Em relatório, Metrô diz que Linha 2-Verde até Guarulhos não é prioritária

Segundo diretrizes do projeto básico da Linha 19-Celeste, extensão da Linha 2 até a futura estação Dutra só deve ocorrer após implantação do novo ramal
Projeto da estação Dutra da Linha 2-Verde (Tetra)

Quando o governo Dória anunciou a retomada do contrato de construção da extensão da Linha 2-Verde no ano passado, o trecho entre Penha e a Guarulhos foi excluído provisoriamente. A justificativa era que existiam terrenos ainda a serem desapropriados, mas a gestão prometeu que as cinco estações e o pátio seriam construídas em breve. Entretanto, como já havia mencionado este site, o plano de levar o ramal até a futura estação Dutra esbarra num imenso problema, a demanda explosiva que recairia na Linha 2 ao entrar nos limites do município, o segundo maior do estado.

Dias atrás, quando o Metrô publicou os documentos associados à licitação do projeto básico da Linha 19-Celeste, um relatório da companhia reafirmou que o ramal de 17 km entre Bosque Maia e o Anhangabaú, no centro de São Paulo, tem prioridade sobre a extensão da Linha 2-Verde em Guarulhos. De acordo com a gerência de projetos da companhia, “foi tomado como premissa que a Linha 19-Celeste seja construída antes da extensão da Linha 2-Verde até a estação Dutra (também no município de Guarulhos)“.

O departamento técnico do Metrô reforça esse aspecto ao afirmar que “a prioridade da Linha 19 sobre a Linha 2 e outras linhas da Rede de Transportes também reflete nos dados de demanda de usuários e nas integrações intermodais, com destaque para as estações Dutra e Guarulhos“.

O temor da companhia envolveria a enorme quantidade de passageiros que recorreria à Linha 2 na estação Dutra para chegar a outros pontos da rede metroferroviária, transformando o ramal numa nova Linha 3-Vermelha, conhecida pela demanda pendular. Por essa razão, a Linha 19 é fundamental para concentrar a maior parte desses usuários, oferecendo uma viagem mais direta até o centro da capital paulista.

Por conta disso, o estudo de demanda publicado no edital prevê a Linha 2 apenas até Penha, trecho que está atualmente em construção. Segundo o cenário previsto para 2029, a Linha 19 deve atrair cerca de 630 mil pessoas em dias úteis. Só as estações Bosque Maia e Guarulhos devem movimentar 108 mil passageiros/dia.

A Linha 19-Celeste e o trecho da Linha 2 (com trajeto tracejado) até Guarulhos: prioridades (CMSP)

Boa parte desse fluxo de pessoas acabaria direcionado à Linha 2 caso ela chegasse até estação Dutra sem que a linha Celeste já estivesse pronta. Como se espera que o ramal vá atrair também usuários que hoje estão nas linhas 3 e 11, além do monotrilho da Linha 15, imagina-se em que situação os trens circulariam a partir de Vila Prudente, por exemplo.

Cenário distante

Se o Metrô se guiar apenas pela avaliação técnica, a cidade de Guarulhos deverá demorar a ver uma linha metroviária chegar até lá. Na hipótese de que a Linha 19 tenha mesmo prioridade sobre a Linha 2, isso significa que a população terá de esperar muitos anos até embarcar num trem dentro do município. Como já mostrado no site, a linha Celeste ainda está numa fase embrionária, com estudos de campo sendo feitos e o importante projeto básico, ainda a ser licitado.

Quando essa fase estiver mais avançada, será possível ao governo do estado modelar uma possível concessão à iniciativa privada, alternativa mais cogitada para tirar a Linha 19 do papel. Será bem difícil que isso se resolva em menos de dois anos, por exemplo, o que jogaria a inauguração para o final da próxima década. Enquanto isso, a Linha 2 poderia avançar duas ou três estações, mas mantendo uma distância razoável da divisa entre os dois municípios.

Vale lembrar que decisões técnicas não são uma constante no planejamento da expansão metroferroviária em São Paulo. Inúmeras vezes, governadores e seus secretários impuseram sua vontade, mesmo contrariando argumentos baseados em estudos fundamentados. O trecho entre Penha e Dutra está contratado desde 2013 e recebeu aditivos para se manter ativo, porém, depende da ordem de serviço para passar a valer. Se fosse dada a luz verde, poderia ser concluído por volta de 2027 ou 2028, mas é pouco provável que haja uma decisão clara de levar a Linha 2 até Guarulhos tão cedo por questões de orçamento, por exemplo.

Talvez, com um pouco de atraso, as duas extensões acabem sendo tocadas em épocas semelhantes, mas isso dependerá das próximas gestões. O site questionou o Metrô a respeito da informação constante no relatório e recebeu como resposta que “no momento a prioridade é a execução da Linha 2-Verde que está em obras”.

Total
22
Shares
10 comments
  1. Melhor focar nas obras que vão até a Penha e esperar em concluir no ano de 2026, entregando a população usuária tudo nos conformes no padrão de excelência do metrô de São Paulo.
    Após isso deve trabalhar até o trecho final até o município de Guarulhos com a linha 2 verde e pensaria na extensão da linha 13 Jade até a região do Bonsucesso.

  2. Interessante esta notícia sair logo depois do grupo estrangeiro fazer aquela proposta de concessão pelas linhas 2 e 20 sem a chegada da linha verde até Guarulhos noticiada dias atrás.
    Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos.

  3. Não existe compromisso algum que o governante que estará no poder após 2026 tenha continuidade, ou seja, assim como aconteceu com a Linha 18-Bronze e inumeráveis outras, novamente o planejamento técnico está sendo desprezado para serem tomadas medidas abstratas volúveis e adaptadas sem fundamentos técnicos plausíveis, desta forma é incoerente se lançar as Linhas 19-Celeste e 20-Rosa a se juntarem as dezenas de obras incompletas e que só serão viáveis após 2034, o texto publicado abaixo é esta comprovação desta absurda dupla exclusão.
    Grupo estrangeiro apresenta “proposta surpreendente” de concessão das linhas 2 e 20 do Metrô de 18 DE DEZEMBRO DE 2020
    “A chegada da Linha 20 até o ABC Paulista (Santo André) é citada como NÃO prioritária, apenas um investimento potencial que incluiria nove estações. Não há quaisquer menção à extensão da Linha 2 após Tiquatira e sua exclusão até Guarulhos, embora esse trecho esteja contratado pelo Metrô, mas sem previsão.”

    Neste texto fica explicito que além da supressão da Linha 2-Verde até Guarulhos, também a Linha 20-Rosa até Santo André ficara nas promessas por conta daquele cambalacho feito para excluir a Linha 18-Bronze, caso se realizadas infelizmente as Linhas 2-Verde e 20-Rosa a se juntaram as promessas vazias das dezenas de obras incompletas e que só serão viáveis após 2034.

    A reunificação das Linha 7-Rubi, e Linha 10-Turquesa com a melhor utilização da terceira linha central ociosa entre Brás e Santo André (Pirelli) continua a ser a opção mais rápida e econômica, mas os gestores continuam se focando no Metrô e desprezando a CPTM.

    Vale dizer que existem no mínimo duas opções mais econômicas e rápidas para se chegar até Guarulhos o município mais populoso do Brasil sem que se tenha de construir uma linha nova, que é expandir as existentes;
    1ª Estender a Linha 13-Jade (que hoje se encontra com baixíssima demanda) até a região de Bonsucesso, onde também seria também construído um pátio de manutenção.
    2ª Agilizar e se focar na extensão da Linha 2-Verde que está prevista para chegada em 2026 na Penha, porém sem previsão para Guarulhos.

  4. Se pelo menos fizerem em Fatias igual trecho Vila Prudente- Penha , tipo Penha – Tiquatira, depois Tiquatira Dutra mas com o Pátio Paulo Freire pronto

  5. O metrô e seu descaso com a grande sp,monotrilho para o grande ABC engavetado, metrô para Guarulhos só tem a plaquinha desde a época da minha vó, o metrô de sp na realidade era pra cobrir a grande sp inteira ,principalmente em Guarulhos que tem um aeroporto internacional eu moro em São Bernardo faz uma falta muito grande um metrô direto para Guarulhos ligando a São Bernardo abcd a Guarulhos mas só promessas infelizmente. O monotrilho que seria a solução para o ABC foi engavetado senhor Dória falou que o valor é muito alto. Agora querem fazer um BRT, aqui em São Bernardo chove muito temos muita enchente, principalmente onde será o trajeto do mesmo na divisa com São Caetano do Sul, seria viável se fosse no formato fura fila aéreo. Vai entender esses Gestores, projeto do monotrilho inviável muito caro, mas logo em contrapartida um projeto metrô subterrâneo segundo eles é mais viável. INTERESSE S PESSOAIS É O QUE ATRAPALHA MUITO O CRESCIMENTO DO METRO E CPTM EM SP. Infelizmente.

  6. A questão é que o governo do estado está e sempre esteve cagando para Guarulhos. Esse PSDB nunca lembrou de Guarulhos. Vide rodoanel.. que não termina nunca.. e que não atende em nada a Guarulhos.

  7. E sem contar as famílias que foram jogadas na rua sem receber nada até hoje aí simplesmente não tem mais pressa não é prioridade , isso ninguém fala .

  8. E o trecho entre Penha e Tiquatira, conectando inclusive com a Linha 13? O Governo também não vê como prioritário?

  9. Nenhuma novidade!

    Desde o início, a equipe técnica de planejamento do METRÔ (a qual, normalmente, baseia-se essencialmente em dados técnicos reais para tomar decisões) NUNCA disse que a Linha 2-VERDE poderia chegar sozinha a Guarulhos (só políticos que ficam com essas “promessas” vazias).
    A expansão desta linha até lá SEMPRE esteve (e sempre estará) condicionada à existência também da Linha 19-CELESTE.

    Mesmo porque “somente” a chegada da Linha 2 à PENHA já é bastante arriscada para esta linha, sobretudo por conta das altas demandas atendidas nas integrações em Vila Prudente e Tamanduateí, que praticamente só trazem mais pessoas, não promovendo uma troca/recirculação de passageiros como em Chácara Klabin e Ana Rosa.

    A não ser que realmente o trabalho em casa (home office) continue sendo uma tendência forte e permanente também nos próximos anos de forma generalizada (independente de pandemia); senão (e até mesmo com home office), para poder chegar até Penha com menos sustos, será preciso, no mínimo, que o monotrilho da Linha 15 atenda até Ipiranga, e a Linha 10 da CPTM volte a passar da Luz.
    Além disso, também já será preciso pensar na Linha 5-Lilás atendendo a estação Ipiranga.
    E digo mais: talvez a chegada à Dutra (Guarulhos) da L2-Verde fique condicionada não só à L19-Celeste, mas também à Linha 16-Violeta.

    Compreendo a urgente necessidade de metrô em Guarulhos, o que certamente é para ontem. A demanda que, mesmo sem a L19, acabaria por acessar a L2 em Guarulhos é minoria —mas já causaria um impacto enorme!— comparada à demanda que já acessa ou acessará esta linha diretamente da cidade de São Paulo ou da região do ABC, por integração. Mas, justamente por ser minoria, ela não pode prejudicar uma imensa maioria. Resumindo em números, a vontade e necessidade de uns 300 mil passageiros (por dia útil), infelizmente ou não, não pode se sobrepor à necessidade de outros 1,3 milhão de passageiros diários.

    Ademais, com a expansão Penha-Dutra é possível fazer pelo menos 1/3 (um terço) da L19 entre seu terminal em Guarulhos (Bosque Maia) e o centro paulistano (Anhangabaú).

    Sem contar ainda que, tecnicamente, já existe trem abrindo portas na cidade de Guarulhos: a Linha 13-Jade da CPTM, que poderia se expandir até Bonsucesso (além de passar a ter estação na Rodovia Dutra, o que deverá ajudar muito, diminuindo a dependência dos ônibus caros, ruins, superlotados e demorados para o Metrô Armênia etc.) muito antes da L19 do Metrô ficar pronta.

    Se a Linha 1-Azul não pode ser expandida para dentro de Guarulhos, por já estar no limite, o que dizer da Linha 2 depois de Penha? Certamente, ela já estará muito mais saturada que a L1!

    Enfim, a seguir, deixo uma analogia para que todos possam refletir e se lembrar dela quando pedirem só expansões de linhas já existentes e bem demandadas, em vez de linhas novas para dividir demanda e não só transferir e somar em uma mesma linha.

    Uma linha é como um elástico. Se eu deixá-lo no seu tamanho original (pequeno), sem tensioná-lo (aumenta-lo de tamanho) talvez ele não tenha muita utilidade. Porém, se eu esticar demais esse elástico (ou seja, prolongar demais uma linha metroferroviária), vai chegar num ponto em que ele se romperá (colapso da linha). Para não chegarmos nesse extremo, o melhor é utilizar mais novos elásticos (novas linhas), para dividir tensões (demandas) e não só concentrar.

    Vejam, por exemplo, como a inauguração da Linha 4 e a expansão da Linha 5 tiveram e têm esse importante papel de DESCONCENTRAR as demandas, espalhando melhor as pessoas pela rede metroferroviária.

Comments are closed.

Previous Post

Obras da Linha 2-Verde têm empréstimo de R$ 2,9 bilhões aprovado pelo governo federal

Next Post

Entenda como será o novo túnel de ligação entre as estações Paulista e Consolação

Related Posts