Ciclopassarela sobre o Rio Pinheiros será implantada ao lado da estação Berrini, da Linha 9

Prefeitura de São Paulo lançou licitação para realizar o projeto executivo e estudos ambientais da estrutura, que terá cerca de 600 metros e acesso à ciclovia da CPTM

A Prefeitura de São Paulo publicou na quinta-feira, 13, o edital para contratação de empresa que fará o desenvolvimento do projeto executivo, elaboração de projetos básicos e estudos ambientais para implantação da ciclopassarela Panorama, que passará por sobre o Rio Pinheiros e ficará ao lado da estação Berrini, da Linha 9-Esmeralda da CPTM, ao bairro do Real Parque e conjuntos habitacionais Panorama.

O custo do projeto deve ficar em torno de R$ 72 milhões e será bancado com recursos advindos da Operação Urbana Faria Lima.

O conceito da ciclopassarela Panorama (SPObras)

A futura ciclopassarela terá extensão aproximada de 600 metros com o seu acesso Oeste junto à Av. Magalhães de Castro e seu acesso Leste junto a Av. das Nações Unidas na confluência com a Rua Mario Gonçalves da Silva, ao lado da estação Berrini da Linha 9. Ambos os acessos bem como as conexões com as ciclovias existentes, paralelas às Vias Marginais e às linhas de trem, se darão por meio de rampas circulares.

Para abrir espaço para o acesso ao lado da estação, a Prefeitura deverá desapropriar um posto de combustível localizado no quarteirão ao norte do acesso de Berrini.

As propostas devem ser recebidas pela Prefeitura até o dia 4 de março, data em que ocorrerá a abertura dos envelopes. A SPObras, responsável pelo projeto, não divulgou um prazo aproximado para que a ciclopassarela fique pronta.

Passarela terá cerca de 600 metros de extensão (SPObras)

Acesso dificultado

Ao longo dos cerca de 22 km em que a Linha 9 percorre as margens do Rio Pinheiros são raros os pontos em que pedestres e ciclistas têm acesso facilitado às estações do ramal. Um deles é a estação Cidade Universitária por conta da existência da ponte de mesmo nome, localizada ao seu lado.

Há outras propostas de ciclopassarelas que poderão no futuro facilitar o acesso à linha de trens metropolitanos como o projeto do Parque Global, um empreendimento na altura da estação Granja Julieta e que pretende criar uma passagem elevada entre os dois lados do rio.

O projeto do Parque Global inclui uma passarela para ligá-lo à estação Granja Julieta (Bueno Netto)
Total
25
Shares
3 comments
  1. Com a despoluição do rio Pinheiros em que não é mais possível se sentir o mal cheiro e nem o aspecto visual desagradável que tinha até pouco tempo atrás, ficam plausíveis projetos de ocupação de suas margens. A linha da CPTM que passa ali, o próprio monotrilho, junto com o parque linear sendo implantado ajudarão a compor um novo cartão postal paulistano. Bem distante dos projetos do prefeito Jânio Quadros, que queria ocupar as margens dos rios paulistanos, como o Tietê, sem considerar sua despoluição e tratamento dos esgotos da cidade, em uma época que o tratamento era em torno do 20% na região metropolitana. Hoje, com índices de tratamento passando dos 80% é possível já se pensar em projetos como este.

  2. Muito bom, a região da estação Jurubatuba está necessitando urgentemente de uma solução parecida. A muitos anos prometem a ponte Jurubatuba/Veleiros mas até agora só promessas.

Comments are closed.

Previous Post

Confira os vídeos das obras das linhas 2-Verde e 15-Prata de dezembro

Next Post

CPTM vai adquirir mais de 2.900 toneladas de trilhos novos

Related Posts