Metrô prevê investir R$ 1,8 bi em expansão e modernização de suas linhas em 2021

Um terço desse valor será usado nas obras da Linha 17-Ouro, que está atrasada e com contrato suspenso pela Justiça. Volume de recursos é 9% menor que o previsto para 2020, mas 77% maior que o executado de fato
Passarela da futura estação Vereador José Diniz, da Linha 17 (CMSP)

O Metrô reduziu a previsão de investimentos em obras de expansão e na modernização de suas linhas em 2021 se comparado aos planos de 2020. Há um ano, a companhia tinha um orçamento de pouco mais de R$ 2 bilhões, mas só executou de fato metade disso – R$ 1 bilhão.

Neste ano, o total previsto é de R$ 1,82 bilhão, uma redução de 9,2% se comparada ao ano passado. Porém, se conseguir cumprir esse planejamento, o Metrô terá investido 77% a mais que no ano passado.

A maior parte desses recursos, quase R$ 604 milhões, está destinada às obras da Linha 17-Ouro, problemático ramal de monotrilho cujos trabalhos se arrastam desde 2012. Prometida para o ano que vem pela gestão Doria, a linha depende de dois contratos principais, o de obras civis complementares, a cargo da Coesa Engenharia, e o de sistemas, sob responsabilidade da BYD SkyRail.

Este último, no entanto, está suspenso por liminar da Justiça, e aguarda o julgamento colegiado para se saber se a empresa chinesa seguirá à frente do projeto, ou se o Metrô terá de acatar uma possível decisão favorável ao consórcio Signalling, que entrou com processo contra o resultado. O desfecho não parece que ocorrerá logo, o que deve prejudicar o cronograma e os repasses de verbas previstos.

Obra da estação Vila Formosa, da Linha 2-Verde (iTechdrones)

Embora mais cara e complexa, a extensão da Linha 2-Verde entre Vila Prudente e Penha contará com apenas R$ 396 milhões neste ano. Aqui, como na Linha 17, há alguns obstáculos a serem vencidos. O primeiro ano de obras consumiu apenas R$ 103 milhões em recursos quando deveria ter cumprido um orçamento de R$ 347 milhões. Há o impasse no Complexo Rapadura, por conta da derrubada de árvores e que está parado na Justiça. Mesmo outros canteiros ainda mostram avanço tímido.

Expansão em bom ritmo

O terceiro projeto com mais verbas é outro monotrilho, o da Linha 15-Prata. Nesse caso, as obras estão evoluindo, seja na estação Jardim Colonial, na reta final de construção, ou na extensão das vias, a cargo do consórcio CEML. Além deles, o Metrô também está finalizando o projeto da futura estação Ipiranga e lançou a licitação para as estações Jacu-Pêssego e Boa Esperança, além do pátio Ragueb Chohfi.

Já na reta final, os projetos que envolvem as linhas 4-Amarela e 5-Lilás tiveram redução no volume de verbas. Espera-se para este ano a conclusão da estação Vila Sônia e da instalação de portas de plataforma na Linha 5.

Obras da futura estação Vila Sonia, linha 4 amarela 28/12/2020 ©Márcia Alves/Metrô SP

Por outro lado, a Linha 19-Celeste, entre Bosque Maia e Anhangabaú, recebeu uma previsão de investimentos bastante elevada para um projeto inicial. O Metrô pretende destinar quase R$ 45 milhões para o ramal, mas algo semelhante ocorreu em 2020 sem que na prática o dinheiro fosse usado.

A companhia também pretende destinar R$ 16,8 milhões para desenvolver novos projetos de expansão, possivelmente ligados às linhas 20-Rosa, 16-Violeta e 22-Bordô, entre outras.

ExpansãoPrevisão 2021Previsão 2020Var. 21/20Executado 2020Var. 21 vs executado 2020
Linha 2-Verde R$ 395.938.000,00 R$ 346.559.000,00 14,2% R$ 103.045.000,00 284,2%
Linha 4-Amarela R$ 112.463.000,00 R$ 391.204.000,00 -71,3% R$ 251.711.000,00 -55,3%
Linha 5-Lilás R$ 92.197.000,00 R$ 130.724.000,00 -29,5% R$ 79.721.000,00 15,6%
Linha 15-Prata R$ 333.557.000,00 R$ 292.292.000,00 14,1% R$ 276.792.000,00 20,5%
Linha 17-Ouro R$ 603.885.000,00 R$ 530.207.000,00 13,9% R$ 164.878.000,00 266,3%
Linha 19-Celeste R$ 44.718.000,00 R$ 47.826.000,00 -6,5% R$ 617.000,00 7147,6%
Projetos de expansão R$ 16.877.000,00 R$ 2.805.000,00 501,7% R$ 168.000,00 9945,8%
Total R$ 1.599.635.000,00 R$ 1.741.617.000,00 -8,2% R$ 876.932.000,00 82,4%
      
ModernizaçãoPrevisão 2021Previsão 2020Var. 21/20Executado 2020Var. 21 vs executado 2020
Linha 1-Azul R$ 17.790.000,00 R$ 34.914.000,00 -49,0% R$ 28.919.000,00 -38,5%
Linha 2-Verde R$ 4.441.000,00 R$ 12.049.000,00 -63,1% R$ 3.768.000,00 17,9%
Linha 3-Vermelha R$ 19.368.000,00 R$ 6.048.000,00 220,2% R$ 2.536.000,00 663,7%
Operação das linhas R$ 180.918.000,00 R$ 212.304.000,00 -14,8% R$ 117.154.000,00 54,4%
Total R$ 222.517.000,00 R$ 265.315.000,00 -16,1% R$ 152.377.000,00 46,0%
      
Total geral R$ 1.822.152.000,00 R$ 2.006.932.000,00 -9,2% R$ 1.029.309.000,00 77,0%

Modernização das antigas linhas

Com 12% das verbas, os projetos de modernização das linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha terá R$ 222,5 milhões à sua disposição. A maior parte desses recursos é destinada a “operação das linhas metroviárias”, mas sem descrição do que se trata o item.

A modernização das linhas 1 e 3, que estão recebendo o sistema de sinalização CBTC, continua o principal objetivo do Metrô, com R$ 17,8 milhões e R$ 19,4 milhões separados, respectivamente.

Não se sabe se o Metrô prevê algum investimento nas portas de plataforma ainda para 2021 já que o contrato com o consórcio Kobra foi extinto pela Justiça, o que obrigou a companhia a retomar a licitação.

Trajeto prioritário da Linha 19
Total
2
Shares
Previous Post

Próxima estação…’Conceição Itaú’?

Next Post

Novo leilão de trens desativados da CPTM arrecada R$ 5 milhões

Related Posts