Oito estações da Linha 3-Vermelha devem contar com portas de plataforma em 2022

Consórcio Kobra, que retomou contrato de instalação de 88 fachadas, tem previsão de entregar seis estações durante este ano, segundo relatório do Metrô
Portas de plataforma na estação Vila Matilde, da Linha 3 (Jean Carlos)

Cerca de três anos após o lançamento da licitação, o Consórcio Kobra deve finalmente instalar e colocar em operação as primeiras fachadas de portas de plataforma previstas no contrato assinado com o Metrô.

Segundo relatório da companhia referente a dezembro, a empresa tem a meta de concluir a montagem das PSDs (sigla em inglês) em seis estações em 2022. O documento não detalha quais seriam elas, mas segundo postagem de Silvani Pereira, presidente do Metrô, todas pertencem à Linha 3-Vermelha, a mais movimentada da rede.

Em 2020, antes de que o contrato fosse suspenso pela Justiça, o Kobra chegou a realizar marcações no piso das plataformas de algumas estações como Santa Cecília e República. Rumores apontavam também para outras paradas na região central como Marechal Deodoro e Tatuapé.

Além das seis estações dentro do escopo do Kobra, outras duas paradas da Linha 3 também estão prestes a ganhar portas de plataforma, Corinthians-Itaquera e Palmeiras-Barra Funda, mas nesse caso como parte do contrato com a Alstom.

A situação dos projetos de implantação de portas de plataforma no Metrô em dezembro (CMSP)

Segundo o mesmo relatório, a previsão é que as duas estações contem com PSDs até julho deste ano. A Alstom também finalizar a instalação do sistema CBTC, de controle de trens, e que irá operar as portas.

Outras 32 estações previstas no contrato do consórcio Kobra estão em “reprogramação”, segundo o Metrô. Há ainda oito estações da Linha 2-Verde que dependem de um novo contrato para contarem com o dispositivo de segurança.

Atualmente, apenas as linhas 4-Amarela e 15-Prata contam com portas de plataforma em todas as estações. A Linha 5-Lilás possui PSDs operacionais em 16 das 17 estações, faltando apenas Santo Amaro para concluir o processo de instalação, ainda em 2022.

Total
34
Shares
4 comments
  1. Não é por nada, as PSD’s da Alstom são as coisas mais feias que eu já vi, eu sei que a função não é estética mas estão bem feias, talvez pela cor, espero que o Metrô de um jeito de deixá-las menos desagradáveis…

  2. Alô consórcio Kobra, veja se não faz CAGADAS como as da estação Vila Matilde (Linha Vermelha), onde a porta do trem abre antes das portas da plataforma, o que quase me causou um acidente… sugiro que as portas da plataforma abra PRIMEIRO que as do trem… Fica a DICA…

    1. Nossa o engenheiro aqui descobriu algo que nenhum outro responsável pela obra percebeu, parabéns.

      O fato é que na estação vila matilde o acionamento das portas nao é via cbtc. Qualquer estação que tiver esse tipo de funcionamento vai ser assim. Enquanto o sistema cbtc nao dor ativado, será assim. Cbtc por enquanto só nas linhas 2, 4, 5 e 15. Nas linhas 1 e 3 as portas terao esse problema enquanto o cbtc nao estiver disponível

    2. Isso que você se refere ocorre porque o CBTC, que entre outras funções de sinalização é o responsável pela comunicação entre a porta do trem e a porta na plataforma, não está ativado na linha vermelha. Por isso existe essa falta de sincronia. É preciso aguardar a conclusão dos trabalhos pela Alstom.

Comments are closed.

Previous Post

Como deverá ser a estação Bosque Maia da Linha 19-Celeste

Next Post

Metrô recebe propostas para apoio em projetos executivos da extensão da Linha 15

Related Posts