CPTM divulga novas imagens de suas principais obras

Jean Carlos
Apesar de um prejuízo próximo ao R$ 1 bilhão em 2020, companhia vem trabalhando na modernização e zeladoria de suas estruturas
Comissionamento da subestação Mendes faz parte das obras de expansão e modernização (CPTM)

As obras de modernização, expansão e restauro têm avançado na CPTM. A companhia divulgou recentemente seu relatório de empreendimentos referente ao mês de abril de 2021. Novas fotos foram publicadas, mostrando que vários dos importantes projetos da empresa estão seguindo de forma satisfatória apesar do resultado financeiro que registrou um prejuízo de quase 1 bilhão de reais no ano passado.

Extensão da Linha 9-Esmeralda

A extensão da Linha 9-Esmeralda da CPTM comtempla a construção de duas novas paradas, as estações de Mendes-Vila Natal e Varginha. Com um acréscimo de 4,5km, a linha deverá atender uma região carente de transporte na zona sul da cidade e São Paulo. A expectativa por parte do governo é de que o atendimento possa atingir 110 mil novos passageiros todos os dias. As obras serão entregues em duas etapas: A primeira até Mendes-Vila Natal até o final de 2021 e Varginha com previsão em 2022.

Nas imagens é possível ver que as construções estão em estágio avançado na estação de Mendes-Vila Natal. A obra bruta foi finalizada e os trabalhos se concentram na instalação do acabamento e itens de segurança. As obras de transposição rodoviária apresentam avanços consistentes, como mostra a imagem do viaduto Jacopo Torriti. Na estação de Varginha as obras brutas seguem em ritmo mais lento, chegando a ser paralisadas momentaneamente mesmo de retomada total de obras. Na parte de sistemas temos o comissionamento da nova subestação de Mendes, que alimentará o novo trecho com energia elétrica para tração.

Estação João Dias

O empreendimento da estação João Dias carrega em si o ineditismo de ser uma obra bancada integralmente pela iniciativa privada. A construção está a cargo da construtora Telar que vem mostrando um excelente serviço marcado principalmente pela celeridade incomum nas obras de grandes empreendimentos como é o de uma estação ferroviária. A previsão é de que a estação esteja plenamente operacional até o ano de 2022 atendendo mais de 10 mil passageiros diariamente.

Restauro e acessibilidade na estação Luz

Na estação Luz prosseguem as obras que visam o restauro estético da estação além de obras que objetivam ampliar a acessibilidade para os passageiros que possam mobilidade reduzida. As ações de restauro visam recompor e reestruturar partes do prédio que acabam sendo danificados pela a ação do tempo. Para tanto, são contratadas empresas especializadas nesse tipo de serviço uma vez que as alterações devem ser sempre as mínimas possíveis nesses ambientes.

Em paralelo, as obras de acessibilidade visam propiciar o acesso facilitado aos elevadores através da construção de uma cobertura, o que evitará problemas com clima adverso uma vez que parte da estação não possui cobertura. O investimento nas obras foi da ordem de R$ 5,4 milhões e tem prazo para finalização até o final de 2021.

Restauro da estação Jundiaí

As obras de restauração também estão acontecendo na estação terminal da Linha 7-Rubi da CPTM. Os principais trabalhos visam recuperar os telhados e toda a sua estrutura de sustentação em madeira. A estação de Jundiaí está com sua plataforma 1 interditada faz alguns anos pelo risco que ela poderia representar para os passageiros. As obras de restauro também seguem a mesma metodologia das obras na estação Luz, onde o máximo de material é reaproveitado. O investimento é de R$ 6,8 milhões e a previsão de finalização do serviços é até o final de 2021.

Estação Jurubatuba

Uma novidade no relatório são as obras de reforço estrutural nos consoles da passarela da estação Jurubatuba. A estação se localiza na Linha 9-Esmeralda e atenda cerca de 17 mil passageiros diariamente. O valor do contrato das obras é de R$ 659 mil e tem previsão para ser finalizado até o final de 2021

Modernização das Linhas 10, 11 e 12

As obras de modernização das Linhas 10-Turquesa, 11-Coral e 12-Safira deverão ganhar maior ênfase ao longo dos próximos meses. Com a consumação do processo de concessão das Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda que foi garantido pelo consorcio ViaMobilidade Linhas 8 e 9, a CPTM ficará restrita em operar suas linhas consideradas mais precárias.

A modernização se divide em três etapas: reforço no sistema de energia elétrica das linhas 10, 11 e 12 no valor de R$ 168,8 milhões; implantação de sinalização CBTC nas linhas 10 e 11 no valor de € 169,6 milhões (Euros); modernização da sinalização da Linha 12-Safira no valor de R$ 14,5 milhões. O prazo para a conclusão de todos os empreendimentos é até o final de 2024.

Conclusão

Todas as obras aqui expostas possuem diferentes graus de importância. Enquanto algumas têm ênfase em recuperar o patrimônio histórico da qual a CPTM possui, outras possuem função mais técnica e visam preparar as linhas para o futuro onde uma maior demanda de passageiros poderá ser registrada. Transportar tantas pessoas com conforto e segurança é uma das metas prioritárias da CPTM e se refletem nos investimentos que estamos vendo atualmente.

Total
15
Shares
Previous Post

Metrô lança licitação para estudo de criação do polo multimodal da estação Palmeiras-Barra Funda

Next Post

Governo Doria prevê inaugurar estação Mendes-Vila Natal em 30 de junho

Related Posts