O governo do estado anunciou oficialmente nesta segunda-feira (03) a retomada da expansão da Linha 2-Verde cujo projeto completo prevê sua chegada a Guarulhos. No entanto, a gestão de João Doria buscará tirar do papel apenas o trecho até a Penha, que inclui oito estações e 8,3 km de extensão. A expectativa é que esse novo trecho adicione 377 mil passageiros aos cerca de 800 mil que hoje circula no ramal.

O início das obras, no entanto, só deverá ocorrer no primeiro trimestre de 2020 e serem concluídas no final de 2025. Até lá, o que o governo priorizará é a elaboração dos projetos executivos do trecho, necessário para que os trabalhos comecem da melhor forma possível. O custo dos 8,3 km de ramal é de R$ 5,5 bilhões já incluídos os valores pagos para desapropriações, dos quais 96,5% já foram usados – há um total de 226 imóveis necessários para o projeto até Penha.

O Metrô também lançará uma licitação para a aquisição de 22 novos trens para a Linha 2-Verde assim como serviços de instalação de sistemas de alimentação elétrica, sinalização e controle, telecomunicações, portas de plataforma e auxiliares.

As estações que serão construídas nessa fase são Orfanato, Água Rasa, Anália Franco, Vila Formosa, Guilherme Giorgi, Nova Manchester, Aricanduva e Penha, que se conectará à parada homônima da Linha 3-Vermelha. Eis aí o ponto mais importante da expansão até aqui, a de aliviar parte da demanda do ramal que vai até Corinthians-Itaquera. Com a nova baldeação, passageiros que pretendem seguir até a avenida Paulista ou mesmo a Zona Sul de São Paulo poderão optar por trocar de linha em Penha.

É de se lamentar, no entanto, que a parada escolhida pelo governo fique próxima da futura estação Tiquatira cujo projeto prevê interligar a Linha 2-Verde às linhas 12 e 13 da CPTM. Seria um enorme ganho de tempo para os passageiros oriundos do Aeroporto de Guarulhos, por exemplo, que chegariam à região da Paulista com apenas uma baldeação.

O trecho que será construído, segundo o governo. O prazo informado pela STM é no final de 2025

Nas mãos de construtoras da Lava Jato

As obras da extensão da Linha 2 foram licitadas em 2013 e tiveram até contratos assinados na época, porém, sem recursos, o governo Alckmin decidiu suspender a emissão da ordem de serviço, que dá início de fato à contagem do prazo. O comunicado do governo do estado não esclare, mas as obras de expansão  estarão nas mãos de construtoras atingidas pela Lava Jato e pior, proibidas de participar de novas licitações após abandonarem as obras do Rodoanel Norte. É o caso da Mendes Junior que, associada à Isolux Corsan (outra que deixou obras inacabadas), teve o contrato rescindido após não concluir as obras do Lote 1 da rodovia, e também da CR Almeida, multada por deixar os trabalhos da Linha 17-Ouro, na sociedade que tem com a Andrade Gutierrez.

Mas, por uma preciosidade da legislação, a punição por inidoneidade só vale em novos contratos, portanto, a Mendes Junior poderia em tese assumir as obras porque já assinou o contrato para os lotes 3, 4, 5 e 7.

Quatro dos oito lotes das obras da Linha 2 foram vencidos pela Mendes Junior, que abandonou os trabalhos no Rodoanel Norte (GESP)

Veja abaixo os consórcios responsáveis pela obra e os valores das proposta na época da licitação em 2014:

Galvão Engenharia e Somague – R$ 1.474.084.404,05

LOTE Nº 1: TRECHO ENTRE O POÇO FALCHI GIANINI (EXCLUSIVE) E A ESTAÇÃO PENHA (EXCLUSIVE), COMPREENDENDO:
Túnel de via dupla em TBM monotubo;
Túnel NATM estacionamento Rapadura;
Estação Vila Formosa;
Poço Madri;
Poço Cestari;
Poço João Prioste;
Poço Julio Colaço;
Poço Soares Neiva;
Poço Rapadura;
Terminal de ônibus;
Superestrutura de via permanente do túnel de via, de estacionamentos e das estações entre o prolongamento existente após estação Vila Prudente (exclusive) e a estação Penha (exclusive);

CR Almeida-Ghella-Consbem – R$ 1.856.407.514,03

LOTE Nº 2: TRECHO ENTRE A ESTAÇÃO PENHA (INCLUSIVE) E O POÇO JOÃO DE OLIVEIRA (INCLUSIVE), COMPREENDENDO:
Túnel de via dupla em TBM monotubo;
Estação Penha;
Estação Penha de França;
Estação Penha, da CPTM;
Poço Penha;
Poço Padre João;
Poço Carlos Meira;
Poço Basuca;
Poço Baracela;
Poço Cabo Quevedo;
Poço João de Oliveira;
Túnel NATM de acesso ao Pátio;
Túnel NATM estacionamento Penha;
VCA de transição e elevado na chegada ao Pátio;
Superestrutura de via permanente do túnel de via, de estacionamento e das estações entre a estação Penha (inclusive) e o Poço João de Oliveira (exclusive) e acesso ao Pátio até o limite de fixação em lastro (exclusive).

Mendes Junior – R$ 599.589.559,07

LOTE Nº 3: ESTAÇÕES ORFANATO E ÁGUA RASA E TÚNEL NATM ENTRE O PROLONGAMENTO EXISTENTE APÓS A ESTAÇÃO VILA PRUDENTE E O POÇO FALCHI GIANINI, COMPREENDENDO:
Estação Orfanato;
Estação Água Rasa;
Túnel NATM entre o prolongamento existente após a estação Vila Prudente e o Poço Falchi Gianini;
Túnel NATM estacionamento Vila Prudente;
Poço Falchi Gianini;
Terminal de ônibus.

Mendes Junior – R$ 509.681.136,53

LOTE Nº 4: TRECHO ENTRE OS TÚNEIS NATM DE TRANSIÇÃO JUNTO AOS POÇOS CAPITÃO E COXIM, COMPREENDENDO:
Estação Anália Franco;
Poço Capitão;
Poço Coxim;
NATM de transição junto aos poços;
NATM via singela.

Mendes Junior – R$ 432.780.772,39

LOTE Nº 5: ESTAÇÕES GUILHERME GIORGI E NOVA MANCHESTER:
Estação Guilherme Giorgi;
Estação Nova Manchester.

Cetenco Acciona F. Guedes – R$ 704.617.281,46

LOTE Nº 6: ESTAÇÕES ARICANDUVA E TIQUATIRA:
Estação Aricanduva;
Estação Tiquatira;
Estação Tiquatira, da CPTM;
Terminal de ônibus e Ponto de Parada;
Estacionamento de autos.

Mendes Junior – R$ 579.365.773,17

LOTE Nº 7: ESTAÇÕES PAULO FREIRE E DUTRA:
Estação Paulo Freire;
Estação Dutra;
Terminais de ônibus.

Cetenco Acciona F. Guedes – R$ 563.789.976,19

LOTE Nº 8: PÁTIO PAULO FREIRE:
Infra-estrutura, Edifícios Administrativos e Oficinas do Pátio de Manutenção e Estacionamento de Trens;
Superestrutura de via permanente do Pátio de Manutenção, do Estacionamento de Trens e da via de teste, até o limite da fixação em lastro (inclusive).

 

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020