CPTM Destaques Linha 7 Trem Intercidades

Após ser concedida, Linha 7-Rubi deverá operar apenas entre Francisco Morato e Barra Funda

Etapas de implantação do projeto foram compartilhadas pelo presidente da CPTM e também mostram o Trem Intercidades operando inicialmente entre Jundiaí e Campinas
Trem da Linha 7-Rubi: fim da operação na estação da Luz após concessão (GESP)

Em apresentação realizada na 26ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, promovida pela AEMESP nesta semana, o presidente da CPTM, Pedro Moro, revelou alguns detalhes importantes sobre a concessão do Trem Intercidades, do serviço intermetropolitano e da Linha 7-Rubi. Num dos slides, o executivo detalhou as etapas de implantação do projeto e que será objeto de leilão em 2021. E elas prometem mudar profundamente as viagens dos usuários da companhia.

A concessão prevê não só a construção e operação do primeiro serviço de trem regional de São Paulo no trecho São Paulo-Campinas (e posteriormente até Americana) como também assumir a operação da Linha 7-Rubi da CPTM. E ela deverá sofrer alterações significativas em relação ao atual formato do serviço. Já se sabia, por exemplo, que a extensão operacional entre Francisco Morato e Jundiaí seria suprimida em favor do Trem Intermetropolitano, mas o slide de Moro revelou que o ramal deixará de atender as estações Brás e Luz no futuro.

Ou seja, a Linha 7 só funcionará entre Francisco Morato e Barra Funda quando todo o projeto estiver implantado. O encurtamento do trajeto no trecho dentro da capital paulista joga luz em declarações do governo Doria de que pretende levar as linhas 11 e 13 até Barra Funda e também da possibilidade de retorno da Linha 10-Turquesa à Luz. Sem a linha Rubi haveria espaço para isso na centenária estação.

De fato, o cenário futuro pode beneficiar essa estratégia afinal espera-se que em meados da década a nova estação Água Branca, integrando as linhas 7 e 8 com a Linha 6-Laranja, possa assumir parte do fluxo de passageiros que seguia até o centro. A baldeação na estação Palmeiras-Barra Funda com as linhas 3, 11 e 13 também completaria esse quadro para quem segue para a Zona Leste ou o ABC Paulista, por exemplo.

Trem Intercidades começando por Jundiaí e Campinas

No plano apresentado pelo presidente da CPTM, a futura concessionária iniciaria seu trabalho já com a Linha 7 operando a partir de Barra Funda, mostra o slide. Enquanto isso, ela trabalharia na revitalização de 44 km de vias entre Jundiaí e Campinas, hoje nas mãos da Rumo Logística. Outra novidade trazida por Moro é que o plano prevê vias eletrificadas nesse trecho, o que leva a crer que o governo desistiu da ideia de colocar trens movidos a biodiesel no serviço regional.

As etapas de implantação da concessão do TIC, TIM e Linha 7-Rubi (Reprodução)

Em vez do Trem Intercidades, a concessionária deverá estrear o Trem Intermetropolitano entre Francisco Morato e Campinas, com paradas em outras oito estações. Com isso, a extensão da Linha 7 seria desativada. Não se sabe se o governo pensa em estipular uma tarifa diferenciada do sistema integrado por conta das características do novo serviço.

Após essa fase, o Trem Intercidades seria inaugurado, porém, entre Jundiaí e Campinas, compartilhando as vias com o serviço parador. A chegada a São Paulo só ocorreria com o término da readequação das vias entre Jundiaí e Barra Funda e que exigirá a criação de trechos de ultrapassagens também conhecidos como ‘bypass’. Esse trabalho é o mais crítico por incluir também a mudança dos trilhos que serão usados pelos trens cargueiros, com túneis e outras adequações para segregar as vias.

Moro não falou em prazos, mas prevê que a audiência pública que detalhará o projeto deverá ocorrer em breve.

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

20 Comentários

Click here to post a comment
  • Bom, eu devo admitir que na minha ótica esta concessão da linha 7 está mais bem elaborada e explicada do que as das linhas 8 e 9 que ainda estão em um limbo só.

  • E Sorocaba nada né? Vamos deixar os trabalhadores/passageiros a mercê da Viação Cometa, até pq os ônibus que saem LOTADOS de 10 em 10 minutos da rodoviária de Sorocaba em horários de pico, não querem dizer nada, não há cota para ter trem entre Sorocaba e São Paulo. Piada!!!

  • Acho esse encurtamento horrível do ponto de vista da rede. A Linha 7 só deve ganhar conexões futuras na Vila Clarice e Água Branca (com a Linha 6) e na Lapa (com as Linhas 20 e 23). Perdendo o trecho Barra Funda – Brás, ela perde conexão com as Linhas 1, 4, 10 e 12, e isso deve sobrecarregar linhas 3 e 11. Lamentável.

    • Talvez isso seja pra dar espaço pra linha 13 ir até a Barra Funda. Mas, realmente, esse encurtamento é ridículo, podia pelo menos deixar a linha 7 até Júlio Prestes igual a linha 8 e ter um túnel de pedestres entre Júlio Prestes e Luz, semelhante ao túnel entre Paulista e Consolação com as linhas 2 e 4. Mais um caso de privatização resolvendo todos os problemas, só que não!

        • Pois é, acho que a ideia deles seria fazer a linha 13 atrair gente com esse trajeto. Mas, concordo com vc, acho que a linha 13 precisa atrair usuários por outros motivos, não desse jeito.

          • Creio que o pensamento dos presidente da CPTM é considerar após a estação da estação Francisco Morato é interior deve ser operado pelo TIC. A região metropolitana sera atendida pela CPTM, EMTU e METRO.

  • Dessa forma essa concessão é lesiva ao interesse público e não deveria ser realizada.

    Não há o menor sentido em retirar a Linha 7 da Luz, quando este é o destino da maioria dos passageiros da linha.

  • Absurdo essa ideia,massacrar ainda mais o povo que já sofre a anos com essa linha, para beneficiar o próprio interesse.
    Baixo assinado já contra essa ideia !!!!!

  • Pior presidente, espero então que a concessão não aconteça nunca, o ABC não tem investimento nenhum, levar a Linha 10 para a Luz será algo para eles se conformarem como de costume, ainda bem que isso é a longo prazo e esse presidente estará longe da CPTM.

  • Isso daí não sai do papel. A linha 7 precisa de muito investimento só para melhorar o serviço que presta atualmente, imagina com todos esses serviços aí? Um trem demora uma hora ou mais entre barra funda e morato, imagina pra chegar até campinas e compartilhando com trem metropolitano e intermetropolitano?

  • Acho bom pro povo aprender! Na próxima eleição votem de novo em candidatos memes, que usam jargões tipo BolsoDória. Dória é longe um dos PIORES governadores de SP.

  • Boa matéria. Porém os erros de digitação comprometem bastante, dá a impressão de que a matéria foi feita às pressas e a página não possui revisor. Estou à disposição. Abraços.

    • Olá, George, tudo bem? Sim, foi feita às pressas, mas com conteúdo próprio e opinativo. Infelizmente, para quem tenta fazer jornalismo a realidade é essa. Contar com revisor é um luxo. Tempo e dinheiro são ativos raros hoje em dia e se esse problema atinge grandes redações que dirá de iniciativas modestas como a deste site. Agradeço pelo alerta, já revisei o texto. Abraços.

  • Péssimo o encurtamento da Linha 7 Rubi, linha que passa em uma região com mais de 3 milhões de pessoas. O ideal é manter a linha 7 Rubi até Brás.

  • No caso da linha 8, nada impede ser estendida até são roque, e de lá, partir um vlt até Sorocaba, pois se o problema é reformar a linha, de são roque pra Sorocaba, é bitola métrica. O que não dá pra aceitar é o abandono que ficou o trecho. Se precisar de mão de obra voluntária, eu me prontifico.

  • Considero o projeto bom que a atual administração deseja vir a implementar na linha 7 rubi, mas deve melhorar um ponto.
    Dentro pensamento do Pedro Moro e pelo atual secretário de transporte metropolitanos a região metropolitana tem que ser atendida pela CPTM e Metro, após a estação Francisco Morato é considerado interior quem deve responder após este trecho é o (TIC) e o o papel governo estadual só faria a regulação.
    A empresa que contratada que vai operar após trecho no (TIC) a empresa responsável poderia melhorar na conservação, manutenção e exploração aos demais territórios conforme esta previsto no seu projeto.
    A minha ressalva é na questão de manter seu trecho final na região central no município de São paulo na estação Luz, devido as diversas conexões e não sobrecarregará o sistema.
    Em relação as linhas 11 e 13 não mexeria tendo em vista que o serviço disponibilizado é bom, tendo oportunidades de ampliação para atender a outros territórios onde carecem de transportes sobre trilhos.

Airway