O furto de cabos, uma prática criminosa que é comum na CPTM ocorreu neste fim de semana na Linha 5-Lilás, ramal de metrô operado pela ViaMobilidade. De acordo com a concessionária, uma tentativa de furto de equipamento na região da estação Campo Limpo acabou por danificar o sistema de sinalização CBTC, o que ocasionou lentidão na linha até perto das 18h00 deste domigo.

Ainda segundo a ViaMobilidade, “Para chegar à constatação, houve atuação dos técnicos da ViaMobilidade nos 20,1 km de extensão da linha, com minuciosa vistoria nas duas vias e na parte aérea entre as estações Capão Redondo e Chácara Klabin”.

Chama a atenção nesse episódio o fato de os criminosos terem invadido uma linha elevada, de díficil acesso, ao contrário dos trechos na superfície das linhas da CPTM, onde é comum esse tipo de furto, infelizmente. Embora não informado pela concessionária, a tentativa de furto possivelmente visava a retirada de cabos de cobre, metal que tem algum valor no mercado clandestino.

Cabos danificados pelos ladrões na Linha 5 (ViaMobilidade)

Sem entender o funcionamento desses sistemas, os invasores afetaram os cabos de fibra óptica que compõem o CBTC, causando a interrupção parcial do funciomento da linha. A ViaMobilidade compartilhou em imagens do porão de cabos afetado pelos danos.

Esse tipo de crime é extremamente danoso para o transporte ferroviário por prejudicar milhares de pessoas quando não afetam o funcionamento de uma linha por várias semanas como ocorreu na Linha 11-Coral em 2016. Ao furtar 80 metros de cabos de uma subestação de energia em Calmon Viana, os ladrões acabaram causando um incêndio que danificou severamente os equipamentos. Foi necessário aguardar por vários dias até que a subestação fosse restaurada, aumentando o intervalo dos trens para um patamar em que a oferta de lugares era insustentável.