Até então “lenda urbana”, primeiro monotrilho da Linha 17-Ouro é apresentado

Novas composições fabricadas pela chinesa BYD irão operar sem a presença de condutor. Um sistema de baterias poderá movimentar os trens em caso de falta de energia
O primeiro trem da Linha 17 e não é ilusão de ótica (CMSP)

Nesta sexta-feira (25) o governo do estado realizou uma apresentação virtual do primeiro trem de monotrilho que fará parte da frota da Linha 17-Ouro. Trata-se de um momento há muito esperado e que era motivo de ironias nas redes sociais a ponto de ser considerada uma espécie de “lenda urbana” diante do imenso atraso do projeto.

A nova composição foi fabricada pela empresa chinesa BYD, que também é responsável pela implantação dos sistemas da Linha 17.

Ao todo serão entregues 14 trens com 5 carros cada. As composições deverão realizar o percurso de 8,3 km entre o Aeroporto de Congonhas e a estação Morumbi com intervalo médio de 3 minutos transportando cerca de 165 mil passageiros por dia.

O novo trem possuirá um sistema que permite a movimentação do veículo de forma automática, o UTO (Unattended Train Operation). Os trens que operam na Linha 15-Prata e 4-Amarela possuem esta mesma característica.

O projeto do monotrilho da Linha 17-Ouro desenvolvido pela BYD, apesar de utilizar como base o SkyRail, apresenta algumas diferenças de grande relevância. Destaca-se o fato do projeto ter sido adaptado para a viga da Linha 17, o que requereu uma adequação do projeto, inclusive com a construção de uma via de testes exclusiva de 800 metros para os novos trens na fábrica da empresa na China.

O trem apresentado nesta sexta é o chamado “cabeça de série”, que é usado para aferir os requisitos técnicos e realizar testes variados. Segundo o governo, será essa mesma composição que embarcará rumo ao Brasil no final do ano, contrariando a prática comum em que o segundo trem de produção é entregue enquanto o primeiro permanece realizando os testes na fábrica.

Durante a apresentação, o diretor da BYD no Brasil, Alexandre Barbosa, comentou que a empresa fará a partir de agora a implantação dos sistemas nas vias da Linha 17 enquanto acompanha os testes do primeiro trem na China.

Interior do trem da BYD (CMSP)

Segunda apresentação do primeiro trem da Linha 17

O evento desta sexta-feira teve ar de déjà vu, afinal quase cinco anos atrás a Scomi, então responsável pelo fornecimento dos trens, também divulgou imagens e vídeo de um suposto monotrilho da Linha 17. A unidade em questão, no entanto, só foi mostrada pelo lado externo e com os vidros escurecidos, o que fez com que houvesse desconfianças de que se tratava de fato de um trem do Metrô de São Paulo.

Desta vez, no entanto, o trabalho da BYD tem confirmado o acerto em contratar uma empresa mais estruturada e comprometida com o projeto. Basta notar que a conclusão do primeiro trem já havia sido prevista por ela para março. E apesar dos percalços jurídicos que atrapalharam seu desenvolvimento, a fabricante chinesa não economizou investimento para montar uma linha de testes seguindo o gabarito das vigas-trilho projetadas pela Scomi para colocar o primeiro trem em funcionamento.

O painel de estações, já com os trechos 2 e 3, ainda sem previsão (CMSP)

As imagens divulgadas pelo governo mostram que o interior do trem já conta com toda comunicação visual em português, bancos num padrão semelhante ao da Linha 15-Prata, e a ausência da cabine de comando, por conta do sistema de sinalização CBTC e o padrão GoA4, o mais alto em automatização da operação. Até mesmo o mapa eletrônico de estações aparece em uma das fotos já incluindo os trechos 2 e 3, ainda no papel.

Parece pouco provável que o projeto de construção dos 14 trens chegaria a esse patamar caso o consórcio Signalling tivesse sido habilitado em vez da BYD.

Hoje, com os graves problemas financeiros das empresas pertencentes ao empresário Sidnei Piva de Jesus, como o grupo Itapemirim, soa bastante provável que uma situação semelhante poderia ter ocorrido, como este site inclusive previu na época da licitação.

Tudo indica que nessa licitação o Metrô e o governo do estado fizeram a coisa certa.

Ricardo Meier

Total
133
Shares
18 comments
  1. Por que o trem já não está com as cores da viamobilidade, já que é ela a concessionária que vai operar a linha 17?
    Afinal evitaria o custo de repintá-lo.

  2. Muito legal, mas ainda não me desce na garganta que a estação de Congonhas terá o nome “Aeroporto DE Congonhas” se a outra estação de um terminal aéreo, lá em Cumbica, se chama “Aeroporto – Guarulhos”, sem o “DE”.

    O que custa manter um padrão?

    Mesma coisa está acontecendo na Linha 6 – Laranja, onde a existente estação Higienópolis – Mackenzie tem o nome do bairro primeiro.

    Porém as outras estações terão o nome do bairro em segundo, como a “FAAP – Pacaembu”.

    1. Lenda urbana!
      Prometido para a copa! Só que para a próxima copa.
      Talvez a humanidade pise em Marte antes desta roubalheira acabar.

  3. Decepcionante esse número de carros, minúsculo o trem. Vai ficar desproporcionalmente pequeno perto do tamanho das estações, e quero ver quando a linha for expandida, como vão suportar a demanda.

  4. Bom, mais um projeto chegando super atrasado por aqui.

    Mas, como sempre digo, melhor tarde do que nunca.

    Tava vendo um comentário acima, não sabia que a Via Mobilidade vai operar a linha 17 também. Fiquei totalmente por fora dessa concessão da 17.

    1. Trens não. Eram trolebus. Eram desenvolvidos no Brasil com empresas brasileiras. O projeto do Fura Fila era para operar com trolebus bi articulados. Se o Fura Fila ou Expresso Tiradentes tivesse sido bem acabado poderia ter um desempenho semelhante ao monotrilho. Aliás na China, na cidade de Xiamen, há um BRT muito semelhante ao Expresso Tiradentes.

  5. De nada adianta as fotos, o importante é esta linha estar pronta e funcionando. Esta linha deveria ir até o Jabaquara e,pelo menos, até Paraisopolis para realmente servir à população.

    1. Com certeza. Mas é que assim, com atrasos e etc, abre-se oporrunidades para desvios de verbas e outras falcatruas

  6. Acho que até eles ficaram com vergonha de tanto Roubarem com essa Obra, chegou-se na 2o Copa depois da prometida e nada, e vem com “Orgulho” do Governo, eu teria era Vergonha de terem roubado tanto, mas tanto que a obra será entregue e o povo pagará mais algumas décadas por essa Roubalheira descarada.

  7. É a estrutura mais feia já visto, um monte de concreto a céu aberto.
    Minhocao 2, daqui uns anos iremos pensar derrubar essa horrivel forma de construção.

    Devem deixar 2 estações prontas para a eleição.

Comments are closed.

Previous Post

CPTM instalará sistema para monitoramento de vias em seus trens mais modernos

Next Post

Subestação Iguatemi da Linha 15-Prata está em fase final de testes

Related Posts