Metrô interdita ruas no entorno das futuras estações Orfanato e Anália Franco da Linha 2

Restrições nas ruas são claro sinal de que as obras da extensão do ramal metroviário estão finalmente ganhando velocidade
Terreno da estação Orfanato (iTechdrones)

As obras de expansão da Linha 2-Verde do Metrô estão finalmente saindo do papel e tomando forma. Tanto o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, como o presidente da companhia, Silvani Pereira, vem atualizando suas redes sociais mostrando que a fase de escavações está em fase inicial. Para que essa etapa possa ser realizada dentro de todos os parâmetros de segurança, o Metrô de São Paulo sinalizou a interdição de algumas ruas próximas das futuras estações.

As restrições no tráfego de veículos vão se iniciar a partir do dia 10 de abril e irão perdurar por 36 meses (3 anos). Segundo o informativo, as áreas que serão fechadas serão:

  • Avenida Ver. Abel Ferreira, sentido centro, entre Avenida Montemagno e Rua Eng. Cestari
  • Avenida Montemagno, entre as ruas Jorge Bittar e Engenheiro Cestari
  • Rua Santiago Rodrigues, entre as avenidas Montemagno e Ver. Abel Ferreira
  • Rua Jorge Bittar, próximo ao numeral 72; será permitido o tráfego local
  • Rua Ápio Cláudio, entre Avenida Montemagno e desvio construído
Ruas interditadas nas imediações da Estação Anália Franco (Google)

Na estação Orfanato a intervenções do trafego local serão nos seguintes pontos:

  • Rua Cananéia, entre a Rua Dr. Sanareli e 50 metros antes da Avenida Vila Ema, faixa da esquerda
  • Cruzamento da Rua Dr. Sanareli com a Rua do Orfanato – será permitido o trânsito local de veículos, entre as ruas do Orfanato e Cananéia.
Ruas interditadas nas imediações da Estação Orfanato (Google)

Métodos de construção diferentes

Um dos pontos que pode surpreender é a diferença entre as áreas que serão interditadas nas estações. Uma das justificativas para que exista essa forte divergência são os métodos construtivos que serão empregados para cada uma das estações. No caso da estação Orfanato o método construtivo adotado será a escavação de um poço de acesso com o corpo da estação (plataformas) escavadas através do NATM, metodologia de escavação graduada de túneis bastante empregada pelo Metrô. Esse esquema de implantação implica numa menor área de impacto e também será utilizada pelas estações de Santa Clara, Vila Formosa e Santa Isabel.

Esquema de construção da Estação Santa Isabel que também será aplicado á Estação Orfanato (CMSP)

Quanto a estação de Anália Franco, o método de construção será mais agressivo. O famoso VCA (Vala á Céu Aberto) será aplicado na construção dessa estação. Por consequência uma maior área será necessária para que as escavações possam ser realizadas. Vale lembrar que está prevista a construção do mezanino para a futura Linha 16-Violeta o que justifica a intervenção de maior porte. Além de Anália Franco, as estações Guilherme Giorgi, Penha e o Complexo Rapadura serão construídos utilizando essa técnica.

Esquema de construção da Estação Anália Franco (CMSP)

Conclusão

As interferências no tráfego são um forte indicativo do que as obras da Linha 2-Verde finalmente estão tomando um ritmo mais acelerado. A extensão entre Vila Prudente e Penha trará imensos benefícios ambientais que podem ser mensurados com a quantidade de pessoas que serão transportadas que deixaram de usar carros e ônibus para migrar para um transporte limpo. Além disso os benefícios para a distribuição de passageiros na rede de transporte são imensos, uma vez que com a extensão da Linha 2 mais pessoas deixarão de usar as estações centrais para “cortar caminho” pelo novo trecho.

Total
35
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post

BYD apresenta o primeiro monotrilho SkyRail do Brasil

Next Post

Entenda como será a evolução da obra da Linha 6-Laranja do Metrô

Related Posts