Obras do novo túnel da estação da Luz recebem luz verde da CPTM

A construção do tunel será responsabilidade do Consório Construtor Túnel Luz que terá 36 meses para realizar o serviço a um custo de R$ 59,9 milhões
Novo túnel deverá proporcionar maior conforto na transferência com a Linha 4 (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

A estação Luz é uma das mais movimentadas do sistema metroferroviário. Além de ser um dos principais cartões postais da cidade, é um dos pontos de convergência de linhas de trens e metrô. Ao longo dos anos ela passou a ser mais solicitada, sobretudo com a chegada da Linha 4-Amarela. Para que a estação possa continuar a bem servir os passageiros que transitam por ela, a CPTM realizou a licitação que consiste na construção de um novo túnel entre o saguão oeste e a área da Linha 4-Amarela.

Vencedor

Depois de alguns meses após a publicação do edital, a CPTM realizou a adjudicação do contrato para o Consórcio Construtor Túnel Luz formado pelas empresas Castilho Engenharia e Empreendimentos S/A, Heleno & Fonseca Construtécnica S.A, Vad Engenharia e Empreendimentos LTDA e HHTEC Comércio e Serviços Eireli.

Cabe lembrar que antes da adjudicação, o Consórcio Telar – Gros Túnel Luz havia entrado com uma interposição contra o resultado da licitação, conforme prevê o regulamento do certame. Após analisar as alegações, a CPTM indeferiu o recurso fazendo com que o Consórcio Construtor Túnel Luz pudesse assumir as obras.

O Projeto

O projeto prevê que, além do novo túnel que será construído entre o saguão oeste e a estação da ViaQuatro, o acesso Cásper Líbero passe por reformas estruturais. Entre as obras previstas estão a instalação de novas escadas rolantes bem como elevadores para melhorar a acessibilidade e construção de banheiros .

Além das obras no subterrâneo, haverá mudanças na plataforma central e na ligação com a Sala São Paulo, que será feita através de uma extensão da plataforma 1 (sentido Jundiaí).

Confira nosso artigo sobre as mudanças que estão por vir na estação.

Área prevista para ser construido o novo túnel (Google)

Prazo e custo

Não menos importante é o prazo e o custo desta importante obra. O Consórcio Construtor Túnel Luz ofereceu o valor de R$ 59,9 milhões pela realização dos serviços. Este valor representa um desconto de 11,6% em relação ao orçado pela CPTM, que era de aproximadamente R$ 67,8 milhões. Tão logo o contrato seja assinado, a empresa responsável terá 36 meses para executar as obras, além de 12 meses para a operação assistida.

Conclusão

Espera-se com esta obra que a estação da Luz esteja preparada para uma nova demanda com a chegada do serviço 710 aliada a um possível retorno da vida ao “normal”.

Todas essas mudanças têm o potencial de melhorar a estação e tornar a interação com o passageiro cada vez mais simples.

Total
16
Shares
6 comments
  1. Uma possível conexão com a linha 4 no pari talvez resolvesse melhor a distribuição de passageiros do que gastar esse valor na construção de um novo túnel.

    1. Mas aí seria muita linha de trem tendo que passar pela Luz (as linhas 7 e 8 precisariam passar pela Luz pra chegar no Pari), que é uma estação bem apertada, fora que não teria integração com a linha 1 do metrô.

      1. L7 já atenderia a estação Pari pelo meio da atual serviço 710…. L8 não tem conexão com a L4, mas os passageiros vindos do Oeste podem usar a L9 em Osasco e Altino para acessar a L4 (algo que ja fazem hoje e é muito mais rapido). Outra coisa, com a L4 em Pari, a demanda da Luz nela ja diminui. Ficaria ali só quem vem da L7 e da L1. Quem vem da L11 e L10 acessaria por Pari e já desafogaria bem, diminuindo a necessidade do tunel novo

        1. Discordo, até porque a linha 8 passa por vários bairros entre Osaco e a Luz que não são atendidos pela linha 9.Acho bem melhor que a Luz se torne um grande hub integrado com a Júlio Prestes, com as linhas 7 e 8 terminando na Júlio Prestes, as linhas 10 e 11 na Luz e a linha 13 indo até a Barra Funda. A Pari pode, futuramente, ser mais um hub, com as linhas 4 e 19 do metrô e as linhas 10,11 e 13 passando por lá e a 12 terminando lá.

  2. Concordo com o fato de distribuir, ainda que futuramente o fluxo de passageiros na estação Pari (linhas 4 e 19) até lá. Inclusive a sugestão que fiz para o secretário é estender via PPP incentivada para a CCR a extensão das linhas 4 até a Vila Maria, se não passar pelo Pari e a linha 5 sentido norte (Ipiranga 710///Vila Bertioga 16 ou 6///Bresser ou Belém 3///Vila Maria 19) até a Vila Maria também, já que hoje não existe uma conexão direta entre as linhas 4 e 5, e quem mora ou morou na região da zona noroeste sabe da lotação dos ônibus de manhã, como o Praça do Correio e o Terminal Princesa Isabel

Comments are closed.

Previous Post

Metrô mostra obras internas da Linha 17-Ouro em novo vídeo

Next Post

Sem acordo por Consolação, concessão de naming rights das estações do Metrô termina de forma frustrante

Related Posts