Governo Doria prevê entregar Linha 19-Celeste em duas etapas, entre 2028 e 2029

Avatar
Segundo relatório, trecho entre o Pari e o Jardim Julieta seria prioritário e entregue em 2028. No ano seguinte, ramal chegaria a Guarulhos e ao centro de São Paulo
Os trens da Linha 19-Celeste serão semelhantes aos usados na Linha 4-Amarela (GESP)

O relatório do governo Doria que detalha as ações da Secretaria dos Transportes Metropolitanos, publicado nesta sexta-feira no Diário Oficial, traz uma informação inédita a respeito do projeto da Linha 19-Celeste, ramal metroviário que promete conectar Guarulhos ao centro da capital paulista em sua primeira fase.

Segundo os estudos do Metrô, a nova linha tem previsão de inauguração em duas fases entre 2028 e 2029. Na primeira etapa, seria entregue um trecho central entre as estações Pari e Jardim Julieta, dentro de oito anos. No ano seguinte, seria a vez de estender o ramal até Anhangabaú numa ponta e Bosque Maia na outra.

O texto, no entanto, não explica a razão dessa divisão, mas supõe-se que envolva as dificuldades em implantar as estações no centro de São Paulo e dentro do município de Guarulhos – Jardim Julieta será a última estação dentro da capital paulista e vizinha do pátio de manutenção, a ser construído próximo a rodovia Fernão Dias.

Um indício disso está no trecho em que o Metrô cita a necessidade de licenças prévias municipais: “Protocolização do pedido da Licença Prévia depende de emissão de certidões municipais de São Paulo – obtida em junho/2020 e de Guarulhos – pendente”, segundo o documento.

De acordo com o Metrô, a extensão operacional da fase 1 da Linha 19 será de 15,8 km, ou seja, quase 2 km inferior à extensão total do ramal, de 17,6 km. A demanda estimada do ramal em 2029 é de 580.470 usuários por dia.

A linha vermelha mostra o trecho com previsão de entrega em 2028 (CMSP)

Licitação de projeto básico questionada

A Linha 19 está na fase de projeto e prospecção de campo desde o ano passado. Mas o Sinaenco, o sindicato das empresas de projetos e arquitetura, conseguiu barrar a licitação do projeto básico no ano passado ao alegar que o edital deveria considerar menor preço e nota técnica, no que foi resguardada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Após mudar o edital e relançá-lo em dezembro, o Metrô pretende receber os envelopes com as propostas no dia 3 de março.

Total
14
Shares
8 comments
  1. Vamos supor que até 2022 Doria consiga viabilizar uma PPP para a linha para que as obras se iniciem em 2023.
    O prazo de entrega seria realístico? Até 2022 os projetos básicos e executivos já estariam prontos?
    E se o Doria não conseguir viabilizar a linha até 2022, quem garante que o próximo governo o faria?

    1. Tem alguém ai que acredita? Ele nem sera governador . Moro perto da Penha linha 2 Verde e, um ano depois, não tem um prego batido ainda. Todas as estações do ramal estão a passos de tartaruga. Sendo que a Promessa seria entregar em 2026. Fora que a extensao até Guarulhos foi descartada para esta década.

  2. Essas noticias do governo do estado, parecem noticias de loja exotérica. Prevê, prevê, prevê, prevê… Propagandas política mascarada de notícias. O PSDB vem fazendo isso desde sempre.

    1. Eu diria que a entrega está mais para 2048 e 2049. Eles nunca cumprem prazo nenhum mesmo. Está aí a linha ouro que devia ter sido entregue em 2014.

  3. Essa linha ao ver já deveria ter a 1° fase até a estação Brigadeiro se conectando com a linha 6 na estação Bela Vista e não até ao Anhangabaú da linha 3, agora seccionando assim é difícil de imaginar ela indo até a região da Vila Olímpia, ou até Moema como antigos mapas, qualquer que seja o trajeto em direção a região sul irá demorar muitos anos ainda.

  4. Engraçado, para fazer a linha 20 rosa no ABC, o grupo britânico Ascendal pediu ajuda do governo porque a linha vai ser deficitária (previsão de 500 mil passageiros por dia). Porque essa linha de Guarulhos (não estou dizendo que Guarulhos não precisa) com previsão de 580 mil passageiros não é deficitária ??

  5. A linha 19 deveria sair de Campo Belo, pois os trens que irão operar nesta linha podem utilizar o pátio Guido Calou. Isto economizará tempo e dinheiro para o Estado de São Paulo.

Comments are closed.

Previous Post

Linha 16-Violeta do Metrô terá 21,8 km e demanda de 630 mil passageiros/dia

Next Post

Metrô mostra estação Vila Sônia ainda em obras em janeiro

Related Posts