Estação João Dias, da Linha 9-Esmeralda CPTM, tem início de obras autorizado

Segundo companhia, licença de instalação foi concedida oficialmente nesta sexta-feira (10); obras têm previsão de durarem cerca de dois anos e meio
Futura estação João Dias da CPTM: luz verde para início das obras, mas conclusão prevista apenas em 2023 (Divulgação)

A CPTM anunciou nesta sexta-feira (10) que as obras da estação João Dias, da Linha 9-Esmeralda, tiveram seu início autorizado por meio da concessão da licença de instalação pela Cetesb, um documento que permite que os trabalhos possam ocorrer. A nova parada é a primeira que será construída pela iniciativa privada, bancada pela Brookfield Properties e que serão tocadas pela construtora Telar, contratada diretamente pelo grupo.

A razão do interesse em assumir os custos da nova estação está no fato de ela ficar em frente a um grande conjunto empresarial da Brookfield, formado por duas torres de escritórios com 136 metros de altura e que foi concluído há alguns anos após anos de impasses. O projeto original previa o que seria o mais alto edifício de São Paulo, com 192 metros de altura, porém, a Aeronáutica impediu que ele fosse construído com o pretexto de afetar o tráfego de helicópteros na região.

Desde o começo da obra, a Brookfield tentava levar à frente o projeto da estação, mas a burocracia do estado fez o processo andar lentamente. Agora, o projeto de R$ 60 milhões poderá finalmente sair do papel, mas deve demorar a virar realidade afinal são 31 meses de prazo, ou seja, cerca de dois anos e meio, embora o governo acredite que o trabalho poderá ser entregue antes.

Uma possível razão para essa demora é o fato de as obras exigirem intervenções nas vias da Linha 9-Esmeralda além de interdições na Marginal Pinheiros. Esse trabalho, inclusive, ficará a cargo da CPTM.

“A futura Estação João Dias, construída a partir de uma parceria com a iniciativa privada, não beneficiará apenas as pessoas que trabalham no empreendimento, mas também levará mais opções de mobilidade a todos que circulam pela zona sul de São Paulo”, afirmou Pedro Moro, presidente da CPTM.

Apesar da autorização para que as obras sejam iniciadas, ainda não se sabe como a Telar pretende trabalhar. Além do acesso, que ficará no terreno dos prédios, todo o restante depende das mudanças das vias da Linha 9 que precisarão ser remanejadas na área para permitir que a plataforma seja erguida no centro dos trilhos. A nova estação, pelo que foi revelado em projeções, terá grande área envidraçada e uma concepção mais moderna que as demais paradas do ramal. A demanda estimada é de cerca de 10,5 mil usuários por dia útil, o que faria dela a 4ª menos movimentada da Linha Esmeralda.

Nota do editor: prazo de construção foi alterado de 37 para 31 meses, conforme informação corrigida pela CPTM.

Total
51
Shares
1 comment
  1. E politicagem levar a lina 2 ate a Dutra , pois descende o nivel da linha 2 que turistca pois passa pela paulista e o Sacoma q e proximo ao Museu paulista

    E 2o. Porque qro maior a diatanxia mais problemas vao ocorrer como por exemplo desvastes mecanicos. Por isso acho melhor fazer outra linha como estava antes (branca)..

Comments are closed.

Previous Post

Metrô conclui recolocação de esteiras e libera túnel entre as estações Paulista e Consolação

Next Post

Doria afirma que governo não investirá dinheiro público em novas linhas de metrô, mas realidade não é bem assim

Related Posts