Em entrevista, Rodrigo Garcia diz que Linha 17 não chegará a Paraisópolis

Governador afirmou que ramal de monotrilho “não vale a pena” ir até o Morumbi, porém, não apresentou solução de mobilidade alternativa
Obras da Linha 17-Ouro na Marginal Pinheiros: Paraisópolis sem metrô, segundo Garcia (iTechdrones)

O governador do estado, Rodrigo Garcia, que assumiu em abril o cargo no lugar de João Doria, afirmou durante entrevista ao podcast “Cortes do Inteligência” que a Linha 17-Ouro do Metrô não será mais expandida até Paraisópolis.

Segundo o atual governante, “não vale mais a pena subir com o monotrilho até Paraisópolis e parar no Morumbi“. Garcia, no entanto, não justificou a decisão. “O monotrilho…hum…enfim…“, comentou o tucano ao ser indagado pelo apresentador Rogério Vilela sobre as razões que o levaram a confirmar o fim do projeto.

A declaração contrasta com recentes afirmações de membros do governo e do ex-secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, que havia dito em agosto do ano passado que o Metrô havia conseguido uma solução para que a Linha 17 contornasse um condomínio residencial que foi construído no caminho do ramal – a apresentação do projeto, no entanto, nunca ocorreu.

Em novembro, Paulo Galli, sucessor de Baldy, garantiu que o monotrilho seria implantado em sua totalidade após a conclusão do trecho prioritário, em obras. No mês seguinte, Paulo Meca, diretor de engenharia e planejamento do Metrô, disse em entrevista à ABIFER que tanto Galli quanto Silvani Pereira, presidente da companhia, deram aval para seguir com o projeto das extensões. – há também a Fase 2, que conectará o monotrilho à Linha 1-Azul, no Jabaquara.

Esta semana, inclusive, obtivemos autorização do presidente e do secretário para a gente retomar as conversas para as duas extensões da Linha 17”, explicou Meca na ocasião.

O trajeto da Linha 17-Ouro

Com cinco novas estações, a chamada Fase 3 da Linha 17 contemplará paradas no Panamby, onde está sendo implantado o complexo Parque Global, Américo Mourano, Estádio Morumbi, ao lado da arena esportiva, e São Paulo-Morumbi, onde haverá conexão com a Linha 4-Amarela – além de Paraisópolis, considerada a mais importante do trecho pelo impacto social na comunidade.

Garcia não chegou a ser questionado sobre uma possível alternativa de mobilidade tampouco teve iniciativa de tranquilizar a população da região, que aguarda há anos a ligação com a malha metroferroviária.

Com um tecido urbano desordenado e um relevo acidentado, a região sofre com constantes congestionamentos, violência e grande desiguldade social. Não há dúvida que a extensão do monotrilho poderia minimizar esses efeitos nocivos já que as vias da Linha 17-Ouro encontram-se a menos de 2 km de Paraisópolis.

O site questionou a Secretaria dos Transportes Metropolitanos sobre a declaração do governador e atualizará a nota caso tenha uma resposta.

Total
16
Shares
33 comments
  1. Com base no que não é viável, sendo que por uma década foi? Pela mesma “não-viabilidade” da Linha 18?

    1. Depois que as concessões das Linhas 8 e 9 apresentaram inumeráveis problemas, inclusive com a alegação da falta da manutenção preventiva nas composições que serão devolvidas a CPTM, e as obras e as duas tuneladoras da Linha 6-Laranja mergulharam no esgoto fétido causando enorme prejuízo e atraso levando junto as candidaturas Bolso Dória / Garcia!
      Tem sido habitual este tipo de ação com grande prejuízo para o erário público, divergir do gestor anterior como aconteceu com a Linha-18 Bronze com Alkmin/ Dória entre outras, e nesta etapa do andamento das obras, sob a alegação que não atende à demanda não possui respaldo técnico algum.
      Primeiro constrói uma linha de cada vez, concluam primeiro todas as que estão incompletas e inacabadas, principalmente da CPTM, que nem a Estação Pirelli está reconstruída, somente após isso que se comece novas implantações.
      NÃO PULAR ETAPAS! Um dos maiores erros crônicos persistentes do Metrô é fazer o uso político e tentar ludibriar a população com fantasias e anunciar que vai construir várias linhas ao mesmo tempo, conhecendo a histórica instabilidade política econômica do nosso país.

  2. Desde já Rodrigo Garcia se mostra um governador pior que o Dória com toda certeza, pelo menos no que diz respeito ao transporte urbano. Onde está o argumento para não levar o monotrilho até Paraisópolis? Deve estar no mesmo lugar que o argumento para transformar o monotrilho da linha 18 Bronze em corredor de ônibus. Um absurdo, ainda bem que esse cara fica só até o final do ano.

  3. Baniremos esses politiqueiros que não têm compromisso com o povo, é melhor que esse sujeito desista de sua candidatura, já era para ele!

  4. Se ir até Paraisópolis não vale a pena, então ter a linha 17, com uma baita estrutura como essa pra percorrer de 8 a 9 kms, também não faria sentido.

  5. Acho que qualquer governador eleito não continuará esse projeto. Os problemas foram enormes nos últimos 10 anos. Enquanto a linha 18, nenhum candidato de 2018 não demonstrou o interesse com o ramal. Todos falavam de metrô e de maneira aleatória. Por incrível que pareça o único que tinha algum projeto de continuação das obras paradas era Dória. Mas ele já falava em não implantar novas linhas de monotrilho. Existe reportagem sobre isso.

    1. Discordo, isso de achar que obra pública é desnecessária costuma vir muito de políticos do PSDB e da direita. Pra eles tudo que for pro povo é apenas gasto e vão evitar ao máximo fazer algo que seja revertido no bem-estar da população se isso não der muito lucro. Os problemas com a linha 17 vieram muito de má gestão que vem desde a época do Serra, passando pelo Alckmin, Dória e chegando agora no Garcia. A linha 15 também é monotrilho e as obras até que vem andando relativamente bem. Tudo pode ser feito, desde que exista vontade política pra isso.

  6. O cara demonstra claramente que não conhece a rede metroviária, simplesmente não mencionou que o monotrilho terá interligação com a linha lilás do metrô na estação Campo Belo!

    1. Exatamente… Ele dá a entender que a possibilidade mais perto de pegar metrô e monotrilho (linha 17) é descer na linha amarela e pegar o trem pra ir até a estação morumbi… está por fora

    2. Não só com a linha 5 do metrô, mas também com a linha 9 da CPTM, corrigindo, Via Mobilidade.

  7. O Estado precisa vir explicar essa afirmação, pois esse argumento do atual governador (antes vice do governador João Doria) parece que quer validar uma possível mudança para implementação do BRT para substituir os demais traçados da Linha 17, como foi feito na Linha 18.
    É muito estranho.

  8. Esse é o retrato do PSDB, já estão a quase 30 anos no governo com essa lentidão nas obras e ainda querem mais? Já deu chega de tucanicies!!!

  9. A possível solução será um BRT. Vários especialistas falam isso. Não dúvido que até a linha 6 laranja vire um BRT. A linha 15 poderia ser um BRT. Muitos especialistas falam.

    1. Linha laranja virar BRT, que planeta vc está vivendo, meu caro? Com um consórcio tocando as obras e com várias estações já em construção, vai demolir tudo e por um ônibus passando sobre as casas? Tudo certo!

    2. Não viaja, só por causa do acidente, vai virar tudo BRT? Uma cidade tão sobrecarregada como São Paulo não merece um transporte tão ineficiente. Somente com muito planejamento (e com ressalvas) esse sistema pode ser razoável. O monotrilho é um ótimo sistema de transporte, mas a incompetência dos governantes fizeram o modal ficar com fama de ruim. A Linha 15 está funcionando muito bem e é a linha mais bem avaliada pelo público. Será mesmo que o monotrilho é problema?

    3. BRT é uma invenção mal feita de políticos que usam o metrô como propaganda e quando se elegem ou não constroem nada ou então trocam para BRT alegando que um “especialista” falou ou então alegam falta de verbas (o que é uma mentira) e ainda por cima levam 20 anos para se concluir uma obra.

      BRT só funcionou no Brasil em Curitiba e no passado, pois hoje em dia até lá já esta saturado… Metrô tem sempre que ser a prioridade de qualquer grande cidade.

  10. Enquanto era favorecer uma minoria de elite para ligar metrô ao aeroporto de Congonhas, o projeto era viável. Agora que resolverá um problema gravíssimo de violência, desigualdade e densidade populacional para a classe trabalhadora, aí o projeto deixa de ser viável, que estranho né? Governador mal assessorado, fazer uma declaração dessas as vésperas do processo eleitoral iniciar.

  11. O monotrilho não atenderia a demanda de Paraisópolis. Melhor não fazer do que fazer mal feito. Na realidade, o projeto da linha de 17 nunca deveria sair do papel. Foi um projeto eleitoreiro.

    1. Agora que o projeto já saiu e as obras do trecho já passaram da metade, que façam completo. Melhor do que jogar mais dinheiro fora desistindo de tudo.

      1. Jogar dinheiro fora é levar pra Paraisópolis. Seria preciso desapropriar propriedades milionárias para no fim colocar as pessoas no teto, pois aqueles trenzinhos não dariam conta da demanda. A própria população ficaria indignada com o serviço prestado.

        1. Discordo, Paraisópolis dá pra ser atendida sim com o monotrilho. Achei errado foi a linha 15 ser monotrilho, apesar que até pra enorme população de Sapopemba/São Mateus ela tem conseguido dar conta, então Paraisópolis também conseguiria. A linha 17 não tem tanta desapropriação assim, é melhor fazer o monotrilho, até porque se for fazer metrô tradicional aí é que dá mais desapropriação mesmo.

          1. Um projeto desse porte e valor não deve pensar apenas na demanda atual. Deve-se pensar na demanda daqui a 20, 30 anos. Imagine Paraisopolis daqui a 30 anos totalmente verticalizada, seria um caos. A região da Sapopemba é uma das região menos verticalizadas da cidade. Os projetos dos monotrilhos se mostraram extremamente caros, sem a vantagem de não servirem a médio/longo prazo. A lógica é simples, se é tão caro quanto um metrô com a desvantagem de suportar 1/5 da demanda do metrô, então é melhor fazer logo um metrô.

    2. Joselito, você está enganado. Primeiro que, pelos estudos de simulação, a Linha 17 daria conta sim da demanda de pico de Paraisópolis com intervalo mínimo entre trens em torno de 2 min e meio (mas poderia operar com intervalo menor se fosse preciso). Além disso, a Linha 17 não seria pendular, logo teria uma demanda mais diluída sempre em 2 sentidos (L4 — SP-Morumbi e L1 — Jabaquara).

      E quanto à capacidade de um monotrilho, você está ainda mais equivocado. O da L15 carrega praticamente 2/3 (dois terços de um trem de metrô convencional). Mas quem disse que um monotrilho não poderia ter mais carros e carregar exatamente o mesmo que um metrô convencional?!

      Enfim, precisamos de MAIS monotrilhos (além de metrô e trens convencionais) e não menos!

  12. O projeto atenderia com folga a semana de Paraisópolis. E nunca foi eleitoreiro mas fruto de 20 anos de pesquisa do metrô.

    Seu pensamento, Joselito, inválida o metrô em São Paulo, pois todos os projetos enfrentaram as dificuldades inerentes a projetos desse porte e ainda assim prosseguiram. Se São Paulo começar a desistir do metrô agora, não teremos mais nenhuma linha de metrô em obras.

  13. Tem acabar com com esse negócio de querer substituir metrô-monotrilho por ônibus.

    No Brasil, o BRT só deu relativamente certo em Curitiba e porque construíram o sistema cerca de 50 anos atrás e quando a cidade tinha 3 vezes menos gente que hoje, falei relativamente pois lá em Curitiba o sistema de BRTs de lá também já esta saturado a um bom tempo por causa do crescimento da população e sempre lá tem discussões para se implantar o metrô lá.

    Transporte sobre trilhos é insubstituível e necessário em qualquer grande cidade do mundo.

    E para terminar: FORA PSDB

  14. Sistema metroviário em bairro rico recebe reclamações dos moradores com medo de “gente diferenciada”, sistema metroviário em bairro pobre é inviável. Dá a impressão que não querem mesmo construir um sistema de transportes para beneficiar os mais carentes. É o PSDB né…

  15. O monotrilho até Paraisopolis iria melhorar a mobilidade para esta região. Além disto poderia ter um ter um terminal de ônibus e vans . Menos ônibus e vans circulando pelo centro expandido iria melhorar o trânsito. Infelizmente a atual gestão não pensa a longo prazo e nem tem uma visão mais ampla.

Comments are closed.

Previous Post

Estações Belém e Bresser-Mooca têm plataformas preparadas para receber portas

Next Post

Varginha começa a receber a cobertura metálica da estação

Related Posts