Como relatado pelo site recentemente, as obras da Linha 2-Verde ainda não apresentam o ritmo esperado. Além da esperada mobilização inicial ser às vezes demorada, afetam a obra alguns gargalos burocráticos e financeiros que impedem que os trabalhos avancem rapidamente. Por enquanto, o que se vê são canteiros ainda em montagem, algumas sondagens e poucos funcionários em serviço.

É justamente esse cenário que mostram dois vídeos do canal iTechdrones, parceiro do site,  que realizou mais uma incursão em novas frentes de trabalho do Metrô de São Paulo nesta semana. Desta vez o drone sobrevoou duas futuras estações da extensão, Anália Franco e Vila Formosa.

Em ambas é possível ver estruturas de madeira que abrigarão escritórios e áreas de apoio aos funcionários, além de equipamentos e algumas escavadeiras. No entanto, até o momento são apenas preparativos para o início de fato das obras de escavação. Em Anália Franco, parte do lote de 3, de responsabilidade da Mendes Júnior e PowerChina, existe o que parece ser uma estrutura de grua desmontada no local.

A futura estação será vizinha do shopping Anália Franco, um dos mais visitados da região, e certamente deve valorizar o metro quadrado do entorno, já mais elevado que outros bairros vizinhos. Além disso, Anália Franco terá uma função estratégica ao também receber outro ramal do Metrô, a Linha 16-Violeta, que fará a ligação entre Aricanduva e os Jardins.

Por isso, o consórcio terá a incumbência de prever as plataformas da linha, que ficarão abaixo da Linha 2-Verde, num esquema semelhante ao visto na estação Chácara Klabin. Por enquanto, os vários terrenos estão desconectados, mas certamente o Metrô interditará essas ruas para facilitar a implantação, como ocorreu em Vila Formosa.

Marcação do poço

Por falar na estação, a primeira a ter o canteiro montado, a estação já exibe algumas marcações no terreno em formato de círculo do que parece ser o poço central de escavação, com 44 metros de diâmetro. Como mostrado aqui, Vila Formosa, a cargo das construtoras Galvão EngenhariaSA Paulista e Sacyr, terá 43 metros de profundidade e cinco pisos a partir da superfície. Além de um segundo acesso, a estação terá também um terminal de ônibus.

Perto de completar 10 meses desde o recebimento da ordem de serviço, as estações têm previsão de entrega em 2025, como parte do primeiro trecho da extensão, que inclui também as estações Orfanato e Santa Clara. Mas para isso o Metrô precisará recuperar tempo perdido já que em 2020 o investimento no projeto tem sido bem inferior ao previsto.

A companhia havia destinado R$ 346,6 milhões para a expansão da Linha 2-Verde este ano, mas já reduziu esse orçamento para apenas R$ 272,3 milhões. Mesmo assim, somente R$ 60 milhões haviam sido empregados na obra até setembro ou 22% da previsão revisada. Espera-se que esse cenário mude logo para que os canteiros não sejam apenas imensos vazios.

Terrenos da estação e o shopping Anália Franco (iTechdrones)