Greve é cancelada em SP, e Metrô opera normalmente nesta quarta, dia 25

Metroviários aprovaram nova proposta da companhia que prevê reajuste de 12,26% nos salários, mas afirmam que ainda há “injustiça salarial”
Estação da Linha 2-Verde: mais comércio e serviços (CMSP)

A greve que poderia ter ocorrido nesta quarta-feira (25) no Metrô de São Paulo foi cancelada pela categoria, e o serviço da empresa funciona normalmente. Com isso, as quatro linhas operadas pelo Metrô – Linha 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata – não sofrem alterações.

Em uma assembleia realizada na noite de terça (24), os trabalhadores aprovaram uma nova proposta da companhia, o que evitou a paralisação. De acordo com o Sindicato dos Metroviários, o reajuste para salários e Vale Refeição/Vale Alimentação será de 12,26%.

“A proposta do Metrô não resolve o problema da injustiça salarial, mas representa um avanço rumo à equiparação”, disse o sindicato, em nota. A reivindicação inicial era de aumento de 20%.

O acordo também prevê o pagamento de dois “steps”, mecanismo que prega a isonomia entre funcionários em início de carreira e que já atingiram o teto da função. O de 2020 será efetivado em 31 de agosto de 22, enquanto o de 2021 é para 31 de janeiro de 23, sem pagamento retroativo.

“É preciso lembrar que a empresa, no início das negociações, disse que não discutiria as cláusulas sociais e que não haveria proposta para a questão dos ‘steps'”, disse o Sindicado dos Metroviários

A categoria se reuniu após a empresa apresentar a nova proposta em audiência de conciliação do Tribunal Regional do Trabalho. Na assembleia, os trabalhadores votaram por 1.398 votos a favor (65,81%), 692 votos contrários (32,58%) e com 34 abstenções (1,60%).

 

Total
54
Shares
7 comments
  1. Qual é o salário médio de um metroviário? Tenho a impressão que todo ano eles ameaçam entrar em greve pra aumento da salário. E não tem problema nenhum nisso, mas acho estranho ser a única categoria a ter reajustes altos quase que anualmente e o salário mínimo se manter estagnado.

    1. O Salário mínimo sobe todo ano. Ano passado o mínimo era de 1.100, esse ano está em 1.212….

      ainda que seja pouco o aumento, dizer que não teve aumento algum é ter memória curta.

  2. A única categoria que sabe reivindicar os seus direitos; o brasileiro deveria aprender com os metroviários, quem sabe assim o povo seria menos capacho dos patrões que exploram, e pagam mixaria.

    1. Esse discurso funciona até o patrão arrumar algum pretexto pra demitir os grevistas, já que não existe estabilidade fora das instituições públicas
      Por isso que não se vê outras categorias fazendo greves

    2. Patrão algum é obrigado a ficar com funcionário. Em empresa privada no mundo inteiro, fez greve = rua ou então fica marcado e não renova contrato.

      Vai fazer greve em empresa privada para ver o que te acontece!

      em período onde a oferta de trabalhadores desempregados é gigantesca perto das vagas de emprego, não da para ficar fazendo protesto por maior salario que simplesmente vc será dispensado e colocarão outro em seu lugar.

      Em empresa privada é assim que funciona. A unica coisa que as empresas são obrigadas é pagar os direitos trabalhistas e só. Não é obrigada a ficar com funcionário que não quer trabalhar.

      Mas aceitou o salario e as condições qdo assinou o contrário.

      1. Depois que se assina o contrato as coisas mudam, a empresa sempre explora o funcionário. Quem trabalha sabe!

        Se quiserem demitir e treinar uma empresa inteira, que treinem; e o funcionário que for demitido por um direito constitucional ainda ganha os seus direitos na justiça.

        O funcionário sempre é tratado como um número em qualquer empresa, por isso enquanto estiver empregado deve cobrar SIM por aumento de salário. No dia que for mandado embora pelo menos conseguiu seu dinheiro para pagar o básico.

        Ps: A greve de ônibus em SP não teve nenhum demitido.

      2. Existe uma empresa que assumiu duas linhas ferroviárias recentemente, que nem os direitos trabalhistas está pagando para os funcionários, depois que os funcionários fazem greve, vem com essa conversa fiada que iniciativa privada é isso ou aquilo… tem que encher de processos nessas empresas com acionistas exploradores de mão de obra.

Comments are closed.

Previous Post

Novo túnel entre as estações Paulista e Consolação atrasa mais uma vez

Next Post

Fim do aperto no Expresso Aeroporto: veja como ficará a plataforma do serviço na estação Luz

Related Posts