Destaques Linha 1 Linha 2 Linha 3 Metrô de São Paulo

Serviço de wi-fi gratuito nas estações do Metrô começará a funcionar até o final de janeiro

Contrato de parceria com a empresa Stemme prevê a disponibilização de internet gratuita em 38 estações das Linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha
Metrô: novo serviço de wi-fi gratuito deve funcionar até o fim de janeiro (Windomac/Wikipedia)

O novo serviço gratuito de sinal de internet por meio de rede wi-fi nas estações do Metrô deverá ter início até o dia 29 de janeiro, conforme consta no contrato de parceria assinado pela companhia com a empresa Stemme Telecomunicações do Brasil no final de dezembro. Segundo o termo, a empresa terá 30 dias para implantar o serviço em 20 das 38 estações que terão o serviço e o restante, num prazo de 45 dias. A razão é que o primeiro lote já possui infraestrutura mínima de propriedade do Metrô.

São elas as estações Santana, Santa Cruz, Paraíso, Vila Mariana, Tucuruvi, Jabaquara, Vergueiro e Armênia na Linha 1, Sacomã, Tamanduateí e Vila Prudente na Linha 2, e Patriarca, Guilhermina Esperança, Penha, Marechal Deodoro, Santa Cecília, Arthur Alvim, Vila Matilde, Carrão, além de Sé (Linhas 1 e 3) e Paraíso (Linhas 1 e 2).

Já as estações Brigadeiro, Ana Rosa, São Joaquim, Barra Funda, Bresser Mooca, Belém, Brás, República, Trianon-Masp, Vila Madalena, Consolação, Portuguesa-Tietê, Tatuapé, Anhangabaú, Itaquera, Luz, São Bento e Clínicas devem ter o serviço ativado até o dia 13 de fevereiro.

O wi-fi funcionará de forma gratuita nos mezaninos e acessos, mas não nas plataformas e túneis. Para que a empresa possa viabilizar o serviço, ela terá um espaço de 10 m² em cada estação e poderá explorar a publicidade e conteúdo nos dispositivos móveis que fizerem uso da conexão. A Stemme, no entanto, terá de arcar com todo o custo de implementação e manutenção do serviço sem qualquer ônus para o Metrô.

Página do primeiro serviço wi-fi do Metrô de São Paulo

Prazo de um ano

De acordo com a descrição técnica do contrato, o serviço de wi-fi deverá atender a um mínimo de 100 usuários simultâneos nas grandes estações como Sé, Paraíso, Luz, Santa Cruz, Brás e Barra Funda. Já nas estações menores, esse requisito é de 50 usuários conectados ao mesmo tempo.

Segundo o Metrô, o serviço terá de obedecer a alguns padrões de qualidade como não exigir reconexões por conta da região onde usuário estiver, garantia de privacidade, e formas de minimizar possíveis interferências em algumas áreas das estações. O contrato de parceria tem prazo de um ano podendo ser renovado dentro das condições estabelecidas pelo Metrô em seu regulamento de licitações.

Está será a segunda vez que o Metrô oferece o serviço de wi-fi gratuito em suas estações. A primeira tentativa foi um projeto experimental restrito a alguma estações e que funcionou até o ano passado. A companhia, no entanto, não considerou a extensão do serviço para a Linha 15-Prata, do monotrilho, possivelmente por conta da intenção de concedê-la à iniciativa privada, projeto que foi cancelado pela Justiça em decisão em primeira instância.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Airway