Estação João Dias deve ser aberta no final do mês

Nova parada da Linha 9-Esmeralda da CPTM deverá funcionar em operação assistida, mas integrada ao carrossel de trens, ao contrário de Mendes-Vila Natal
Estação João Dias: entrega no final do mês (iTechdrones)

Se tudo der certo, João Dias, a segunda nova estação da Linha 9-Esmeralda da CPTM deverá ser inaugurada por volta dos últimos dias deste mês. A parada está sendo finalizada pela construtora Telar, contratada pela Brookfield para implantar um novo ponto de entrada no ramal à beira da Marginal Pinheiros.

Ao mesmo tempo, a CPTM também está finalizando a inserção da nova estação no painel sinótico do CCO (Centro de Controle Operacional), a fim de que os trens possam realizar a parada no local dentro da operação normal.

Segundo Marcelo Machado, diretor de engenharia da CPTM, João Dias estará em condições operacionais na segunda quinzena de outubro. A afirmação foi feita numa apresentação durante a Semana de Tecnologia Metroferoviária no mês passado. Dias depois, o secretário Alexandre Baldy (Transportes Metropolitanos) confirmou que a nova parada atrasaria – a previsão era de abertura em setembro.

Vídeo realizado pelo canal iTechdrones na semana passada mostrou as obras se encaminhando para sua conclusão. O acesso da estação ainda apresentava algumas partes incompletas como vidros da parte posterior.

Dentro do prédio havia bastante movimento e imagens postadas pelo governo revelaram a instalação dos bloqueios e outros equipamentos necessários para a operação.

Operação assistida de verdade

A abertura de João Dias será significativamente diferente da inauguração da estação Mendes-Vila Natal em agosto. Isso porque a parada bancada pela iniciativa privada está num trecho operacional da Linha 9 e só pode funcionar integrada ao chamado ‘carrossel’ de trens.

Ou seja, para que as composições possam realizar a parada na nova estação será preciso integrar João Dias ao sistema de sinalização, uma situação semelhante a que ocorreu em algumas estações da Linha 4-Amarela.

Por conta disso, não será possível implantar uma “operação assistida” precária, como ocorreu no extremo sul de São Paulo. Aberta há dois meses, Mendes-Vila Natal tem atraído poucos usuários até aqui por conta do funcionamento incompleto do trecho.

Os trens têm partido a cada 20 minutos e percorrem as vias em velocidades baixíssimas, um sintoma da falta de sinalização adequada. Por estar na ponta do ramal, a estação pode funcionar separada do trecho original mesmo ainda em obras.

A estação João Dias foi bancada em grande parte pela iniciativa privada como uma doação. Foram investidos cerca de R$ 60 milhões no projeto, além de R$ 21 milhões por parte da CPTM para adequar as vias e sistemas para incluí-la. A obra deve ser concluída em apenas 22 meses.

Total
27
Shares
5 comments
  1. Olá, em relação ao vencedor da licitação na construção das estações Boa Esperança, Jacu Pêssego e o Pátio na Racheb Chioffi tem alguma notícia?

  2. Isso nunca foi e nunca será uma “doação”. É o mínimo que deveriam fazer depois de conseguir construir essas duas torres no meio do nada.

Comments are closed.

Previous Post

CPTM comprará nova composição para a via permanente

Next Post

Governo Doria quer pagar R$ 43,7 milhões pela quebra do contrato da Linha 18-Bronze

Related Posts