Veja fotos inéditas da construção do People Mover do Aeroporto de Guarulhos

Ligação entre a estação da Linha 13-Jade da CPTM e os três terminais do aeroporto tem vias praticamente concluídas. As quatro estações estão em fase de construção e contarão com portas de plataforma
Aeromovel do Aeroporto de Guarulhos em construção (Jean Carlos)
Aeromovel do Aeroporto de Guarulhos em construção (Jean Carlos)

As obras do People Mover , sistema de transporte automatizado entre a estação Aeroporto-Guarulhos da CPTM e os terminais 1, 2 e 3 do Aeroporto Internacional de Guarulhos, estão sendo realizadas utilizando-se da tecnologia Aeromovel.

A conclusão do empreendimento está prevista para o primeiro semestre de 2024. O novo sistema contará com 2,7 km de vias e quatro estações.

O site esteve recentemente na estação da Linha 13-Jade e também nos terminais do Aeroporto de Guarulhos para conferir de perto o andamento da obra e da construção das estações que farão conexão com os terminais.

Integração CPTM

A estação inicial do Aeromovel do aeroporto está localizada anexa com a estação da CPTM. O local escolhido é de fácil acesso, estando imediatamente após a antiga sacada que dá vista ao Terminal 1.

Atualmente o local já conta com a via permanente completamente instalada. Uma lona escura impede a visualização total da obra, mas é possível ver no exterior que a cobertura do local foi complementada.

Próximo a este local existem duas estruturas importantes. O primeiro aparenta ser uma espécie de galpão para manutenção com espaço para uma composição. Outro elemento é uma cabine de ventilação ligada às vigas e que fará o impulsionamento do trem.

Terminal 1

A estação do Terminal 1 está em fase avançada de construção. Ela foi erguida do zero em um local onde não havia estruturas de apoio, como prédios operacionais, por exemplo. Apesar disso, a estação tem uma concepção bastante simples e funcional.

A estação aparentemente não terá elevadores. Para compensar este fator uma grande rampa foi instalada, permitindo a acessibilidade dos passageiros. Esta parada possui portas de plataforma parcialmente instaladas.

Terminal 2

A estação do Terminal 2 é, aparentemente, a que menos teve progressos. A sua localização elevada na área central do terminal impede que as obras possam ser visualizadas com maior nível de detalhes.

Na área externa é possível observar duas estruturas para o que poderão ser dutos de ar que irão tracionar o Aeromóvel.

Já na parte interna do terminal é possível ver duas áreas isoladas. Os locais possivelmente serão os acessos aos trens do Aeromóvel. Dentre todas as paradas, a do Terminal 2 é a que mais facilita comodidade ao passageiro, já que deixa o usuário praticamente dentro do terminal.

Terminal 3

A estação Terminal 3 é a última parada do Aeromóvel. Ela está sendo instalada em uma área previamente construída e que faz parte do acesso ao edificio garagem do aeroporto de Guarulhos.

Pela parte externa é possível visualizar que a estação já possui alguns módulos de portas de plataforma. A cobertura foi estendida possibilitando abrigar os passageiros do clima adverso.

O acesso à estação se dará por elevadores e escadas rolantes, todos pré-existentes. O acesso ao Terminal 3 se dará através de esteiras rolantes próximas à parada em área climatizada.

Vias do Aeromóvel

As vias do aeromóvel são assentadas em vigas vazadas, por onde o ar irá propulsionar as composições. As dimensões dos trilhos utilizados são menores do que os tradicionalmente adotados nas ferrovias de maior capacidade como na CPTM e Metrô.

Na parte central da vida foi instalada uma espécie de vedação em borracha. Ela é composta por dois segmentos que permitirão a passagem da vela, e que se fecham imediatamente ao concluir o trajeto. Isso permitirá manter a pressão dentro das vigas vazadas.

Vias Aeromovel (Jean Carlos)
Vias Aeromovel (Jean Carlos)

A concepção do sistema Aeromóvel do Aeroporto de Guarulhos utiliza tecnologia 100% nacional. Apenas alguns elementos, como sistema de sinalização e CCO, deverão ser fornecidos por empresas estrangeiras, sendo todo o resto produzido no Brasil.

Nisto se incluem as três composições que serão fabricadas pela MarcopoloRail com capacidade para transportar até 200 passageiros cada.

Total
0
Shares
Antes de comentar, leia os termos de uso dos comentários, por favor
11 comments
  1. Se alguém puder, me esclareça duas dúvidas:
    Como o veículo do aeromóvel capta energia elétrica para o funcionamento da iluminação interna e do ar condicionado?
    Qual bitola é utilizada em sua via?

    1. A energia é fornecida por um terceiro trilho instalado na lateral da via como nas linhas do metrô.
      A bitola padrão utilizada pelo Aeromovel é a bitola larga de 1600 mm.

  2. Quais são as chances dessa tecnologia atender uma demanda de trasporte público? Seria um bom concorrente ao VLT?
    Acredito que seria bom para prefeituras de cidades do interior com até uns 500 mil habitantes…

    1. Essa tecnologia seria ótima para cidades médias como Florianópolis. Essa obra será um grande teste para sabermos se isso vai vingar ou não.

    2. Acho que esse sistema nao desenvolve potencia suficiente para muitos vagoes, alem da necessidade de se alimentar longos trechos com o ar comprimido. Aparentemente, so e viavel para trechos muito curtos. Nesse casos, BRT ou VLT atenderiam bem melhor.

  3. É uma alegria e um orgulho finalmente ver uma obra com componentes 100% brasileiros. Obrigado ex-ministro Tarcísio por viabilizar essa obra!

    1. Aonde essa “tecnologia” é utilizada além de Porto Alegre (e lá só saiu graças a Dilma Rousseff)?

      O Aeromóvel é um elefante branco, não é uma tecnologia confiável e só foi escolhida por ser (supostamente) a mais barata de todas.

    2. o Tarcísio nem assinou o cheque, só assistiu a obra contratada ser terminada. tanto ele quanto o Lula.

      até o Bolsonaro é mais responsável pelo aeromóvel do que o governador carioca… e o Dória…

      e os governos anteriores de todas as cores que deixaram a linha Jade terminar na área de carga…

      1. A linha Jade só termina lá por grande insistência e conluio com GRU Airport, a concessionária que adm o aeroporto, que fora do seu escopo, bateu o pé e não permitiu q a estação fosse construída no terminal…

  4. Qual será a designação do aeromóvel no mapa do transporte metroferroviario ? Vai se tornar a Linha 0 – Branco ?

Comments are closed.

Previous Post
Trem intercidades fica mais caro em 2024 (Shreder 9100)

Trem Intercidades entre SP-Campinas custará R$ 14,2 bilhões após reajuste

Next Post

Trem Intercidades: um projeto empobrecido e longe das necessidades atuais

Related Posts