As portas de plataforma da Linha 5-Lilás finalmente “atravessaram” o Rio Pinheiros nesta semana. A Bombardier, responsável pela instalação do equipamento de segurança, iniciou os preparativos para iniciar a montagem do equipamento de segurança na estação Campo Limpo, a primeira elevada do ramal que a recebê-lo.

Imagens divulgadas pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos nesta quarta-feira, 15, mostram o roteiro já conhecido de outras estações: descarregamento de colunas metálicas das fachadas e montagem de tapumes em parte da plataforma para armazenar os materiais.

Segundo a STM, agora são seis estações com trabalhos em andamento: Chácara Klabin, Moema, Campo Belo, Alto da Boa Vista, Largo 13 e Campo Limpo. A primeira delas a entrar em operação deverá ser Alto da Boa Vista.

Com isso, restam apenas quatro estações: Giovanni Gronchi, Vila das Belezas e as movimentadas Capão Redondo e Santo Amaro, onde as fachadas serão imprescindíveis diante da grande demanda que faz as plataformas ficarem cheias por muito tempo. A previsão é que todo trabalho seja concluído em 2021.

Contrato antigo

Se concluir o trabalho nos próximos meses, a Bombardier terá levado nada menos que uma década para cumprir o contrato assinado com o Metrô em setembro de 2011 no valor de R$ 171 milhões. Apesar dos atrasos seguidos, o mais recente aditivo do contrato citava um valor de R$ 202 milhões pelo serviço.

O plano do Metrô de São Paulo é instalar as PSDs em todas as estações das linhas 1, 2, 3 e 5.

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020