Destaques Linha 17 Linha 18 Linha 19 Linha 2 Linha 20 Linha 22 Linha 4

Quando o Metrô chegará a outra cidade da Grande São Paulo?

Atrasos em obras e falta de dinheiro colocam em xeque os planos de levar o metrô para fora da capital paulista
Monotrilho da Linha 18: linha do ABC é que mais tem chance de romper os limites da capital
Linha 18-Bronze: primeiro ramal de metrô cancelado da história de São Paulo
Monotrilho da Linha 18: linha do ABC é que mais tem chance de romper os limites da capital
Monotrilho da Linha 18: linha do ABC é que mais tem chance de romper os limites da capital

Era uma frase repetida várias vezes por Geraldo Alckmin: “Será a primeira vez que o Metrô sai da capital”, prometeu o governador do estado em várias ocasiões, mas até agora esse objetivo está longe de virar realidade. E pior: com a grave crise financeira pela qual passa o país, os planos para que o metrô de São Paulo atinja alguma cidade da região metropolitana parecem ameaçados a médio prazo.

Se as linhas da CPTM atingem diversas cidades da Grande São Paulo e até fora dela (como Jundiaí), o Metrô mal beira a divisa da capital. A Linha 1 está próxima de Diadema assim como as estações Tamanduateí e Sacomã da Linha 2 ficam localizadas não muitos distantes de São Caetano do Sul e São Bernardo do Campo, mas para utilizá-las os passageiros precisam atingi-la por outros meios de transporte.

E não faltam projetos para que Alckmin prometa a extensão do Metrô para fora dos limites da capital paulista. No entanto, nenhum deles têm chance de virar realidade nos próximos anos e sobretudo em sua gestão que se encerra em 2018. Confira a seguir as linhas que poderão ter estações em outras cidades e quais as chances atuais de tornarem-se realidade:

Linha 2-Verde em Guarulhos – Chance de virar realidade: razoável

A extensão da Linha 2 está licitada, porém, suspensa por falta de recursos. Ela deverá prolongar o ramal em mais 14 km e transformá-lo na maior linha do metrô paulista. O projeto prevê seguir após Vila Prudente, percorrendo parte da Zona Leste e cruzando os limites de Guarulhos, onde terminará onde hoje existe o Shopping Internacional, às margens da Via Dutra. Por ser uma obra complexa e nos moldes da extensão da Linha 5-Lilás, não há como vê-la sair do papel em menos de cinco anos. E há o risco de atual licitação ser cancelada devido ao prazo de prorrogação ter extrapolado os limites legais.

Linha 4-Amarela em Taboão da Serra – Chance de virar realidade: razoável

A extensão da Linha 4 até o município de Taboão da Serra é promessa antiga da gestão Alckmin. Em 2012, logo no início do atual mandato, o governador prometeu a entrega da terceira fase da linha para este ano. Como se sabe, nem a maior parte das estações da segunda fase foi concluída e o sonho de chegar a Taboão certamente ficou para a próxima década. Já foram contratados projetos para isso, porém, nada deve acontecer enquanto a atual fase está em obras, com previsão de conclusão em 2020.

Linha 17-Ouro em Diadema – Chance de virar realidade: pequena

Ainda quando era uma obra “vitrine” da gestão, a Linha 17 foi cogitada além da parada final no Jabaquara. A ideia era levá-la até o Parque do Estado e, de lá, até Diadema. No início de 2014, o governador  já dava o trecho como certo: “nova licitação deve ser lançada da linha 17. Demos ordem para que seja feito o projeto básico e funcional”, confirmou Alckmin ao jornal Diário Regional. Quase três anos depois, não só esse projeto não saiu do papel, como a linha teve duas fases suspensas por falta de recursos. Com os problemas acumulados nos últimos meses, parece pouco provável que o monotrilho seja prolongado.

Linha 18-Bronze no ABC Paulista – Chance de virar realidade: grande

Apesar de sofrer com vários problemas desde o início, a PPP da Linha 18-Bronze talvez seja a que mais tem chances de tirar o Metrô de São Paulo da capital. A obra está atrasada, mas por conta da falta de recursos para desapropriações, que são de responsabilidade do governo. O dinheiro viria do PAC ainda no gestão de Dilma Rousseff, mas nenhum centavo foi repassado. Quando o governo do estado notou que não haveria ajuda da União, pediu autorização para um empréstimo no exterior. Desta vez, o governo federal bloqueou o pedido, alegando falta de capacidade de pagamento. A situação tende a ser contornada pela gestão Temer, interessada em destravar investimentos. Se isso de fato ocorrer, a Linha 18 poderá sair do papel e, espera-se, com rapidez já que o consórcio VEM ABC parece não ter problemas de financiamento como ocorreu com o Move São Paulo na Linha 6.

Os projetos mais recentes do Metrô que prevêem estações fora da capital paulista
Os projetos mais recentes do Metrô que prevêem estações fora da capital paulista

Linha 19-Celeste em Guarulhos – Chance de virar realidade: muito pequena

No início de 2015, a Linha 19 era a mais cotada para ser a próxima a ser licitada. O então novo secretário de Transporte Metropolitanos Clodoaldo Pelissioni declarou em janeiro daquele ano que havia recebido uma MIP (Manifestação de Interesse Privado) de um grupo empresarial e que o projeto funcional da linha, que ligará Guarulhos a região do Brooklin, na Zona Sul de São Paulo, seria autorizado. Será uma linha mais direta até a capital, ao contrário da Linha 2, que contornará vários bairros, mas desde então o projeto ficou esquecido e tem pouquíssimas chances de virar realidade nos próximos anos.

Linha 20-Rosa em São Bernado do Campo – Chance de virar realidade: muito pequena

Outra linha que chegou a ser considerada como muito perto de ser licitada, a Linha 20-Rosa terá um papel vital na distribuição de várias da linhas do metrô. A primeira fase ligará a região da Lapa a Moema, passando por vários locais de atração de emprego, mas é a segunda fase que poderá criar uma conexão rápida e efetiva com o ABC Paulista, até mais que o monotrilho da Linha Bronze. Partindo de São Judas, na Linha 1, a segunda fase cruzaria a região da Avenida Cursino, passando pelo bairro do Taboão e terminando em Rudge Ramos, em São Bernardo, onde se conectará à Linha 18. No entanto, como nem a primeira fase está garantida diante do alto custo de desapropriação, a segunda é praticamente um exercício de imaginação. Há de se acrescentar que linhas num horizonte tão distante acabam passando por mudanças em seus traçados que muitas vezes alteram quase que completamente sua concepção original.

Linha 22-Bordô em Cotia e Osasco – Chance de virar realidade: pequena

A Linha 22-Bordô, que promete aliviar o movimento de carros na Rodovia Raposo Tavares, já recebeu várias mudanças. Na ideia mais recente conhecida, o ramal pretende partir da região da avenida Faria Lima, onde se conectará à futura Linha 20, passará pela Linha 9 na estação Rebouças, cruzará com a Linha 4-Amarela em São Paulo-Morumbi e, então, seguirá para Cotia, com uma estação localizada em Osasco. Se um dia virar realidade, será a linha com a estação mais distante do centro de São Paulo, mas, como outras linhas, segue no papel sem perspectivas de construção a médio prazo.

Para que São Paulo realmente veja sua malha metroferroviária crescer em ritmo chinês será preciso superar alguns conceitos datados, como o que impede a exploração comercial dos terrenos desapropriados, a forma como hoje é feita a desapropriação, em que o proprietário é a parte mais prejudicada, a concessão das licenças ambientais, a exigência de projetos executivos nas licitações, seguro contra atrasos na execução e garantias financeiras reais que impeçam que construtoras abandonem as obras alegando dificuldades financeiras. Isso sem falar na transparência nas licitações. Não é um caminho fácil, mas obrigatório se queremos ver uma gestão pública realmente séria.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

6 Comentários

Click here to post a comment
  • Primeiramente excelente artigo!

    Olhando a mancha urbana da região metropolitana São Paulo, da pra perceber que existem grandes “buracos” que não servidos nem por metrô ou CPTM, os buracos mais evidentes são: Guarulhos, São Bernardo, São Mateus, Vila Missionaria, região Noroeste da capital, e Taboão da Serra.
    Desses buracos, 3 já parecem estar com a solução a caminho: Em São Bernardo vão construir a linha 18 bronze – Monotrilho; em São Mateus já está em construção a linha 15 prata – Monotrilho; e na região Noroeste da capital já está em construção a linha 6 laranja do metrô.
    Fica faltando transporte, portanto, para: Guarulhos, Vila Missionaria, Taboão da Serra. Desses locais, a prioridade do governo deveria ser evidentemente Guarulhos, devido a sua grande população que vai para o centro de SP diariamente. Por isso acho que o governo de SP deveria começar imediatamente essa linha 19 celeste citada acima, não adianta estender a linha verde ou só construir a linha 13 jade até Guarulhos, pois esses projetos vão apenas até as bordas de Guarulhos e assim não vão ajudar muito a população, o ideal mesmo é que o metrô chegue até o centro de Guarulhos, ligando direto até o centro de SP, isso diminuiria o tempo desse percurso que hoje por transporte público é de cerca de 2 horas e 30 min, para apenas 25 minutos.
    Além disso, outra prioridade do governo deveria ser levar o metrô para pontos importantes da Capital, como a USP; a região da Vila Olímpia (com seus novos prédios comerciais, milhares de pessoas trabalham lá); e o parque do Ibirapuera.

  • Entre as Linhas de Metrô, Além da Linha 19 Celeste Cuja Partida é no Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul da Capital Paulista, Quem Vive em Guarulhos Quer a Estação Aeroporto de Cumbica Pertencendo a Linha 2 Verde Também

    • O que precisa URGENTE é uma linha de metrô ligando o centro de Guarulhos ao centro de SP, hoje quem precisa fazer o trajeto gasta 2 horas e meia, com metrô seria somente 25 minutos.

  • LINHA BORDO E LINHA ROSA JÁ! VOU DO KM 16 DA RODOVIA RAPOSO TAVARES ATE A PIRAPORINHA QUASE TODO FINAL DE SEMANA. LEVO CERCA DE 2H E MEIA. FORA QUE IA AJUDAR A DESAFOGAR A RODOVIA RAPOSO TAVARES. NÃO FIZERAM MAIS NENHUMA OUTRA AVENIDA NOVO PARA ESSA REGIÃO. A RODOVIA RAPOSO TAVARES ESTA CADA VEZ MAIS ESTÚPIDA. FICARA AINDA MAIS COM OS LOTEAMENTOS, PRÉDIOS, CONDÔMINOS QUE ESTÃO SURGINDO AO LONGO DA RODOVIA ATE COTIA/VARGEM GRANDE PAULISTA. AQUI SE DESTRÓI 1 CASA E SE FAZ 3 CASAS, ONDE MORAVA 1 FAMÍLIA, AGORA MORAM 3, ONDE TINHA 5 CASINHAS, HOJE TEM UM PRÉDIO, COM 30 FAMÍLIAS OU MAIS! O PODER PRIVADO CONTINUA EXPLORANDO E O GOVERNO CONTINUA SENDO OMISSO.

  • Desse Jeito, Vão Ficar Só Para São Paulo/SP as Linhas do Metrô: 1 (Azul) do Tremembé, na Zona Norte Até Interlagos, na Zona Sul & 3 (Vermelha) de Guaianazes, na Zona Leste Até o Jaguaré, na Zona Oeste. Demais Linhas de Metrô Vão Se Estender Até a Região Metropolitana de São Paulo

Airway