Destaques Linha 1 Linha 2 Linha 3 Metrô de São Paulo

Alstom deve entregar versão final do sistema CBTC da Linha 2-Verde nesta sexta-feira

Ramal do Metrô ficará completamente fechado até às 10 horas para testes do software de sinalização fornecido pela Alstom
Versão final do CBTC da Alstom será usada na Linha 2-Verde (GESP)

Uma novela que se arrasta desde 2007 deverá ter um dos seus mais importantes “capítulos” neste feriado de 15 de novembro. Trata-se dos testes com a versão final do sistema de sinalização CBTC na Linha 2-Verde do Metrô que ocorrerá até às 10 horas da manhã desta sexta-feira e que fará com que o ramal fique completamente fechado para o público.

Os testes estavam marcados para o domingo, dia 3, mas os exames do Enem fizeram o Metrô mudar de ideia e evitar qualquer dificuldade para os usuários. Ônibus do sistema PAESE atenderão os passageiros durante esse período, em que há baixo movimento na linha.

Segundo apurou o site, a Alstom, empresa contratada para implementar o sistema CBTC nas linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha, deverá entregar a versão definitiva do software que controla os trens, o que deveria ter ocorrido em 2012, prazo original previsto em contrato. No entanto, a empresa francesa ultrapassou quaisquer limites de bom senso para aprimorar a tecnologia, cujo contrato inicial previa o pagamento de R$ 417 milhões, valor que foi majorado em R$ 68 milhões mais tarde.

A história da troca do sistema de sinalização no Metrô remonta a 2007 quando a gestão do governador José Serra decidiu aumentar o número de trens nas três linhas originais como forma de dar conta da crescente demanda. A solução para isso foi substituir a tecnologia ATC pelo CBTC, mais moderna e capaz. O problema é que essa conversão deveria ser feita sem que as linhas deixassem de operar, o que tornou os testes mais complexos e realizados em horários alternativos.

Em 2008, o Metrô selecionou a Alstom para executar o serviço, mas o consórcio Thales Rails Signaling Solution entrou com o recurso contra o resultado logo depois. A empresa francesa, no entanto, acabou assinando o contrato em abril com previsão de entregar todo o sistema nas três linhas em outubro de 2012. A linha escolhida para servir de protótipo foi justamente a 2-Verde, por ter um movimento menor e estar em expansão naquela época.

Como os trens são mantidos em distâncias seguras

Longa fase de testes

No final da década passada, um trecho inicial do CBTC começou a funcionar entre as estações Vila Prudente e Sacomã. De lá, as composições voltavam a operar sob o controle original até Vila Madalena. O desenvolvimento do sistema, entretanto, passou a sofrer imensos atrasos e até questionamentos na Justiça. O Metrô teria solicitado adaptações para que o CBTC funcionasse de forma mais parecida com o ATC enquanto a Alstom, multada, reclamava que nunca havia instalado um sistema assim em uma linha em operação.

O sistema CBTC passou então a operar aos domingos em toda a linha e aos poucos passou a ser adotado em outros períodos até que em 2016 a Alstom liberou sua operação durante os dias da semana. Mas mesmo assim, os problemas foram grandes e exigiram que a linha parasse por vários períodos para correções. A situação evoluiu, mas não a ponto de o sistema ser considerado totalmente maduro, o que se espera agora com essa versão mais recente e, espera-se, definitiva.

Com o fim dessa etapa, a Alstom deve se concentrar em preparar a implantação do CBTC nas outras duas linhas do Metrô e que têm um movimento muito maior, de cerca de 1,5 milhão de pessoas por dia. A Linha 3-Vermelha tem passado por interrupções aos fins de semana para a instalação dos equipamentos necessários e a previsão informada pelo secretário Alexandre Baldy é de que o sistema comece a funcionar nela até o final de 2020.

Mais testes em outras linhas

Por falar em Linha 3, o ramal também terá interrupções em seu funcionamento nesta sexta-feira (15). A partir das 16h30 os trens circularão com maiores intervalos por conta  da interdição de uma das vias da linha entre Penha e Carrão. Os trabalhos de implantação do sistema CBTC ocorrerão até o fechamento da linha – a Linha 3 voltará a funcionar normalmente no sábado.

Já a Linha 15-Prata, de monotrilho, ficará fechada de sexta-feira à domingo entre 4h40 e 14h em toda a sua extensão. Como o site antecipou, o Metrô e a Bombardier voltarão a testar o sistema CBTC para simular a operação entre Vila Prudente e São Mateus incluindo o trecho que deverá ser inaugurado nas próximas semanas. Assim como na Linha 2, será disponibilizado o serviço PAESE gratuitamente entre Vila Prudente e Jardim Planalto.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Airway