Linha 18

Obras da linha 18 Bronze devem ter início postergado mais uma vez

Financiamento do BNDES e repasse de fundos do PAC irão atrasar, segundo ministro das Cidades, Gilberto Kassab
Projeção da linha 18-Bronze
Projeção da linha 18-Bronze

Impasse a respeito do empréstimo do BNDES e do PAC para a Linha 18-Bronze do Metrô deve atrasar o início das obras mais mais uma vez. As dificuldades financeiras do governo federal e os cortes em investimentos não teriam atingido o repasse para a obra, porém, o Ministro das Cidades, Gilberto Kassab, admitiu que o volume de recursos, embora não cancelado, deve demorar mais tempo para ser liberado.

A Linha 18-Bronze será feito em monotrilho e por uma PPP integral, assim como ocorreu coma Linha 6-Laranja. O consórcio ABC Integrado foi o vencedor da concorrência e o único a apresentar uma proposta em julho de 2014. O consórcio é formado pelas construtoras Primav, Encalso, Cowan e a o grupo argentino Benito Roggio, que opera o Metrô de Buenos Aires. O fornecedor dos trens será a companhia malaia Scomi, que também fornecerá os trens do monotrilho da Linha 17-Ouro.

A linha tinha previsão de operação em 2018, com 13 estações entre o centro de São Bernardo do Campo e a estação Tamanduateí, da linha 2-Verde do Metrô, e linha 10-Turquesa, da CPTM.

Projeção da linha 18-Bronze
Projeção da linha 18-Bronze

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Airway