Linha 5

Tatuzão chega à nova estação Santa Cruz da Linha 5 Lilás

Shield atingiu nesta segunda-feira (16) a ligação com a Linha 1 Azul e chegou a 74% da escavação prevista
O tatuzão chega à nova estação Santa Cruz (reprodução Instagram)
O tatuzão chega à nova estação Santa Cruz (reprodução Instagram)
Chegada do tatuzão na nova estação Santa Cruz (foto: Metrô)
Chegada do tatuzão na nova estação Santa Cruz (foto: Metrô)

Conforme havia sido previsto pelo Metrô, o shield, popularmente chamado de ‘tatuzão’, chegou nesta segunda-feira (16) à futura estação Santa Cruz da Linha 5-Lilás, onde fará ligação com a Linha 1-Azul. Foram 73 dias de escavação desde a estação Hospital São Paulo, numa média aproximada de 9 metros por dia. Agora, o equipamento passará pela manutenção rotineira e só deve voltar ao trabalho em janeiro de 2016.

Faltam ainda pouco mais de 1,2 mil metros para que o tatuzão encerre seu trabalho. A próxima parada é a estação Chácara Klabin, onde fará a ligação com a Linha 2-Verde. Depois ele segue para o poço Dionísio da Costa, onde será desmontado.

O shield duplo usado nas obras da extensão da Linha 5 é o mesmo equipamento que escavou os túneis da Linha 4. Ele perfura o solo e instala anéis de concreto formados por aduelas, peças que se encaixam para proporcionar segurança e estabilidade para o túnel. A obra tem ainda outros dois shields menores, que escavam cada uma via por onde passarão os trens – o shield maior forma um túnel único, que recebe os trilhos dos dois sentidos.

Chegada do tatuzão na nova estação Santa Cruz (foto: Metrô)
Chegada do tatuzão na nova estação Santa Cruz (foto: Metrô)

O megatatuzão começou a trabalhar na linha em setembro de 2013, mas teve muitos atrasos no primeiro trecho escavado, até a estação Eucaliptos. Depois ele avançou 7 metros por dia até a estação Moema e lá teve uma pausa longa de 80 dias aguardando que o fundo da estação fosse concluído. Depois disso, a tuneladora atingiu médias de mais de 9 metros por dia desde janeiro deste ano, quando partiu de um poço no Parque das Bicicletas.

Se mantiver o ritmo, o shield deve concluir seu trabalho entre junho e julho do ano que vem. Enquanto isso, as duas tatuzetes já se aproximam da última parada, no poço Bandeirantes, beirando a avenida do mesmo nome. A primeira delas, a ‘Tarsila’, deve encerrar sua escavação nas próximas semanas.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

3 Comentários

Click here to post a comment
    • Olá, Deonizio. A Linha 22 ainda passa por definição de traçado e estações, o chamado projeto funcional. Ela é uma das três novas linhas em estudo mais avançado pelo Metrô – as outras são a Linha 19-Celeste e Linha 20-Rosa. No entanto, não há no momento nenhuma perspectiva de licitação por falta de recursos. A atual gestão tem focado em terminar as obras que estão iniciadas e atrasadas.

Airway