Linha 11-Coral depende de reforma na estação da Luz para ter intervalos mais baixos

Segundo presidente da CPTM, mesmo que houvesse condições técnicas dos trens partirem a cada 3 minutos, plataforma da centenária estação seria impeditivo por conta da baixa vazão de passageiros
Estação da Luz (Jean Carlos)

A CPTM tem investido há tempos em melhorias na sua infraestrutura para permitir intervalos mais baixos entre os trens. Os esforços envolvem o reforço de fornecimento de energia a mudanças no sistema de sinalização além, é claro, de novas composições, mais potentes e capazes. Mas o desafio envolve fatores bastante curiosos e inesperados.

Um deles foi exposto pelo presidente da companhia, Pedro Moro, em entrevista à Revista Ferroviária. Ao ser questionado sobre as diferenças entre o Metrô e a CPTM, o executivo, que está no cargo desde o início de 2019, citou o exemplo da Linha 11-Coral, a mais movimentada da empresa.

“A Linha 11-Coral, que liga a estação da Luz até o Alto Tietê, em Mogi das Cruzes, é a linha mais carregada da CPTM e opera hoje com 4 minutos no horário de pico. Cerca de 70% da demanda que vêm no horário de pico pela manhã tem como destino a estação da Luz,” explicou Moro.

A solução deverá vir com as reformas estruturais que estão sendo realizadas e que permitirão que o intervalo caia para 3 minutos, um tempo bastante baixo para os padrões da companhia. Mesmo assim, o presidente da CPTM explicou que a operação nesse patamar só será possível com mudanças nas plataformas da centenária estação da Luz.

Intervalo entre trens na Linha 11 deve cair de 4 para 3 minutos no futuro (Jean Carlos)

“A gente não consegue reduzir o intervalo, hoje, porque quando o trem chega na plataforma da Luz, ele precisa ficar parado esperando as pessoas saírem da plataforma central, para não correr risco de acidentes”, revelou. “Então, hoje, se eu tivesse opção de colocar trens a cada 3 minutos eu não conseguiria, porque eu não consigo tirar as pessoas da estação da Luz em tempo suficiente para chegar outro trem”, disse Moro.

Por essa razão, a companhia está construindo uma nova saída na plataforma central de Luz, que permitirá que a vazão de passageiros seja mais alta e assim crie condições para que mais viagens sejam realizadas.

Vale lembrar que a Linha 11-Coral deverá ser estendida até a estação Palmeiras-Barra Funda em 2024, o que deve reduzir parcialmente o número de usuários que descerão em Luz vindos da Zona Leste. Outra futura mudança no fluxo de passageiros ocorrerá por volta de 2026 quando a Linha 2-Verde chegar até a estação Penha, onde haverá uma nova parada da Linha 11.

Total
8
Shares
9 comments
  1. Os gargalos de operação não só estão presente na Linha 11-Coral,e sim em todas linhas que são ou eram da cptm. L7,L8,L9,L10,L11 E L12

    >PROBLEMAS COM TRENS DE CARGAS
    >AMVs SUPER ANTIGOS
    >SISTEMA DE ENERGIA E SINALIZAÇÃO PRECÁRIOS
    >ESTAÇÕES SUPER MAL FEITAS ,QUE NAO AGUENTAM A DEMANDA

    Enquanto a Cptm não começar a investir em estações bem feitas ,como a De Francisco Morato/Mendes-Vila Natal/Varginha ,os gargalos irão continuar

  2. Causa estranheza as declarações do sr. Pedro Moro alegar que levar a Linha 11-Coral até a Luz causa congestionamento, no entanto quer levar a Linha 13-Jade usando a mesma linha, eis que novamente o planejamento técnico foi desprezado para serem tomadas medidas adaptadas sem fundamentos plausíveis, visto que a Linha 13 não previa em seu projeto original seguir até a Barra Funda. Embora seja uma alternativa viável até o Brás diante dos altos intervalos da Linha 12-Safira, levar o ramal até Barra Funda significaria simplesmente contrariar as leis da Física com a impossibilidade de se disputar espaço com a saturada Linha 11-Coral.

    Com a “reunificação” do Serviço Integrador-710, resultado da união das linhas 7-Rubi com 5.968.244, e 10-Turquesa com 5.481325 somou 11.449.569, e ultrapassou em quantidade em 21% a linha 11-Coral com 9.461.724, estima-se que cerca de 165 mil passageiros foram beneficiados diariamente com o fim das desconfortáveis transferências entre trens nas Estações Luz e Brás, aproximadamente 30% do total transportado nas duas linhas. Além disso, de acordo com estudos preliminares, os passageiros economizam oito minutos não realizando as transferências nas Linhas 7 e 10, podendo descer e distribuir em locais mais convenientes evitando tumultos, além da facilidade de se utilizar um número menor de baldeações.

    A vocação do Serviço-710 está na sua capacidade de propiciar plena integração nas estações chave da CPTM: Tamanduateí, Brás, Luz e Barra Funda.

    Podemos afirmar que o Serviço-710 é uma consolidação do projeto “Integração Centro” que teve suas origens no início do novo milênio.

    O Serviço-710 é o único que reúne a possibilidade de plena integração em estações chave da CPTM sem prejudicar e interferir nos serviços e linhas existentes. A economia de tempo para a operação, com a redução no tempo de manobra e retorno, e a economia de tempo para o passageiro, que não precisará mais realizar baldeações desnecessárias, se mostra formidável.

    É um grande equívoco e retrocesso voltar a se utilizar as Estações do Brás e Luz como Terminal como era no passado recente.

    1. O grande problema do Serviço 710 é que ele não é um Serviço. Por anos, usei a Linha 7 na Luz e, posteriormente, no Brás. Os trens partiam cheios, mas de certa forma, confortáveis. Depois da unificação das linhas, ficou horrível. Os trens já chegam cheios e saem mais ainda. Não acho de todo ruim, mas não se poderia extinguir a “linhas originais”, com os trens partindo do Brás.

      Quanto ao projeto Integração Centro, o mais factível e lógico para ele é a extensão da Linha 11 – Coral até Palmeiras – Barra Funda, integrando, de fato, as linhas da CPTM com o Metrô, seja na Barra Funda, Luz, Brás ou Tatuapé.

      1. “Os trens já chegam cheios e saem mais ainda….” Ué….. se os trens já chegam cheios e as pessoas continuam nele, é porque de fato MUITAS pessoas foram beneficiadas ao não precisar fazer transferência no Brás. Utilizo o serviço de segunda a sexta, vou de São Caetano até a Barra Funda e acho perfeito o serviço 710. Duvido que exista alguém em sã consciência, que utilize de fato o serviço e que o desaprove.

        1. Grande benefício ir sem o mínimo de conforto. Sou super a favor do Serviço mas desde que seja um Serviço, não a linha regular.

      2. Primeiramente o sr. Pedro Moro cometeu um equívoco ao informar que a linha 11-Coral é a de maior demanda da CPTM, não é, pois foi ultrapassado em 21% pelo Serviço Integrador-710!
        Da forma de como está sendo planejada esta concessão para se ter o TIC Trem InterCidades para Campinas é fundamental que seja mantido o Serviço Integrador-710 que é independente, pois podendo paralisar um trecho não bloqueia o outro, a reunificação das atuais linhas 7-Rubi, e 10-Turquesa que ultrapassou em 21% a linha 11-Coral era a de maior demanda da CPTM, e ao contrário que acontece com as Linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade que são concorrentes uma ocorrência em uma prejudica as outras deverá ser prioritária antes de se fazer esta concessão, uma vez que comprovadamente trens Metropolitanos deveriam prevalecer, pois beneficiam um número expressivamente maior que quaisquer Trens Inter Cidades que venham a ser instalados.
        O trecho entre as estações *Pirelli e *Lapa é o que possui a maior capacidade de se eliminar e redistribuir as múltiplas baldeações desnecessárias e desconfortáveis em estações de passagem do Metrô / CPTM, além de possuir uma linha ociosa disponível subutilizada entre Capuava e Brás, diminuindo o tempo de viagem, e de se prestarem a ser uma das estações de trens de passageiros InterCidades TIC, as estações da Luz e Brás não podem servir de terminal como foi no passado, o chamado de Serviço Integrador -710 é um sucesso e a consolidação do projeto “Integração Centro” do que quaisquer outras linhas, em nome da logística e do conforto dos usuários, e aumentar a verdadeira integração com o conceito de alta funcionalidade de todas as linhas do Metrô e CPTM sem uma única exceção conforme demonstrarei;
        *Pirelli _ Linha 14-Onix (projeto)
        *Matarazzo _ Linha 18-Bronze (projeto)
        *Tamanduateí _ Linha 2-Verde.
        *Ipiranga _ Linha 5-Lilás e Linha 15-Prata (projeto)
        *Brás _ Linha 3-Vermelha, Linha 11-Coral, Linha 12-Safira e Linha 13-Jade.
        *Luz _Linha 1- Azul e Linha 4-Amarela.
        *Barra Funda _ Linha 8- Diamante e Linha 11-Coral.
        *Água Branca _ Linha 6-Laranja (projeto)
        *Lapa _ Linha 8-Diamante e Linha 9-Esmeralda (projeto)
        *Ainda neste trecho entre as propostas pontuais estão a construção das Estações Pirelli, Pari, Parque da Mooca, revitalização da Júlio Prestes, Bom Retiro, e inclusive da futura grande Estação integradora Metrô CPTM da Linha 6-Laranja na Água Branca que deveria ser priorizada e antecipada sua construção, e unificação das estações da Lapa.

  3. É fato que a tal “Linha integradora 710″do Leoni prejudicou gravemente as Linhas 7 e 11.

    Se o próprio presidente da CPTM admite prejuízos na estação da Luz, é sinal de que essa “fusão” das Linhas 7 e 10 foi meramente eleitoreira, dado que a gestão Dória/Garcia não tinha nenhum plano de investimentos para a CPTM. Tudo o que está saindo para a CPTM são apanhados de projetos antigos nunca concluídos e, pior, com sérias restrições de orçamento. As “reformas” em estações da Linha 10 e a tal fusão são migalhas oferecidas ao ABC em troca do cancelamento da Linha 18. A gestão Dória/Garcia se pudesse, concedia tudo a qualquer preço, pois para essa gestão o trem é algo desprezível. Nessa gestão o Metrô ficou com a prioridade de investimentos.

    Uma fusão às pressas e não desejada por 79% dos passageiros das duas linhas (como a própria CPTM constatou em pesquisa) não podia dar certo.

    1. Ivo, concordo com você quando diz que para os governantes a prioridade de investimento é o Metrô, em detrimento a CPTM, e que deveria haver uma unificação técnica das suas administrações, porém discordo que prejudicou as Linhas 7 e 11.

      Com relação a antiga Linha-7 A maioria de quem conversei ficou muito satisfeita e considerou um sucesso, pois eliminou-se no mínimo uma baldeação além do ganho de tempo.

      Com relação a Linha-11 Os passageiros possuem atualmente a opção de chegar a Barra Funda utilizando a Linha 3-Vermelha, e com a futura interconexão e chegada da Linha 2-Verde os mesmos poderão acessar as Linhas 5-Lilás, 15-Prata além dos serviços expresso até a Luz ou a “Linha integradora 710″ em Tamanduateí.

      A Linha 13-Jade para chegar a Barra Funda, tem que interpenetrar em “Y” na 12-Safira e em seguida novamente em “Y” na saturada 11-Coral que são concorrentes o que as tornam inconvenientes, uma ocorrência ou pane em uma bloqueia as outras, deverá ser prioritária antes de se fazer esta alteração, uma vez que comprovadamente trens Metropolitanos deveriam prevalecer em relação ao TIC, pois a expansão desta Linha 13-Jade deveria ser no sentido de Guarulhos e não Barra Funda.

      No meu comentário passado fiz questão de listar todas as estações da “Linha integradora 710″ que é a ÚNICA que possui integração com TODAS as Linhas do Metrô / CPTM, para que não pairasse dúvidas, dessa maneira afirmo que é uma consolidação do projeto “Integração Centro” que teve suas origens no início do novo milênio.

      Não existiu fusão às pressas e não desejada das Linhas 7 e 10, e sim a “reunificação” de algo que sempre existiu desde a RFFSA ou SPR e foi feita em maio de 2021, o que está sendo feito às pressas e sem critérios são estas concessões em que são empregados muita verba pública como a renovação de contrato com a Metra e das linhas 8 e 9 e agora a tentativa da linha 7 em final de mandato entre outras.

      1. Existiu uma fusão às pressas que sobrecarregou a estação da Luz, prejudicando a principal linha da CPTM (Linha 11).

        Reunificação de algo que sempre existiu não é assim. Não importa se existia em 1900, 1950 ou em 1980, quando as ferrovias transportavam 5 a 10 vezes menos do que hoje. As estações Luz, Brás e Barra Funda não estão prontas para essa “unificação” (Barra Funda está em obras, Brás vai entrar e Luz está com obras emergenciais paliativas), sem falar que o perfil de viagem mudou em mais de 100 anos. Hoje, a grande maioria dos passageiros da Linha 10 desce em Tamanduateí, enquanto que a maioria dos passageiros da Linha 7 desce na Luz. “Reunificar” significa ignorar o cenário atual e futuro em nome de um saudosismo que não se sustenta.

        A Linha 710 fez foi prejudicar a maioria dos passageiros da Linha 7 com maiores intervalos e operação instável em nome da minoria dos passageiros da Linha 10.

        O projeto Integração Centro previa sinalização, energia, novas estações, nova frota, etc, não a mera “reunificação” de linhas sucateadas com intuito eleitoreiro (o que foi feito nessa gestão).

Comments are closed.

Previous Post

Estação Vila Maria da Linha 19-Celeste terá estacionamento integrado para veículos

Next Post

População do ABC Paulista poderia estar a um ano de contar com a Linha 18-Bronze

Related Posts