacidade de mais de 140 mil, ou seja menor que 8% ao invés de se lançar novas linhas como esta Linha 19-Celeste que só seriam viáveis e exequíveis na prática após o final da década de trinta!

    Uma vez que não haverá aumento expressivo de demanda e vantagens reais, e não será a simples troca dos atuais ônibus circulares na GRU Airport por VLT, Aero Móvel, Monotrilho ou People Mover ou quaisquer outros que irá aumentar esta baixíssima demanda desta linha 13-Jade!

    Ricardo, não entendi direito o parágrafo final, “atualmente possui uma média diária de 11,5 mil pessoas atendidas e uma uma previsão vista numa apresentação apontava o ano de 2024 para a conclusão da extensão até Bonsucesso, com 9,5 km a mais de vias a expectativa de atender a 233 mil passageiros diariamente”, ou seja 20 vezes maior? É isto mesmo?

  4. O projeto dessa extensão é barato. Porém é da CPTM. Para o governo do estado, o trem metropolitano é de segunda classe (o metrô é primeira classe) e deve se contentar com migalhas. Se esse projeto fosse do metrô, seria facilmente financiado e executado pelo governo do estado.

    Desde a estadualização do metrô em 1979 que o governo do estado trata o metrô com a maioria dos recursos dos transportes metropolitanos (uns 75% em média) enquanto o trem metropolitano fica com 20% e os 5% restantes ficam para a EMTU. E é por isso que os projeto da CPTM ficam no papel.

    O certo seria unificar CPTM e Metrô em uma única empresa (algo que os “metroviários” não querem de jeito nenhum, pois perderiam seus privilégios).

  5. Já está havendo interesse de levar a linha 13 até o Arujá no Terminal Barreto uma vez que os ônibus não conseguem dar conta da alta demanda e esse munícipio não é atendida por trens metropolitanos.

Comments are closed.

Previous Post

Após aditivo, bilheterias no Metrô deverão funcionar pelo menos até 2023

Next Post

CPTM vai restaurar poltronas de carros de passageiros para o Expresso Turistico

Related Posts