O pátio de manutenção Presidente Altino visto do alto

Jean Carlos
Maior complexo de manutenção da CPTM, o pátio localizado em Osasco será repassado para a futura concessionária das linhas 8 e 9 e precisará ser modernizado. O site explica detalhes e também comenta o vídeo do canal iTechdrones
Visão geral do pátio, Lado Oeste (iTechdrones)

O pátio de Presidente Altino é a maior complexo de manutenção existente na CPTM. Sua importância é conferida pelos inúmeros serviços que ali são executados, incluindo atuações em trens de outras linhas que podem eventualmente “fazer uma visita” às suas instalações. Remarcada para o dia 20 de abril, a concessão das Linhas 8 e 9 também contemplará esse importante pólo de manutenção e gestão de forma que diversas compensações deverão ser custeadas pela concessionaria à CPTM, que perderá parte importante dessas instalações.

Melhorias previstas

Uma série de melhorias estão previstas para serem realizadas no pátio de Presidente Altino. Segundo o edital, os investimentos visam recapacitar áreas do complexo, que poderão sofrer incremento de funções, e de regularizar outras que precisam estar dentro das normas de acessibilidade e ambientais. Além disso, é preciso habilitar alguns locais para que o PPA seja um local totalmente independente das demais linhas da CPTM.

Melhorias na oficina de sopra de trens

A oficina de sopra de trens deverá ser adaptada de forma que também possa englobar serviços de lavagem e limpeza de ar condicionados. Esse serviço geralmente é feito de forma que o módulo de ar-condicionado seja retirado e limpo, inclusive utilizando-se de água para a higienização de tubulações e dutos. O abrigo de Presidente Altino não possui estrutura adequada para esses serviços e portanto deverão ser alocados em uma nova estrutura. O processo de sopra dos trens ocorre como uma forma de retirar detritos dos truques dos trens e de demais componentes para que a sujeira não venha a comprometer o funcionamento dos equipamentos. Em ambos os casos esbarra-se na questão da destinação de resíduos, que precisa atender a normas ambientais.

Composições da série 8000, 2500, 2100 e 7000. A composição U504 foi a primeira a chegar ao Brasil e está passando por ajustes, o trem da série 2100 foi leiloado e em breve deverá ser cortado. Ao fundo carros de uma composição da série 7000 (iTechdrones)

A nova estrutura deverá contar com três vias com valas e rede aérea, todas elas com equipamentos que possibilitem o seu aterramento. A edificação deverá ser devidamente coberta e possuir fechamentos laterais. O local também deverá contar com um sistema de água para reuso. Vale citar que a concessionária pode optar por versões alternativas do projeto proposto, desde que cumpra com as normas legais.

Melhorias na oficina de locomotivas

Atualmente no complexo de Presidente Altino não existe uma estrutura dedicada para a manutenção de locomotivas ou de veículos auxiliares. O local que era destinado para essa função antigamente se encontra desativado e ocupado por empresas terceirizadas. Para que a concessionária possua total independência para a realização das revisões em seu parque de tração ela deverá realizar a adequação do local de forma que as locomotivas, vagões, veículos de serviço e manutenção possam ser devidamente reparados. A ideia é ampliar a edificação existente e dotar partes das vias com valas para que sejam realizadas inspeções e ações na parte inferior dos trens.

Readequação da máquina de lavar trens

A máquina de lavar trens do complexo de Presidente Altino atualmente encontra-se desativada. Quem já passou pela região entre as estações de Presidente Altino e Osasco pode ter notado que geralmente a limpeza é feita por pessoal terceirizado, inclusive as limpezas externas onde esfregões dotados de extensores são usados para que os funcionários possam alcançar os locais mais altos. Segundo a CPTM, existe uma série de motivos para que a máquina esteja sem uso. Os três principais entraves são a obsolescência tecnológica do equipamento, a não possibilidade de atender os trens mais novos que rodam pelas linhas 8 e 9, talvez devido ao gabarito (tamanho do trem) ser incompatível com a máquina atual, e a questão ambiental com o uso e descarte de água que deve seguir legislação específica.

O poder concedente recomendou a compra e instalação de uma nova máquina para lavar trens automatizada, a readequação de estruturas de forma a disponibilizar equipamentos para a execução dos serviços além de alterações para o devido descarte de resíduos provenientes de lavagem.

Adequação do deposito a céu aberto

O deposito a céu aberto existente no Pátio de Presidente Altino não é suficiente para que as ações de manutenção possam ser cumpridas. Tendo em vista o tamanho da área destinada e a extensão das linhas é normal que se pense em uma ampliação dessa área para que mais materiais, como trilhos, dormentes e lastro (pedras) sejam devidamente alocadas. O local ideal para essa alocação será a leste da área, próximo ao Pátio Bolívia. As vantagens são o espaço, mais do que suficiente para alocar os materiais pra manutenção, e o acesso rodoviário para veículos de grande porte.

O Pátio atualmente

Recentemente, o canal iTechdrones realizou um sobrevoo na região do PPA mostrando de forma bastante elucidativa qual é a real situação do pátio hoje. Selecionamos algumas imagens importantes que podem dar um panorama claro do que poderá ser encontrado nesse importante complexo de manutenção. Confira a galeria explicativa:

Total
25
Shares
Previous Post

Chegada do Metrô ao ABC Paulista deve ocorrer até 2039

Next Post

STJ derruba liminar e libera fabricação dos trens da Linha 17-Ouro do Metrô

Related Posts