Destaques Linha 4 Metrô de São Paulo

Entenda como serão as plataformas da estação Vila Sônia, da Linha 4-Amarela

Governo do estado divulgou primeiras imagens que mostram área de embarque da nova estação, que deve ser inaugurada em janeiro de 2021
À direita é possível ver uma das plataformas tomando forma. Cada túnel abrigará um dos espaços de embarque de Vila Sônia (STM)

Nem plataformas laterais em um mesmo ambiente muito menos uma única plataforma central. Os passageiros que embarcarem na futura estação Vila Sônia, da Linha 4-Amarela, a partir de 2021 encontrarão um espaço diferente do que costuma existir nas novas paradas construídas pelo Metrô. Essa nova configuração pode ser notada com mais clareza nesta quarta-feira, 28, quando a Secretaria dos Transportes Metropolitanos divulgou imagens recentes das obras da estação.

Nelas é possível ver pela primeira vez uma das plataformas de Vila Sônia tomando forma em um dos dois túneis que acomodarão as duas áreas de embarque. Sim, na futura estação, embarques e desembarques ocorrerão em ambientes separados, uma solução que não é utilizada pelo Metrô há muito tempo. Foi nas estações Paraíso e São Bento que a companhia decidiu criar plataformas independentes, porém, nesses dois casos, elas estão em níveis diferentes.

Já na estação da Linha 4, a solução não fica clara já que ambas ficam no mesmo nível, como é possível notar no corte reproduzido na página. Bastante amplas, elas contarão com acessos laterais de onde os passageiros seguirão até uma das duas entradas que estão sendo construídas na avenida Francisco Morato. A maior delas ficará no sentido bairro e terá ligação com um terminal de ônibus e que está na reta final de construção.

Complexa, Vila Sônia também contará com túneis singelos para estacionamento de trens além de outras áreas de apoio para o pátio de manutenção vizinho. Interessante notar que a futura estação terminal da Linha 4-Amarela não estava prevista originalmente nessa fase. Ela foi uma alternativa ao cancelamento da estação Três Poderes, que ficaria entre Butantã e São Paulo-Morumbi, mas que acabou rejeitada pelos moradores por prever um terminal de ônibus. Nesse cenário, era São Paulo-Morumbi que faria o papel de estação terminal, inclusive com espaço para paradas de ônibus.

O corte da estação Vila Sônia e o nível das plataformas no destaque (STM)

Última estação subterrânea em construção

Vila Sônia também marca o final da segunda fase de construção da Linha 4, que foi iniciada nos anos 2000. Ela é a única estação subterrânea atualmente em obras em São Paulo, situação que deve perdurar por mais alguns meses quando a expansão da Linha 2-Verde até Penha começar os trabalhos de escavação.

Apesar de enfim encerrar o longo período de obras ao longo do ramal, Vila Sônia pode não passar muito tempo como estação terminal. Se o governo do estado for bem sucedido em encontrar uma forma de criar um aditivo na concessão do ramal para a ViaQuatro estender sua operação, será possível ver em breve as obras de duas novas estações, Chácara do Joquei e Taboão da Serra.

A previsão da gestão Doria é concluir Vila Sônia até dezembro, a tempo de inaugurá-la em janeiro de 2021.

Leia no Lulica
Como solicitar o passaporte alemão 9/7/2020

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Um comentário

Click here to post a comment
  • Confesso que não entendi a parte de plataforma nunca antes vista no metrô. Pelo que entendi, vai funcionar como na estação luz, onde o trem desembarca de um lado, faz a manobra e embarca de outro lado. Me corrija se estiver errado

Airway