Estação Vila Olímpia passa a contar com recursos sustentáveis

Parada da Linha 9-Esmeralda da CPTM é a primeira a ser remodelada para reduzir impactos ambientais ao reciclar uso da água, gerar energia solar, além de expandir espaço para bicicletas
Placas solares sobre a plataforma de Vila Olímpia (GESP)

A remodelação da estação Vila Olímpia, da Linha 9-Esmeralda, foi oficialmente entregue pelo banco Santander e pela Eletromidia à CPTM nesta terça-feira, 1º de junho. Graças a um convênio assinado com as duas empresas, a parada recebeu recursos sustentáveis para reduzir seu impacto ambiental.

Com isso, Vila Olímpia passou a contar com um sistema de captação de energia solar capaz de gerar 8.500 quilowatts-hora por mês e zerar a tarifa de energia elétrica do local, que chega a atingir um custo anual de R$ 300 mil. As placas estão instaladas na cobertura das plataformas.

A remodelação também possibilitou a captação e armazenagem de 46 mil litros de água para reuso nas áreas verdes e banheiros da estação, que deixa de poluir o rio Pinheiros. As duas empresas também implantaram um novo paisagismo com 1.454 m² de área verde que inclui  plantio de árvores no jardim central e cobertura vegetal de paredões dentro e fora da estação.

Para os usuários de bicicletas, a CPTM agora passa a oferecer um novo bicicletário com capacidade 90 unidades, além de pontos de recarga para modelos elétricos. Outra melhoria foi a instalação de calhas nas escadas para facilitar o transporte até a plataforma.

Houve ainda a substituição de equipamentos e mobiliário por itens feitos com material reciclável, como bancos com tomadas USB. Os usuários também poderão desfrutar de um espaço de convivência com assentos para descanso.

O convênio com o Santander e a Eletromidia tem prazo de duração de três anos, que assumirão a manutenção do local em troca de exposição publicitária. Segundo o governo do estado, a ideia é estender essa parceria para outras estações como Pinheiros, Hebraica-Rebouças, Cidade Jardim, Berrini, Morumbi e Granja Julieta.

Total
8
Shares
3 comments
  1. “A remodelação também possibilitou a captação e armazenagem de 46 mil litros de água para reuso nas áreas verdes e banheiros da estação, que deixa de poluir o rio Pinheiros.”

    Não entendi. Uma coisa é utilizar água de reuso e reduzir o gasto de água limpa/tratada, outra é reduzir a quantidade de esgoto que vai parar no rio. A menos que a parceria tenha envolvido o tratamento de esgoto também, mas isso não está na matéria.

Comments are closed.

Previous Post

AeroGRU propõe implantar People Mover de Guarulhos em fases

Next Post

Confira o status das principais obras em curso na CPTM em maio

Related Posts