Falhas constantes na Linha 9-Esmeralda revoltam passageiros

ViaMobilidade, responsável também pela linha 8-Diamante, tem enfrentado problemas em administrar as linhas, com estações em condições precárias
Funcionários da CPTM na região de Grajaú (Jean Carlos)

A Linha 9-Esmeralda, operada pela ViaMobilidade, tem apresentado falhas constantes e deixado passageiros insatisfeitos. No mais recente caso de falhas, a grande quantidade de passageiros acabou gerando confusão na Estação Grajaú na noite de quinta-feira (19).

Em relatos e vídeos postados nas redes sociais, passageiros mostram a aglomeração de pessoas por volta das 19h. Segundo o portal g1, a ViaMobilidade disse que “alguns passageiros se revoltaram com o fluxo intenso na plataforma e discutiram com os agentes de segurança e atendimento da estação”.

Alguns usuários relataram nas mídias que pessoas começaram a bater em catracas por causa da demora para a chegada dos trens. A aglomeração teria sido causada por causa da velocidade reduzida dos trens para o sentido Santo Amaro.

A concessionária opera as linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda desde o final de janeiro, mas tem enfrentando problemas na administração, com o estado de várias estações em condições precárias. Ela é empresa parte do grupo CCR, que também é responsável pelas linhas 4-Amarela e 5-Lilás.

Estação Mendes-Vila Natal

Localizada no extremo sul de São Paulo, a estação Grajaú recebe grande fluxo diário de passageiros, mas poderia haver uma distribuição melhor dos usuários caso a estação Mendes-Vila Natal estivesse adequadamente ativa.

Apesar da inauguração ter ocorrido há cerca de nove meses, pelo ex-governado do estado de São Paulo João Dória, o local não funciona adequadamente. Por enquanto, há somente um um demorado passeio de pouco mais de 2 km que ocorre a cada 20 minutos nos horários menos favoráveis para uso do ramal.

O atual governador, Rodrigo Garcia, afirmou recentemente que a data de início da operação integral está marcada para o próximo dia 31 de maio.

 

Total
4
Shares
19 comments
  1. Nossa !
    Bom era no tempo da CPTM !
    Nunca tinha usuário na via, não aconteciam atrasos , era uma maravilha
    A concessionária agora tem que resolver em 100 dias os problemas queles não resolveram em um século
    Não adianta espernear, a máfia ferroviária tem que entender que não em mais espaço pra incompetência crônica e bandidagem

    1. Era bem melhor com a CPTM. Deveriam voltar pra ela, essa ViaMobilidade é muito ruim. A propósito, vcs não viviam dizendo que é só colocar na iniciativa privada que tudo melhora? Taí o resultado!

  2. O título deveria ser alterado para “Vândalos depredam estação e são enaltecidos pela mídia em geral”.

    Quebrar o patrimônio público não é revolta, é desordem com crime previsto em lei; toda e qualquer destruição do patrimônio público deveria ser rigorosamente criticada.

    Esse problema de hoje foi piorado consideravelmente pelos usuários que desceram a via (outro crime) impedindo a passagem dos trens.

    É lamentável ver este site minimizar crimes previstos em lei como algo natural; isso é também banalizar a desordem no ambiente público com justificativa infundada como se nunca houvesse acorrido falhas em gestões anteriores. Quem não se lembra entre 2011 e 2012 a linha 9 vivia com interrupções da viagem forçando os usuários caminharem pela via.

    Agora virem dizer que destruição das estações e trens é uma Revolução Francesa dos passageiros do Grajaú é a mais. Quem destrói é tão errado quanto os culpados pelo início dessa gestão atrapalhada.

    Gostaria de finalizar que tudo isso em parte é culpa do povo que votou em políticos amantes da privatização. Dória é o responsável por essa concessão; quem elegeu o Dória? O povo paulista!

    1. Além do povo sofrer com serviço Caro e Precário ainda tem que ficar quieto? Tá certa a revolta! E se a concessionária assumiu a linha, que trate de resolver os problemas. O $$ do contrato vai na conta desde o primeiro dia de assinatura, então a cobrança também tem que recair sobre quem fatura! Tá absolutamente certa a população!

      1. Você acha que a destruição sai do bolso de quem? O Ativo ainda é do estado. ACORDA!

        Cobrar melhoria é uma coisa, destruir é coisa de bandido, sem mais.

      2. Pergunta pro povo da L12 que lá nos anos 90, botaram fogo em trens e estações, chegando a destruir estações inteiras, quando anos que eles estão sem as estações destruídas.
        Se quebrarem tudo, simplesmente não terão mais trens e vão se virar com busão, uber, bike, pé.

    2. O povo esta certíssimo !!! tem que quebrar mesmo, essa palhaçada esta durando muito tempo já

  3. Uma vez que este blog é seus comentaristas é formado por pessoas bem informadas me tire algumas dúvidas;

    1ª-Quais os valores mensais que a ViaMobilidade desembolsa pela locação dos trens emprestados pela CPTM que ela alegou desconhecimento e reclamou que as manutenções estão atrasadas? Lembrando que considerei um equívoco nesta concessão das linhas 8 e 9 a não inclusão e devolução das composições que hoje nela trafegam, com obviamente o respectivo seu desembolso dos valores.

    2ª-Quais linhas foram expandidas pelas concessionárias permissionárias, ou apesar da concessão continuam sendo obrigação do Estado?

    3ª-Porque se deseja mutilar as Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa que com o Serviço Integrador-710 atualmente se conecta com a maioria das linhas do Metrô/CPTM por conta de um TIC até Campinas com demanda inferior a 10%?

    4ª-Porque não são divulgados para a população saber os valores ocultos nestas concessões de acordo com planilha do Plamurb 05/22 elaborada pelo Thiago Silva nas Linhas 5, 8 e 9 operadas pela ViaMobilidade e na linha 4 operada pela ViaQuatro?

    Lembrando que o pedágio na Anchieta/Imigrantes é R$30,20.

    1. Respondendo o que , humildemente sei:
      1 o contrato não prevê pagamento de aluguel dos trens
      2 Novamente, nenhum contrato d concessão prevê que o concessionário faça expansão, se quiser que a concessionária faça, tem que renegociar o contrato
      3 Não sei
      4 Não tem custo oculto no contrato .

      1. Sérgio, primeiramente agradeço a gentileza em responder estas questões das quais comentarei.
        1ª- Uma vez que o contrato não previu pagamento pela locação dos trens, não é um contra senso e ingratidão se reclamar da qualidade de um bem que será devolvido desgastado com valor depreciado sem custo algum!?
        2ª- Entendido, nenhum contrato de concessão prevê que o concessionário faça expansão, significa que as linhas incompletas não faz parte da concessionária concluir.
        3ª- *
        4ª- Nesta pergunta minha infelizmente esta incompleta. Seria; Porque não são divulgados para a população saber os valores “ocultos desembolsados pelo Estado nos custos das passagens” nestas concessões…ViaQuatro? que demonstrarei.
        Na Linha 5-Lilás, o valor da tarifa de remuneração está em R$ 2,25. Neste caso não há distinção entre passageiros exclusivos e integrados.
        Nas linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda, o valor da tarifa de remuneração (também sem distinção) está em R$ 3,33.
        Na Linha 4-Amarela, a tarifa de passageiros exclusivos está em R$ 6,01. Já a tarifa de passageiro integrados está em R$ 3,00. Considerando o valor atual da tarifa pública (R$ 4,40), que é aquela que se paga para acessar o sistema, a ViaQuatro recebe R$ 1,61 acima.
        Além disso, a tarifa de remuneração é reajustada anualmente, independentemente do valor da tarifa pública R$ 4,40, que é aquela que o usuário paga ao acessar alguma linha ou sistema. Isso significa que caso o governador decida segurar o valor da tarifa (como ocorre agora por conta do período eleitoral), a diferença sempre acabará sendo maior, aumentando os repasses por parte do poder concedente.
        A maioria dos usuários que imploram por concessões estão desinformados de forma deliberada destes custos de passagens ocultos apresentados que o Estado desembolsa, afinal os “gestores” desejam passar a imagem distorcida que concessão foi uma atitude melhor, e os custos são menores, e que o valor da passagem é o custo final!
        Lembrando que em todos os casos ainda há uma cláusula que cobre eventuais quedas abruptas de demanda como ocorreu na pandemia por queda de demanda , a tal frustração tarifária, significando que o risco praticamente zero para as concessionárias!

        1. Leoni, se o Estado não oferecer garantias, ninguém topa fazer uma concessão.
          Já pensou se um governador resolve não fazer reajuste da tarifa, como fica a empresa que tem que dar lucro aos seus acionistas ?
          Os custos das operadoras do Estado são muito mais altos do que das concessões, por motivos que não precisam ser repetidos aqui, mesmo com todas as garantias dadas as Concessionárias

          1. Ué, mas depender do Estado não é coisa de vagabundo? Não é a iniciativa privada a boazona que faz tudo muito bem? kkkkk, tendo uma babá dando tudo de mão beijada o mínimo que a Via Mobilidade deveia fazer era oferecer um serviço decente pra população, mas a verdade é que ela tá sendo bem pior que a CPTM!

  4. Em primeiro lugar: Não concordo com vandalismo, isso é crime e desculpa de pessoas de má índole para exercerem seus instintos primatas.
    Em segundo lugar: Sou usuário diário da linha 9 e sim posso AFIRMAR que infelizmente o serviço piorou muito depois que a Supervia assumiu. A linha 9 era a que tinham melhor avaliação dos usuários na época da CPTM. Torço para que a Supervia consiga se achar……, pois está difícil para quem utiliza a linha no dia a dia.

    1. Ninguém chama a linha 4 de SuperVia, ninguém chama a Linha Lilás de SuperVia. Esse esteriótipo só serve pra inferiorizar a CPTM e as demais ferrovias do país.

        1. A 5 piorou de qualidade com a concessão. A linha 4 é um filé mignon construído pelo metrô estatal e entregue novinho e de mão beijada pra CCR. Seria o cúmuo da incompetência ela fazer um serviço mal feito nessa linha.

Comments are closed.

Previous Post

Contrato para supervisão de obras de energia na Linha 10-Turquesa tem seu primeiro aditamento

Next Post

Concessão de espaços comerciais na Linha 3-Vermelha volta a fracassar

Related Posts