Metrô retoma contrato de instalação de portas de plataforma com consórcio Kobra

Licitação havia sido reaberta pela companhia após Consórcio PSD-SP obter vitória na Justiça. Comissão de licitação, no entanto, voltou a desclassificar empresa, desta vez por inidoneidade de um dos sócios
Portas de plataforma na Linha 2 (GESP)

O Metrô anunciou a retomada do contrato de projeto, fornecimento e instalação de 88 fachadas de portas platafoma nas linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha com o Consórcio Kobra. A decisão ocorre após uma longa batalha jurídica que culminou com a reabertura da licitação por ordem do Tribunal de Justiça do estado de São Paulo após dar ganho de causa ao Consórcio PSD-SP, que havia feito a proposta mais barata.

No entanto, o Metrô voltou a desclassificar o consórcio, desta vez porque alegou que um dos seus sócios, a empresa MPE Engenharia e Serviços tem laços com outra empresa do grupo que foi declarada inidônea pelo governo federal. Na primeira desclassificação, o argumento da companhia era de que o consórcio não atendia as especificações do projeto, o que acabou negado pela Justiça.

Após recurso administrativo do PSD-SP, a comissão de licitação negou provimento e agora encaminhou a retomada dos trabalhos pelo Kobra, formado pelas empresas Husk Eletrometalúrgica, MG Engenharia e Construção, Samjung Tech e Woori Technology.

O Kobra fez a segunda menor proposta e levou o certame após a desclassificação do PSD-SP. O Metrô assinou contrato com o vencedor em 2019, mas meses depois uma das ações na Justiça conseguiu parar o serviço quando já haviam sido produzidos componentes das portas.

O embate jurídico frustrou os planos da direção do Metrô de concluir a instalação das 88 fachadas em 38 estações até 2022, sendo 19 neste ano e outras 19 no ano quevem. No entanto, esse planejamento não condiz com o prazo estipulado no contrato, de 56 meses a partir da sua assinatura. Agora, o cronograma terá de ser atualizado e deve se estender até 2024 pelo menos.

Estações que receberão as portas de plataforma do consórcio Kobra (círculo vermelho)

Confira as estações que serão contempladas com os equipamentos:

Linha 1-Azul: Parada Inglesa, Jardim São Paulo, Santana, Carandiru, Portuguesa-Tietê, Armênia, Tiradentes, Luz, São Bento, Sé, Liberdade, São Joaquim, Vergueiro, Paraíso (plataformas das linhas 1-Azul e 2-Verde), Ana Rosa, Vila Mariana, Santa Cruz, Praça da Árvore, Saúde, Conceição e São Judas.

Linha 2-Verde: Consolação.

Linha 3-Vermelha: Marechal Deodoro, Santa Cecília, República, Anhangabaú, Sé, Pedro II, Brás, Bresser-Mooca, Belém, Tatuapé, Carrão, Penha, Guilhermina-Esperança, Patriarca e Artur Alvim.

Total
23
Shares
2 comments
  1. Pq 8 estações da linha 2 vão continuar sem as portas de plataforma? Tem algum possível aditivo para instalar nas estações restantes?

Comments are closed.

Previous Post

Linha 6-Laranja na Zona Leste volta a ser considerada pelo governo

Next Post

CPTM investirá R$ 12 milhões para trocar o piso da estação Palmeiras-Barra Funda

Related Posts