Plataforma na estação Luz já é reformada para receber o Expresso Aeroporto

Avatar
Serviço da CPTM que ligará o centro de São Paulo ao Aeroporto de Guarulhos deve estrear em agosto por oito reais
Antiga plataforma da estação Luz: em agosto o Expresso Aeroporto sairá daqui

Um antigo trecho de plataforma da centenária estação Luz da CPTM está sendo reformado nas últimas semanas para voltar a ser usado e numa função ‘nobre’. A famosa estação central de São Paulo passará a ser o ponto de partida do Expresso Aeroporto, serviço que estreará em agosto e levará os passageiros diretamente até o Aeroporto Internacional de Guarulhos – ou melhor, até próximo dele afinal a Linha 13-Jade está distante dos principais terminais do aeroporto.

O site fotografou nesta terça-feira (19) os trabalhos que estão sendo realizados no local. O Expresso Aeroporto usará uma parte da plataforma que hoje é usado para as partidas da Linha 11-Coral mas já fora da cobertura principal e na altura do Museu da Língua Portuguesa, hoje sendo recuperado após um grave incêndio.

Como terá uma cobrança diferente das demais linhas da CPTM, o Expresso receberá uma bilheteria e bloqueios próprios na própria plataforma. A ideia é que o passageiro que usar o serviço desembarque por algumas das quatro linhas de Metrô e CPTM que utilizam a estação e faça o pagamento no local para tomar o serviço – cujo preço será de R$ 8,00, o dobro da tarifa do transporte público na capital paulista. Com uma cobertura em madeira e metal, a plataforma está sendo recuperada e recebendo no piso além de elementos de conforto e segurança.

Transtorno para a Linha 11

O “Airport-Express”, como o governo também chama o serviço, terá quatro partidas diárias em cada direção ainda sem horários definidos. A pequena oferta tem uma razão: como o trem usará as vias de linhas movimentadas como a 11-Coral e 12-Safira se houvesse muitos horários esses ramais seriam impactados com atrasos e menos disponibilidade.

Ainda assim, levar o trem da Linha 13-Jade até a Luz acabará atrapalhando a estratégia de embarque e desembarque da Linha 11. Quando a composição do Expresso estiver na plataforma, os passageiros da Linha 11 precisarão embarcar e desembarcar na outra via, algo que já ocorreu no passado e que se mostrou confuso.

A ironia desse serviço expresso e do Connect, que estreará em julho e atenderá as estações Tatuapé e Brás, é que a Linha 13 não tem previsão de ser expandida no sentido centro e sim fazendo um percurso alternativo pela Zona Leste e terminando na região da Mooca ou Chácara Klabin, segundo alguns estudos da companhia. Sem outra opção, a estação Luz assumirá esse novo papel até não se sabe quando.

Veja também: Veja como é ir de trem até o Aeroporto de Guarulhos

Total
42
Shares
10 comments
  1. Será que não deverá ocorrer uma inversão dos pontos de parada das linhas, ou seja, onde hoje chegam os trens da Linha 07 – Rubi, passaria a receber os trens da Linha 11 – Coral? Isso seria muito mais sensato e até possibilitaria um melhor fluxo dos trens e passageiros. Mas será necessário mesmo aguardar o próximo mês (data esta que eu não creio que será cumprida, a não ser que seja final do mês e ainda assim olhe lá) para saber a respeito.

  2. Minha nossa, eles pretendem usar a plataforma 4 sentido Estudantes pra desembarque da linha 13 também ao invés de usarem a plataforma central junto com a linha 11?

    Se for isso dessa vez a CPTM se superou de vez no desleixo com a qualidade do serviço ao usuário, aquele tumulto que o expresso turístico já causa no fim de semana é péssimo, imagina durante a semana, revoltante.

  3. Nossa vão lotar ainda mais a Luz.

    Não seria mais viavel colocar esse ponto “final” na Estação Julio Prestes que hoje é subutilizada?

    Bastaria fazer uma conexão entre esta e a Luz.

  4. Ou seja, nada é feito com planejamento. A tática é vamos fazer obras $$$.
    Fazem uma linha para o aeroporto (que não chega no aeroporto ) e depois tentam consertar piorando o que foi feito. Com isso, a dívida pública aumenta, os impostos aumentam, os desvios, as cidades cada vez mais feias e inviáveis… mas os políticos, empreiteiros e funcionários públicos que participaram e está aberração estarão muito bem. Nossas cidades são um eterno canteiro de obras por falta de planejamento. E isso é de propósito. Para sempre terem obras.

  5. Mais uma gambiarra. O Expresso não chegará até o terminal como qualquer boa cidade do mundo. Até quando vamos conviver com essa enganação?

    1. O projeto original, contemplava ida até um dos terminais mais usados do aeroporto, porém, a administração do aeroporto disse que faria um VLT para chegar aos principais terminais, e não aceitaram que o trem chegasse lá.

  6. Não gosto dessa ideia de expansão da L13 até Klabin, me parece absurdo de caro, muito sobreposto à expansão da L2, e até hoje muito pouco detalhado para poder sair do papel. Duvido muito que vire realidade.

    Acho muito melhor reformar totalmente o trecho da CPTM entre Goulart e Barra Funda e criar uma linha entre a Barra Funda e o Aeroporto passando pela Luz, cortando a L12 em Goulart e a L7 na Barra Funda.

    Assim a L13 teria um parador de qualidade para os órfãos das linhas 7 e 12 (as piores do sistema) e uma malha exclusiva com espaço para expressos, partidas de luxo e trens estratégia em várias estações chave do sistema, como Barra Funda, Luz, Brás, Tatuapé e no futuro Tiquatira para usuários da linha 2.

    Vejo uma demanda altíssima nesse trecho.

  7. A falta de planejamento se mostrou desde o começo. Quando inauguraram o aeroporto, já deveria ter uma linha de trem ou metrô saindo de lá sentido centro de S. Paulo. Um exemplo oposto disso é em Madri, onde o trem já sai do aeroporto sentido centro, sem precisar fazer diversas conexões.

  8. É o cúmulo da burrice! Colocam mais uma linha na estação da luz que tem apenas 4 plataformas e deixam a Barra Funda, com suas 10 plataformas operando somente em 4!

Comments are closed.

Previous Post

Leilão de concessão da Linha 15-Prata é remarcado para 31 de julho

Next Post

A polêmica do “Shopping Trem” no Metrô e CPTM

Related Posts