Obras da Linha 6-Laranja já contam com 11 canteiros ativos

Avatar
Ramal de metrô deve ser entregue em 2025 com sete anos de atraso em relação ao prazo original
Estação Santa Marina em abril de 2021 (itechdrones)

As obras da Linha 6-Laranja (São Joaquim-Brasilândia) aos poucos começam a avançar nos canteiros de obras depois de anos sem movimentação. O grupo espanhol Acciona, responsável pela obra e futura operação do ramal, informa que, atualmente, dos 34 canteiros existentes em todo o trajeto, 11 já estão com funcionários e máquinas trabalhando.

Em dois desses canteiros, já foi preciso fazer intervenções nas vias próximas, um indicativo de que as obras começam a ganhar volume.

No último dia 17 começou uma interdição parcial da Rua Cardoso de Almeida, no trecho do canteiro de obras, entre a Rua João Ramalho e a Rua Bartira – em que apenas uma faixa de circulação para cada sentido estará disponível. Haverá ainda, a interdição total da Rua João Ramalho, no trecho entre a Rua Cardoso de Almeida e a Rua Atibaia, mantendo o acesso lateral para circulação de pedestres na calçada da Fundação São Paulo.

Neste trecho, a via terá circulação nos dois sentidos, para o fluxo local. A previsão é que a interdição se estenda até setembro de 2025. Este canteiro é referente a obra da estação PUC-Cardoso de Almeida.

Trabalhos de sondagens (iTechdrones)

Segundo a Acciona, os outros 10 canteiros que já estão ativos são:

– Pátio Morro Grande;
– Mercado provisório Vila Cardoso;
– Estação João Paulo I;
– Estação Freguesia do Ó;
– VSE Tietê;
– SE Aquinos;
– Estação Santa Marina;
– Estação Água Branca;
Estação Sesc–Pompéia;
– Poço Pacaembú.

Atualmente há aproximadamente 1.000 trabalhadores distribuídos nesses canteiros. A expectativa é que, quando todos canteiros estiveram ativos, 9.000 pessoas devem estar trabalhando, diretamente e indiretamente, na obra.

Uma segunda interdição viária foi necessária para o início das obras da estação Brasilândia. A Rua Professor Viveiros Raposo – no trecho entre a Estrada do Sabão e a Rua Domingos Francisco Lisboa – foi interditada de maneira definitiva no dia 10 de abril e toda a região foi devidamente sinalizada. O canteiro da estação, no entanto, ainda não está ativo.

Quando pronta, previsto para 2025, a Linha 6-Laranja, conhecida como a “Linha das Universidades”, ligará a Brasilândia a São Joaquim, terá 15 estações e 15,9 km de extensão. A demanda prevista é de 630 mil passageiros por dia e, além das conexões já citadas em Água Branca, haverá ligação com a Linha 4-Amarela na estação Higienópolis-Mackenzie e na lLinha 1-Azul, na estação São Joaquim, ambas do Metrô.

Total
41
Shares
1 comment
  1. Essa linha é meu orgulho, os projetos arquitetônicos não devem nada aos metrôs de países desenvolvidos. Muito diferente do lixo brutalista da linha 1 – azul.

Comments are closed.

Previous Post

CPTM e Metrô adiam várias licitações importantes para novas datas em maio

Next Post

Cronograma das obras da Linha 2-Verde já é afetado por processo na Justiça

Related Posts