CPTM só estaria utilizando dois dos sete trens novos da Série 2500 na Linha 13-Jade

Apesar de governo comemorar entrega das novas composições, infraestrutura do ramal ainda não permite redução de intervalos para ampliar oferta
Novo trem da Série 2500 e ao seu lado, um 9000: pouca utilidade (Renato Lobo/Via Trolebus)

Desde esta terça-feira (15), a Linha 13-Jade passou a contar com sete das oito composições da Série 2500, fabricadas na China. O que soa como um avanço na verdade ainda não se concretizou de fato, segundo apurou o site. E a provável razão envolve, para variar, a infraestrutura aquém das necessidades na CPTM.

A despeito de ter à sua disposição sete trens novos, a CPTM só estaria utilizando dois deles na prática Outros três estariam na reserva e dois, em manutenção pontual. A situação poderia ser um pouco melhor caso a companhia utilizasse apenas a Série 2500 na Linha 13, porém, duas composições da Série 9000 (Alstom), continuam operando nela, mesmo após tantas entregas seguidas e religiosamente divulgadas uma a uma pelo governo.

Por falar nisso, ontem o próprio secretário Alexandre Baldy postou um vídeo em que os passageiros são questionados sobre o novo serviço Expresso Aeroporto. Detalhe: dentro de um trem da Série 9000 que opera em conjunto com um Série 2500 no trecho Luz-Aeroporto de Guarulhos.

O site questionou a CPTM sobre essa situação e recebeu como resposta que “não existe previsão de redução de intervalos no momento”. De acordo com informações não oficiais, circulam na Linha 13 até quatro trens, dois no expresso e dois no serviço convencional, entre Engenheiro Goulart e a estação Aeroporto Guarulhos.

Ponte estaiada da Linha 13: sistema de sinalização ainda não permite redução de intervalos e uso de mais trens (CPTM)

Melhorias na infraestrutura

É de se supor que com a maior rodagem nas próximas semanas, a CPTM passará a utilizar por mais tempo o Série 2500 na linha, afinal ele foi projetado para ela e tem comodidades que combinam com o perfil do passageiro do expresso, como os bagageiros. De quebra, será preciso devolver os Série 900 para outros ramais, carentes de trens novos.

Também está bastante claro que a mudança no formato do serviço expresso é responsável por uma ampliação na demanda. Em imagens desta terça-feira, foi possível notar os trens mais cheios a ponto de a companhia ter ampliado a plataforma em Luz. Dados sobre esse aumento, no entanto, só estarão disponíveis em 2021 se o governo não resolver divulgá-los antes.

Mas as mudanças também evidenciam que a CPTM precisa concluir o quanto antes o sistema de sinalização da Linha 13 e assim reduzir o intervalo até Engenheiro Goulart assim como buscar acelerar a modernização das vias da Linha 12 a fim de permitir que os trens possam ser usados em mais modalidades de serviço, como o extinto Connect, por exemplo. Caso contrário, os oito trens da Série 2500 ficarão em grande parte do tempo sem utilidade.

 

Total
9
Shares
2 comments
  1. O que realmente deveria fazer a CPTM é completar o trajeto até o Terminal 3 de Guarulhos, só então será o Expresso Aeroporto

Comments are closed.

Previous Post

CPTM entrega mais dois novos trens para a Linha 13-Jade

Next Post

Preparativos para montagem dos tatuzões da Linha 6-Laranja são iniciados

Related Posts