Sugerida por Pedro Moro, presidente da CPTM, em evento no ano passado, as extensões da Linha 10-Turquesa até Luz e da Linha 11-Coral até Barra Funda foram citadas no balanço de 2019 da empresa, divulgado nesta sexta-feira, 3. Elas fazem parte do planejamento de transporte e projetos e que passaram por estudos de viabilidade técnica no ano passado. Segundo o relatório, as duas mudanças na operação dependem da conclusão desses programas e também melhorias nas vias, sinalização e fornecimento de energia, entre outros.

Sobre a Linha 10, o texto explica que estão “previstos dois loops operacionais (Luz – Rio Grande da Serra e Luz – Mauá), acessibilidade de todas as estações, renovação da frota, modernização e ampliação dos sistemas. Desta forma, a Linha 10 – Turquesa aumentará sua capacidade de suporte à rede integrada de transporte sobre trilhos, uma vez que auxiliará no equilíbrio do sistema metroferroviário, aliviando especialmente o fluxo de passageiros da Linha 2 – Verde do Metrô“.

Já a Linha 11 “será inteiramente renovada e contará com a inclusão da Estação Barra Funda em seu trajeto. Após conclusão de todo programa previsto o serviço será composto de 2 loops  operacionais: Barra Funda – Suzano e Barra Funda – Estudantes“, explica a companhia.

Embora desejadas pelos usuários, as duas extensões esbarram em restrições físicas e técnicas. A estação Barra Funda já possui plataformas para receber a linha Coral, mas essa mudança implica em compartilhar parte das vias com a Linha 7-Rubi a partir de Luz. Já a Linha 10, que já chega na centenária estação aos sábados com o Expresso Linha 10+, carece de plataformas para isso.

Uma possível solução envolveria a mudança do sistema de sinalização, do atual ATC, para o CBTC. Mais moderno e preciso, esse sistema permitiria que mais trens ocupassem as vias e até mesmo que as duas linhas compartilhassem os trilhos já que o intervalo médio, entre 3 e 4 minutos, é bem alto para o padrão da nova tecnologia, capaz de manter os trens separados por cerca de 90 segundos. Coincidência ou não, tanto a Linha 10 quanto a Linha 11 tiveram o contrato de instalação do sistema CBTC retomado no ano passado.

Estação Barra Funda: Linha 11-Coral já tem até plataformas disponíveis (foto: Alexandre Giesbrecht)

A ida da Linha 11 até Barra Funda aliviaria Luz nas baldeações com a Linha 7 e ainda facilitaria a ligação com a Linha 8, que hoje termina na vazia estação Júlio Prestes. Ao mesmo tempo, a Linha 10 tiraria usuários da estação Brás, hoje a que mais recebe ramais da CPTM – nada menos que cinco das suas sete linhas chegam até ela. Como afirma CPTM, a ida da linha Turquesa pode atrair passageiros que hoje estão usando a estação Tamanduateí para chegar à Linha 2-Verde do Metrô. Como se sabe, a ampliação da Linha 15 tem feito o ramal ficar sobrecarregado.

No entanto, essas propostas não devem tornar-se realidade tão cedo, afinal dependem de projetos que ainda estão em fases iniciais. Mas não deixa de ser uma esperança de melhorias na operação na região central de São Paulo, a mais crítica para a CPTM.

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020