Metrô suspende licitação de extensão da Linha 15-Prata até Jacu Pêssego

Nada menos que cinco concorrentes derrotados entraram com recurso contra a escolha do Consórcio Boa Esperança no dia 24 de novembro após um longo período de análise por parte da companhia
Terreno da futura estação Jacu Pêssego

Como já era esperado, os concorrentes da licitação de extensão da Linha 15-Prata até a futura estação Jacu Pêssego que foram derrotados entraram com recurso administrativo questionando a decisão do Metrô.

Por conta disso, a empresa controlada pelo governo do estado suspendeu o certame até analisar os argumentos dos consórcios envolvidos.

A surpresa é que nada menos que cinco participantes entraram com recursos contra a escolha do Consórcio Boa Esperança, formado pelas empresas Queiroz Galvão e MPO Soluções, e que pediu um valor de R$ 461 milhões para construir duas estações e o pátio Ragueb Chohfi, além das vias elevadas.

Segundo aviso do Metrô publicado no dia 24 de novembro, os consórcios Paulista Linha 15, Engibras-Eneplan-ML-15, SAP-BRH Linha 15, KPE-OAS-Phegassus e Telar-Gros-Consbem-CCI.

O consórcio Paulista Linha 15, que havia feito a proposta de menor valor (R$ 319 milhões), questiona sua desclassificação por conta de erros no preenchimento da documentação, que em sua visão seriam sanáveis, ou seja, poderiam ter sido corrigidos a fim de que ele participasse da concorrência. Além disso, aponta o Metrô como causador de dúvidas no edital por conta de manifestações realizadas durante a fase de análise.

PosiçãoConsórcioValor da proposta
Paulista Linha 15 (Heleno & Fonseca, Paulitec e Nova EngevixR$ 319.088.110,83
Engibras e EneplanR$ 449.857.315,84
KPE, OAS e PhegassusR$ 459.709.084,80
QG e MPO SoluçõesR$ 461.022.933,00
Telar, Gros, Consbem e CCIR$ 479.968.246,93
Expresso Tiradentes 3 (CLD, TMK e JB Construções)R$ 489.899.000,00
Nova Linha 15 (Constran, Colares Linhares e Cetenco)R$ 499.409.571,12
S/A Paulista e Benito RoggioR$ 506.780.053,68
Ferreira Guedes e ADTransR$ 509.936.728,02
10ºOECI e OengerR$ 518.197.019,42
11ºTTTP Linha 15 (Tiisa, Triunfo, TCE e Power China)R$ 589.574.019,90
Valores das propostas

O Telar-Gros-Consbem-CCI, 5º colocado no processo, questionou a comprovação técnica do Boa Esperança a fim de que também seja desclassificado e a escolha recaia sobre ele.

Os demais consórcios apelantes apontam outras falhas além de negarem não ter atendido aos requisitos do edital. Há quem lembre ainda que a menor proposta, do Paulista Linha 15, configurou-se como inexequível, graças ao valor muito baixo, aspecto que não chegou a ser apontado pelo Metrô durante a seleção.

O consórcio Expresso Boa Esperança, por sua vez, enviou nesta semana suas contrarrazões em relação a todos os concorrentes que entraram com recurso no processo.

Disputa judicial à vista

A licitação de construção das estações Boa Esperança e Jacu Pêssego e o pátio Ragueb Chohfi teve a sessão pública realizada em maio deste ano e recebeu 11 propostas, um número expressivo.

Diante disso, o Metrô acabou levando um tempo extremamente longo para apontar um vencedor, evidenciando dificuldades em validar as propostas. No fim, após uma eternidade (seis meses), a companhia decidiu escolher a 4ª proposta mais barata, algo um tanto raro nesses certames.

Ou seja, se licitações que causam polêmica com dois ou três grupos em disputa o que dirá de uma concorrência com 11 interessados? Certamente, a licitação 10015991 tem tudo para se transformar em mais um imbróglio judicial e acabar nos tribunais, diante de tantos pormenores questionáveis em seu processo.

Há tempo ainda para que o projeto saia do papel até 2024, como prometeu a gestão Doria, mas a chance de que o assunto seja resolvido logo é bastante pequena, diante das reações até aqui.

O novo trecho dará continuidade às vias que terminam hoje pouco depois de Jardim Colonial (iTechdrones)
Total
13
Shares
11 comments
  1. Não tinha que ter esse negócio de entrar na justiça para quem perdeu, depois de declarado o vencedor da licitação, já era, não deveria ter mais nada! É muita burocracia chata e insuportável que só atrapalha tudo!

  2. É necessário ter o contraditório e a ampla defesa. Se não houvesse isso, o administrador público só iria escolher as empresas “parceiras dele”.

  3. O modal é problemático também. No mês de novembro de 2021, deve ter ocorrido um número enorme de falhas nessa linha. Sempre com problemas nos trens. Isso mostra que foi um projeto mal feito. Os próprios técnicos da bombadier ficaram assustados quando perceberá que era para transportar 500000 pessoas na ocasião do acidente da roda. Além disso, existe algum problema com aquelas vigas. Esse alta vibração concerteza prejudica esses trens. A questão é a vantagem da ampliação dessa linha, pois não consegue carregar nem 150000 e explode falhas.

  4. O modal é problemático também. No mês de novembro de 2021, ocorreu um número enorme de falhas nessa linha. Sempre com problemas nos trens. Isso mostra que foi um projeto mal feito. Além disso, existe algum problema com aquelas vigas. Esse alta vibração concerteza prejudica esses trens. A questão é a vantagem da ampliação dessa linha, pois não consegue carregar nem 150000 e já tem um número alto de falhas. Provavelmente nenhum candidato ao a governo do estado irá prometer esse modal.

  5. Até quando a judiciação de contratos vai continuar atrapalhando a ampliação da mobilidade em SP? A confusão jurídica que reina neste país é uma das maiores mazelas que nós temos. Só de ver o chefe da quadrilha petista desfilando solto neste país já é uma prova de que a justiça neste país é toda confusa.

Comments are closed.

Previous Post

CPTM investirá R$ 4,8 milhões para reativar plataformas da estação Palmeiras-Barra Funda

Next Post

Linha 3-Vermelha terá alterações na operação no domingo, 5

Related Posts