Destaques Linha 15 Metrô de São Paulo

Doria oficializa reinício das obras de quatro estações da Linha 15-Prata

Trabalhos devem durar até dezembro, quando está prevista a inauguração, mas governo não mencionou se Jardim Planalto, a mais adiantada das estações, poderá ser entregue antes
Plataforma da estação São Mateus (GESP)

Poucos dias depois de assinar contrato e a ordem de serviço, o governador João Doria (PSDB) anunciou nesta segunda-feira (22) a retomada das obras de quatro estações da Linha 15-Prata do Metrô. As paradas Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus haviam sido abandonadas pela empresa Azevedo & Travassos em meados do ano passado a poucas semanas de serem concluídas.

Agora, com uma nova empreiteira à frente, a STER Engenharia, o governo do estado promete entregar as quatro estações até dezembro e iniciar a operação em janeiro de 2020. No entanto, não foi explicado se a estação Jardim Planalto, a mais adiantada das quatro, poderá ser entregue antes. O prazo de conclusão, aliás, é bem dilatado em comparação ao que se calculava antes da desistência da empresa anterior – estimava-se que os trabalhos levariam menos de três meses na época.

Com o acréscimo das novas estações, a Linha 15-Prata de monotrilho terá então 13 km e deverá transportar nos dias úteis cerca de 350 mil passageiros. Atualmente, com seis estações, o ramal movimentou em março 34 mil passageiros em dias úteis, ou seja, menos de 10% da demanda esperada.

Funcionários instalam as portas de plataforma da Linha 15 (GESP)

Concedida ao consórcio ViaMobilidade – Linha 15 em janeiro, a linha Prata será repassada para a iniciativa privada nos próximos meses que fará a operação e a manutenção por um período de 20 anos.

O governo também prometeu iniciar as obras da estação Jardim Colonial, a 11ª da linha, nas próximas semanas. Nesse caso a construtora Somague será responsável pela obra que deve ser entregue em 2021.

Zero crescimento da extensão de trilhos em 2019?

Doria pareceu ter sido precavido ao prometer as novas estações apenas em dezembro. Mesmo com o tempo necessário para a mobilização das obras, os trabalhos do trecho até São Mateus estão bem adiantados e será natural que as entregas comecem ainda neste ano. Caso isso ocorra, há chance de a marca simbólica de 100 km de metrô seja atingida em breve.

Trabalhos nas vias dos trens (GESP)

Mas se o governador não conseguir entregar nenhuma outra estação em 2019 será a primeira vez desde 2016 que a extensão de trilhos não é ampliada após dois anos de grande crescimento. Em 2020, porém, Doria terá praticamente garantidas as inaugurações das estações Vila Sônia (Linha 4), Varginha e Mendes-Natal (Linha 9) além das quatro paradas da Linha 15.

Após isso, restará ao atual governador apenas Jardim Colonial com um prazo conhecido. Até lá, espera-se que a gestão tenha destravado as obras da Linha 17 (parcialmente paralisada), Linha 6, Linha 18 e extensão da Linha 2.

Estação São Mateus: previsão de entrega em dezembro (GESP)

 

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

2 Comentários

Click here to post a comment

Airway