Trens da Série 8500 iniciam operação na Linha 9-Esmeralda

Mais modernas, composições serão cedidas para a ViaMobilidade enquanto os 36 novos trens são fabricados. Mudança pode ter sido motivado por fatores de demanda e de segurança patrimonial
Composição da Série 8500 na estação João Dias (Diego Silva)

Os trens da Série 8500 iniciaram nesta terça-feira (09) a operação comercial na Linha 9-Esmeralda da CPTM. As composições fazem parte do grupo de trens que será realocado em caráter provisório para as linhas 8 e 9 concedidas para a Via Mobilidade.

As 35 composições foram originalmente adquiridas para operar na Linha 11-Coral da CPTM. Com o advento da concessão das 8 e 9 e a inevitável realocação da frota operacional na Linha 8-Diamante, que era composta exclusivamente de trens da Série 8000, sete unidades serão deslocadas para compor a frota dos trechos até a compra dos 36 novos trens da Alstom. O site fez uma matéria detalhada explicando todos os detalhes desta mudança

Composição da Série 8500 na estação Primavera-Interlagos (Diego Silva)

A menos de um mês da terceira e última etapa da fase pré-operacional da concessão das Linhas 8 e 9, a alocação dos trens pode ser vista como uma estratégia operacional por parte da ViaMobilidade. Nesta terceira fase a concessionária deverá iniciar gradualmente a operação e manutenção dos ativos, saindo do campo teórico e aplicando na prática todo o conhecimento repassado ao longo dos últimos cinco meses. O site também fez uma nota detalhada sobre o período de 7 meses que antecede a operação comercial das linhas.

Uma das hipóteses possíveis para realocação dos trens pode ser descrita por dois fenômenos importantes. O primeiro deles é relacionado à demanda mais expressiva da Linha 9-Esmeralda. Com o avanço consistente da vacinação e a retomada econômica, a tendência é que o trecho possa atrair cada vez mais passageiros.

Outra possibilidade é o fator segurança. Levando em consideração que parte das composições serão devolvidas para a CPTM, existe uma preocupação quanto a integridade dos ativos. Em algumas regiões da Linha 8-Diamante como o pátio de Carapicuíba e Presidente Altino existe a incidência do furto de cabos, especialmente das cordoalhas de aterramento. O fato foi levantado ainda na rodada de questionamentos da concessão realizada em fevereiro.

Cordoalha de aterramento, componente alvo de furtos (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

Tudo indica que a concessionária adotará tanto estratégias operacionais como de segurança para mitigar as ações cometidas por criminosos no sistema, principalmente aquelas que interferem diretamente na operação comercial. Pelo menos neste período inicial os passageiros da Linha 9-Esmeralda poderão desfrutar de uma das mais modernas frotas de trens da CPTM.

Total
38
Shares
Previous Post

Empréstimo de R$ 3 bilhões para expansão da Linha 2-Verde segue sem previsão de assinatura

Next Post

Metrô realiza testes de carga com trens no trecho da Linha 4 até Vila Sônia

Related Posts