Metrô de São Paulo é uma das 15 empresas que podem operar nova linha em Quito, no Equador

Companhia participa da seleção do futuro operador do ramal de 22,6 km e 15 estações. Previsão é que serviço seja iniciado no final deste ano
Trem do Metrô de Quito fornecido pela Caf (Epmmq)

O Metrô de São Paulo é umas da 15 empresas que participam da concorrência que selecionará o futuro operador do Metrô de Quito, no Equador. A companhia paulista concorre com várias outras operadoras da América do Sul e também da Europa, entre elas a Deutsche Bahn, da Alemanha, o Metrô de Santiago do Chile, a Renfe e o Metrô de Madri (Espanha) e a RATP DEV, da França.

A capital do Equador iniciou a construção da sua primeira linha de metrô em 2013 e que ficou praticamente pronta tempos atrás – a Acciona, que constrói a Linha 6-Laranja, participou das obras. Mas o governo do país e a prefeitura acabaram atrasando o processo que definiria o concessionário privado que vai operar o ramal.

Foi criada uma empresa pública que coordena a seleção do parceiro privado, a Empresa Pública Metropolitana Metro de Quito (Epmmq), que lançou no final de março a fase preparatória para o processo de seleção. A ideia é que a vencedora seja escolhida em julho e assine o contrato em agosto. Com isso seria possível iniciar a operação da linha, que corta a cidade de norte a sul, no último trimestre de 2022.

Uma das 18 estações do Metrô da capital equatoriana (Epmmq)

Assessoria jurídica

Dentro de uma nova visão empresarial estabelecida nessa gestão, o Metrô de São Paulo criou a Metrô Consulting, uma divisão que busca oferecer o expertise acumulado em mais de 50 anos com a operação de linhas metroviárias. Segundo o site apurou, a intenção da companhia é operar o Metrô de Quito, possivelmente com algum parceiro privado.

Nesta terça-feira, 3, inclusive, o Metrô anunciou a contratação do escritório Machado Meyer Sendacz e  Opice Advogados para prestar serviços de assessoria jurídica especializada em direito empresarial e direito internacional. A empresa, que foi selecionada por meio de dispensa de licitação, ajudará a companhia a participar do certame no Equador.

O Metrô equatoriano terá 18 trens fornecidos pela Caf, com seis vagões cada e capacidade para transportar 1.500 passageiros. A viagem entre Quitumbe e El Labrador levará cerca de 34 minutos a uma velocidade média de 40 km/h. Boa parte dos túneis do ramal foi aberta com uso de uma tuneladora operada pela Acciona.

Total
12
Shares
3 comments
  1. Se o Metrô de SP é qualificado para operar linhas em outro país, não entendo passar nossas linhas para iniciativa privada. Porque não passar as linhas da CPTM para a Companhia do Metropolitano de SP?

    Isso sim traria um salto na qualidade.

    1. Sempre pensei que a CPTM deveria ser aos poucos passada para CMSP (metrô), e a CPTM passar apenas a construir linhas efetivamente suburbanas e de intercidades.

    2. sério q vc na sabe porque as linhas sao repassadas para iniciativa privada ? $$$$

      unificar CPTM e METRO não é tao simples, mas alguns processos poderiam ser unificados, como RH, engenharia e laboratórios.

Comments are closed.

Previous Post

Consórcio AeroGRU assina novo contrato para fornecer o People Mover de Guarulhos

Next Post

Área de manutenção da Linha 6-Laranja já conta com estruturas do primeiro prédio

Related Posts