CPTM firma segundo termo aditivo para a finalização do sistema de sinalização entre Grajaú e Varginha

Prazo para a execução das obras na extensão da Linha 9-Esmeralda foi estendido em 10 meses sob um custo adicional de R$ 5,2 milhões
Trem na estação Mendes Vila Natal (Jean Carlos)

A CPTM publicou na sexta-feira, 1º de julho, o segundo termo aditivo para o contrato que visa a elaboração do projeto e implantação do sistema de sinalização no trecho Grajaú-Varginha da Linha 9-Esmeralda, englobando o Sistema de Controle de Tráfego (SCT) e o Sistema de Transmissão Óptico (STO).

O SCT e o STO são sistemas importantes para viabilizar a operação da extensão da Linha 9-Esmeralda, incluindo o trecho entre Grajaú e Mendes-Vila Natal que ainda está operando com restrições. Antes da liberação plena do trecho e a consequente abertura plena da estação é necessário comissionar todos os equipamentos, garantindo assim a segurança do trecho.

O projeto está atrelado ao Consórcio Integração formado pelas empresas Sprail Serviços Ferroviários e a Telar Engenharia e Comércio. Segundo o documento, houve acréscimo de tarefas a serem realizadas, bem como o aumento no valor e prazos do contrato.

Trecho após mendes em obras (Jean Carlos)

Dentre as principais acréscimos e decréscimos do segundo termo aditivo estão:

  • Instalação de cabos ópticos (redução de quantidade)
  • Instalação dos gabinetes do STO no trecho Mendes-Varginha
  • Adequação da sala técnica, porão de cabos e SSO da estação Mendes
  • Projeto geral e complementar
  • As Built
  • Análise de segurança
  • Adequação de software
  • Testes isolados de campo dos equipamentos do SCT
  • Testes integrados dos equipamentos do SCT em Campo
  • Testes operacionais integrados do SCT com o Sistema de Controle Centralizado (SCC – CCO)
  • Operação Assistida

Segundo o cronograma de obras, uma série itens do sistema de sinalização deverão ser montados e instalados em campo até março de 2023, sendo eles:

  • Proteção e detecção de sobrepasso (SPU)
  • Proteção contra violação de bloqueio (GVS)
  • Sinaleiros de LED de dois aspectos (Vermelho/Amarelo) tipo anão
  • Bobina de impedância e chapas contra vandalismo
  • Caixas de locação metálicas
  • Cubículo de energia 900 Vca/90hz
  • Montagem e instalação do ATO em estações e vias
  • Teste integrado do subsistema ATO
Sinaleiro, caixa de locação e bonde de impedância (Jean Carlos)

O cronograma ainda estabelece um prazo para a realização da operação assistida de todos os sistemas do trecho entre Grajaú e Varginha, incluindo a operação com o sistema ATO. Caso tudo corra dentro do planejado, os testes devem ser concluídos até junho de 2023

Com a formalização do segundo termo aditivo o valor do contrato receberá um acréscimo de R$ 5,2 milhões em investimentos. O prazo para a execução dos serviços aumentou em 10 meses, passando a findar-se em agosto de 2023. O valor total das obras é de R$ 54,5 milhões;

Valores do segundo aditivo contratual (CPTM)
Total
15
Shares
2 comments
  1. Creio que isso implique no horário da estação Mendes, vejo como problema da CPTM por não agilizar para a viamobilidade realizar os testes, apesar de já fazer alguns (poucos) em horário “diferente”, por exemplo de madrugada. Espero que façam logo isso para o funcionamento pleno da estação.

Comments are closed.

Previous Post

Comunicação visual das estações Itapevi e Ceasa é renovada

Next Post

Linha 1-Azul operou pela primeira vez com CBTC neste domingo, 3 de julho

Related Posts