Novo trecho da Linha 15-Prata até São Mateus funcionará das 10 às 15 horas

Operação com cobrança de tarifa terá horário reduzido até janeiro, quando está previsto o funcionamento em horário pleno
Plataforma da estação Fazenda da Juta (GESP)

Foi no dia 08 de dezembro de 2009 que o governo do estado anunciou que um monotrilho ligaria Vila Prudente a Cidade Tiradentes. Na época, por uma questão legal, a extensão foi chamada de Linha 2 e mais tarde alterada para Linha 15-Prata. A justificativa para a adoção do modal era a da construção em menos tempo por conta da “dispensa da necessidade de escavações e diminuição das desapropriações” além de estudos mostrarem que “a utilização de monotrilho no referido corredor produz benefícios muito superiores aos apresentados por corredores de ônibus. Dentre eles, o diretor destaca o conforto, a velocidade média e a confiabilidade“, dizia o comunicado de imprensa.

Dez anos depois, no entanto, as previões otimistas ficaram pelo caminho. No anúncio, o governo Serra prometia que a conclusão de toda a obra ocorreria em 2012. “As obras de prolongamento começarão pelo trecho Vila Prudente até Oratório, de 2,4 quilômetros, que será entregue em 2010. A segunda fase, até São Mateus, num total de 10,4 quilômetros, tem previsão de entrega para 2011“, explicava o texto do anúncio.

Com o não cumprimento da promessa de seu antecessor, em fevereiro de 2012, o então governador Geraldo Alckmin prometeu novos prazos:  “Nós vamos entregar o ano que vem Oratório: estação e pátio. Aliás duas estações: estação Vila Prudente e a estação Oratório. Depois, 2014, mais oito estações. Chegaremos a São Mateus. Então, já temos aí 10 estações. E ficam mais sete pra 2016”, declarou Alckmin após visitar as obras.

Acesso da estação São Mateus (GESP)

No entanto, apenas nesta segunda-feira, 16 de dezembro de 2019, a promessa de levar o monotrilho até São Mateus enfim será cumprida, oito anos após a primeira previsão e cinco anos depois da segunda. Quanto ao trecho até Cidade Tiradentes, ninguém ainda sabe dizer quando e se ocorrerá.

Graças às três novas estações que estão sendo entregues – Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus -, a Linha 15-Prata ganhará 3,9 km e fará com que a rede de metrô atinja um total de 101,1 km de extensão e 89 estações em seis diferentes linhas. A estimativa é que mais de 300 mil pessoas devem ser beneficiadas diariamente.

As três estações funcionarão nesta segunda a partir do meio-dia, após o evento de inauguração, mas a partir desta terça-feira elas abrirão às 10 horas e fecharão às 15 horas com cobrança de tarifa, a chamada operação reduzida. Segundo declarou o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em redes sociais, o funcionamento em horário pleno deve ocorrer a partir de janeiro.

Parque de diversões ou transporte de massa?

A Linha 15 então terá o desafio de dar conta de uma demanda bastante elevada em um região carente de transporte público de qualidade. A viagem, mais veloz, ainda precisa se mostrar confortável e sobretudo confiável, algo que o monotrilho ainda está devendo com seguidas falhas desde que foi aberto em 2014.

A ironia a respeito do modal é que sua construção, tida como veloz e mais barata, somente agora tem comprovado essa afirmação. A estação Jardim Colonial, atualmente em construção, deve ser entregue em 2021 e tem avançado de forma bastante rápida, o que demonstra que o problema nesses 10 anos de espera esteve mais ligado à uma gestão deficiente do projeto, que não detectou problemas com um córrego no trecho da avenida Anhaia Mello, além de empresas que não concluíram seus trabalhos, do que com a viabilidade em si da tecnologia. Quando à operação em si, com as 10 estações será possível julgar se o monotrilho é um modal válido para as cidades brasileiras ou, como muitos críticos afirmam há tempos, um sistema que só funciona em parques de diversões.

Bloqueios da estação São Mateus (GESP)
Total
18
Shares
5 comments
  1. Só o trecho atual já está carregando 100 mil por dia

    ou seja, bem longe do pseudo parque de diversões e ainda é capaz de ultrapassar o monotrilho de Tokyo, que transporta cerca de 360 mil por dia em uma de suas linhas…

    O que precisa melhorar também, é a gestão que tem deixado muito a desejar.
    de nada adianta um sistema moderno e atualizado, se a gestão for de mente atrasada e presa em 1974.

  2. chegando a hora da verdade para o modal monotrilho ! quando todas as 10 estaçoes estiverem em funcionamento normal vai dar para começar a saber se este modal eh mesmo viavel para 300,000 pax/dia como dizem ??? e isto para todas as escolhas de projeto , material rodante e controles que foram escolhidos nesta linha especifica !

    final de 2020 ja da para ter um ideia que vai rolar para o futuro deste modal em Sao Paulo !!??*

  3. Poxa, pensei que fosse funcionar em horário pleno como ocorreu com Jardim Planalto. Qual o impeditivo se os testes já vinham sendo feitos há cerca de 1 mês? A sensação que fica é a de que entregaram apenas para marcar presença no natal/ano-novo, época que parentes de fora visitam as famílias e consequentemente usarão o monotrilho.

    Triste, mais 1 mês para ver a linha funcionando efetivamente até São Mateus…

    1. Provavelmente inauguraram em horário reduzido para fazer testes, rodar com os trens vazios é mto diferente de rodar com eles cheios, principalmente com a previsão da demanda triplicar, é importante eles n apostarem direto no horário comercial por inteiro para não ter problemas realmente graves

    2. Não dá para comparar uma mera estação intermediária como Jardim Planalto (que antes de ser inaugurada já recebia trens em manobras para a operação do trecho Vila Prudente-Vila União) com as três estações inauguradas (Sapopemba, Fazenda Juta e São Mateus).

Comments are closed.

Previous Post

Estações Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus devem ser inauguradas na segunda, 16 de dezembro

Next Post

Governo do estado quer iniciar obras da estação Ipiranga em 2020 e viabilizar a extensão para Cidade Tiradentes até 2022

Related Posts