Confira o status das principais obras em curso na CPTM em maio

Só no mês passado a CPTM entregou dois novos viadutos além de concluir a cobertura dos elevadores na estação Luz
Reforma da estação Jundiaí faz parte das obras em curso na CPTM (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

A CPTM, a despeito da pandemia, tem se esforçado para tirar do papel importantes obras de infraestrutura que prometem melhorar e ampliar seus serviço. Além de novas estações na Linha 9-Esmeralda, a reforma e cuidado com o patrimônio, há também projetos sistêmicos que poderão influenciar de forma positiva na experiência diária de viagem.

Para atualizar o público, a companhia publica um relatório de empreendimentos cuja edição mais recente foi divulgada recentemente. Veja a seguir como andam seus principais projetos.

Extensão da Linha 9

As obras de extensão da Linha 9-Esmeralda contemplam a construção de duas novas estações, viadutos rodoviários, ferroviários, energia e sistemas. O prolongamento de 4,5 km deverá ser entregue para a operação em duas etapas, sendo a primeira entre Grajaú e Mendes-Vila Natal prevista até o final deste mês. O trecho até a estação Varginha tem previsão de ser entregue apenas no ano que vem, possivelmente sob a gestão da ViaMobilidade.

Outra novidade importante foi a entrega dos viadutos rodoviários Micronésia e Jacopo Torriti. A implantação dessas obras de arte é importante para possibilitar o fluxo de veículos entre os dois lados da ferrovia. Anteriormente, existiam várias passagens em nível que poderiam interferir no tráfego dos trens. Com as obras na Linha 9, elas foram eliminadas, portanto, há uma dupla vantagem ao segregar o viário rodoviário do ferroviário, de forma que cada modal tenha seu espaço dedicado.

Estação João Dias

As obras da estação João Dias são fruto de uma parceria inédita com a iniciativa privada que bancou as obras. A cobertura e a passarela da estação aparentam estar completas, assim como a maior parte das obras brutas. A obra surpreende por sua velocidade, sendo que neste momento os trabalhos estão concentrados no acabamento, finalização dos pisos, instalação dos elevadores e escadas rolantes. Quando estiver em operação, no ano de 2022, poderá transportar mais de 10 mil passageiros diariamente.

Acessibilidade da estação Várzea Paulista

As melhorias de acessibilidade prosseguem na Linha 7-Rubi com a reforma da estação de Várzea Paulista. O objetivo é readequar as plataformas, ao mesmo tempo que se mantém a preservação do patrimônio histórico. Vale lembrar que a estação é tombada, portanto os serviços são realizados por empresas especializadas. A conclusão das obras da plataforma 2 está prevista para o segundo semestre deste ano.

Restauro da estação Jundiaí

A estação de Jundiaí é a última na Linha 7-Rubi. Anteriormente a estação terminal sofria com um precário estado de conservação, agravado pelo fato de também ser uma estação tombada pelo patrimônio histórico. As ações da CPTM tem revertido o quadro trágico e dando a esta importante parada o seu devido cuidado com ações de restauro e zeladoria. O foco das obras durante o último mês esteve nas reformas da cobertura, espaços internos, pilares e estruturas de sustentação. Espera-se que após a conclusão do serviços a plataforma 1, atualmente interditada, possa voltar a operar com os trens.

Restauro da estação Luz

O restauro da fachada da estação luz também tem tido progressos consistentes. O trabalho de restauração de vários pontos da estação vai aos poucos recuperando e relapidando o patrimônio e cartão postal da cidade de São Paulo. Assim como na estação de Várzea Paulista e Jundiaí, as obras na estação Luz são feitas por empresas especializadas. O foco está na manutenção do torreão leste, higienização, remoção e recomposição da argamassa.

Obras gerais na estação Luz

Foram concluídas as obras de cobertura dos elevadores na plataforma central e plataforma 1 (Linha 7-Rubi). A instalação dos equipamentos visava melhorar a acessibilidade, mas originalmente não contavam com a cobertura. Agora que foram instaladas, os passageiros contarão com maior comodidade em dias onde o clima se apresentar adverso.

Outra importante obra é o conjunto de serviços que contempla a ampliação da plataforma central, a instalação de uma passarela entre a plataforma central e a rua José Paulino, garantindo acesso ao parque da luz, e o corredor que ligará a plataforma 1 até a Sala São Paulo. O site fez um apanhado detalhado dos principais pontos dessas obras. Os trabalhos por enquanto estão em fase preliminar com a montagem dos principais canteiros de obra. A previsão da CPTM é que os serviços sejam concluídos no 1º Semestre de 2023.

Reforço na passarela da estação Jurubatuba

Os serviços para o reforço estrutural nos consoles da passarela da estação Jurubatuba também seguem dentro da normalidade. A atuação é importante para garantir a segurança da estrutura. A previsão é de que as obras possam ser finalizadas no 2° semestre deste ano. O valor investido foi de aproximadamente R$ 659 mil.

Instalação do CBTC

Por fim, não menos importante, as obras do CBTC nas Linhas 11-Coral e 10-Turquesa. Nos últimos meses foi possível constatar visualmente avanços em algumas frentes de trabalho. Na Linha 10 as equipes estão trabalhando principalmente nos aparelhos de mudança de via, equipamentos responsáveis pelas transposições dos trens entre vias. Na Linha 11 estão chegando mais equipamentos que deverão ser instalados ao longo das vias. Por se tratar de um serviço complexo que envolve desde a instalação, teste em campo e testes práticos, o prazo para a entrega do sistema é mais longo, com a previsão para finalização no 2º semestre de 2024.

Conclusão

As obras de modernização e reforma prosseguem na CPTM em várias frentes. Esse é um processo contínuo e que aos poucos vai amadurecendo. Obras como a extensão da Linha 9 e a estação João Dias já se mostram em fase final de implantação, enquanto outros contratos, como o do CBTC por exemplo, estão sendo retomados depois de paralisações.

Novas obras como a ligação entre a estação Luz e Sala São Paulo, bem como a operacionalização da plataforma central em sua extremidade leste, mostram que ainda há muito a ser feito. Em breve também deverão ocorrer obras subterrâneas com foco em ligar o saguão da CPTM com a Linha 4-Amarela, criando assim mais um importante corredor de transferência entre ferrovia e metrô. 

Total
1
Shares
3 comments
  1. CPTM investindo em acessibilidade e coberturas em estações com demanda baixissima (não que eles não merecam, pelo contrário, todos merecem ter acessibilidade e cobertura), enquanto estações com demanda enorme tipo Mauá e São Caetano, sequer possuem acessibilidade em todas as plataformas, nem mesmo cobertura nela toda, acho que a CPTM tem que rever algumas prioridades

Comments are closed.

Previous Post

Estação Vila Olímpia passa a contar com recursos sustentáveis

Next Post

Exclusivo: CCR fará estudo para concessão das linhas 11, 12 e 13 da CPTM

Related Posts