Licitação de concessão do metrô de BH tem data prevista para 28 de julho

Concessão para iniciativa privada prevê modernização da Linha 1 e construção da Linha 2 do Metrô de Belo Horizonte, sistema que hoje é controlado pela CBTU
Metrô Belo Horizonte., Fonte: Wikipedia

Em audiência realizada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) nesta sexta-feira, 25, foi apresentado o processo para a concessão do Metrô de Belo Horizonte, hoje operado pela CBTU, órgão federal.

O banco apresentou os documentos que serão necessários para as empresas que quiserem participar da licitação bem como também para receber sugestões e contribuições para o processo.

A data prevista para o pregão é dia 28 de julho deste ano, sendo o edital lançado 45 dias antes, isso caso não haja nenhum empecilho após a análise do Tribunal de Contas da União (TCU).

A concessão prevê a modernização e a ampliação da Linha 1 além da construção da Linha 2 de Belo Horizonte, com operação dos serviços por 30 anos. Serão destinados R$ 3,2 bilhões para o metrô, sendo R$ 2,8 bilhões do Governo Federal e cerca de R$ 428 milhões do Governo de Minas Gerais, vindos do acordo de reparação com a Vale. Os investimentos totais são estimados em R$ 3,7 bilhões e serão complementados pela iniciativa privada.

Hoje a Linha 1, única existente em Belo Horizonte, conta com 28,1 km e 19 estações ligando Contagem a capital mineira. Já a Linha 2 terá cerca de 10 km e 7 estações, ligando o bairro Calafate, na região Oeste de Belo Horizonte, ao Barreiro. Ela se conectará à Linha 1 na estação Nova Suíça e juntas devem transportar diariamente cerca de 260 mil passageiros.

Abaixo, o vídeo que mostra como foi a audiência e os detalhes apresentados.

Total
3
Shares
6 comments
  1. Uma dúvida pois realmente não localizei essa informação: será que há estudos para fazer uma PPP na CBTU de Recife e a Trensurb?

Comments are closed.

Previous Post

ViaMobilidade inicia mudanças na comunicação visual nas estações das Linhas 8 e 9

Next Post

Movimento de passageiros no Metrô e CPTM cresceu apenas 5% em 2021

Related Posts