Para levar Linha 13-Jade até Barra Funda, CPTM irá modificar a estação Brás

Avatar
Batizado de Integração Centro, projeto envolve não apenas a modernização da infraestrutura das vias até a estação Palmeiras-Barra Funda, mas também outros contratos como o túnel na estação Luz e adequações na região da estação Brás
Estação Luz sentido Barra Funda (CPTM)

O plano de levar a Linha 13-Jade até a estação Palmeiras-Barra Funda ganhou contornos mais claros nesta quinta-feira (15) após a publicação dos editais de duas licitações de fiscalização e supervisão das obras pela CPTM.

O projeto, batizado como “Integração Centro da Linha 13-Jade”, também envolve a Linha 11-Coral e pretende promover diversas modificações e melhorias entre a estação Brás e Barra Funda. Em seu formato final, estima-se que as duas linhas poderão compartilhar vias nesse trecho graças ao aprimoramento do sistema de sinalização e energia, que deverá ser complementado pela modernização da Linha 12-Safira entre Tatuapé e Calmon Viana.

Os editais das licitações de supervisão revelam que a CPTM pretende executar “intervenções e obras de engenharia nas estações Barra Funda, Luz e Brás, na infraestrutura do trecho entre Luz e Barra Funda e implantação de Túnel(SIC) na estação Luz”, nesse caso possivelmente o projeto que fará uma nova ligação com a Linha 4-Amarela.

A justificativa da companhia para melhorar a integração da Linha 13-Jade ao sistema metroferroviário foi o reconhecimento de que nos horários de pico as viagens na Linha 12-Safira são desconfortáveis em virtude da demanda atual ser “bem superior à sua oferta (capacidade)”, diz o texto.

Estação Brás da CPTM

Os recursos que serão usados nesses contratos serão fornecidos pelos BNDES por meio de sobras de um empréstimo anterior não utilizado.

Propostas em análise

O principal contrato do projeto é o que envolve as obras de revitalização das vias entre Luz e Barra Funda, atualmente sem serviço. A licitação foi lançada pela CPTM em dezembro passado e após alguns adiamentos teve a sessão pública de recebimento de propostas realizada no dia 8 de abril.

O resultado, no entanto, ainda está em análise pela companhia, que não divulgou os participantes, apenas o valor de R$ 158 milhões como o mais baixo deles.

Trens da Linha 11-Coral deverão chegar até Barra Funda em meados de 2024 (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

Segundo apurou o site, essa proposta foi feita pelo consócio Telar, cujos integrantes (além da Telar) não são conhecidos ainda. Outros três consórcios teriam entregue propostas com valores até R$ 173 milhões. Para efeito de referência, a CPTM estimava um custo de R$ 156 milhões para todo o projeto.

Apesar do anúncio positivo, a implementação de todas as mudanças deverá levar tempo. Se a CPTM assinar contrato nos próximos meses, a extensão até Barra Funda pode ficar pronta em 2024, caso não ocorram atrasos.

Outras modificações, como em Brás, devem fazer parte de outra licitação cujo escopo o secretário Alexandre Baldy afirmou envolver “uma adequação na região da Estação Brás para melhorar a circulação do Expresso Aeroporto”. Além disso, ele revelou também que a estação Barra Funda receberá novas escadas rolantes e elevadores.

Total
19
Shares
7 comments
  1. Acredito que uma das mudanças pode envolver a via da plataforma 5, hoje sem uso, e poderá culminar na liberação de uma terceira via para o expresso seguir direto sem parar em Brás, ou parar em uma plataforma diferente.

    1. Não gosto desse compartilhamento de vias, ainda mais se tratando da Linha 11 Coral que é sobrecarregada. No atual formato, o Expresso já atrapalha (e muito) a Linha 11, imagine então com essa proposta até a Barra Funda. Por mim deveria ir pelo menos até Tiquatira (segregada da Linha 12), qualquer outra coisa além disso precisaria de muito investimento pra segregar.

  2. Acho que ao invés de compartilhar, poderia ampliar o número de vias, levar a linha 7 até Julio Prestes, para liberar vias para as linhas 11 e 13, levar as linhas 12 e 10 até a Luz e construir um túnel ou passarela que conecta a estação Luz até Julio Prestes, aí ficaria bom e aliviaria a linha 3 vermelha.

  3. Acho que deveria mudar o formato expresso e mudar para uma linha comum, parando na engenheiro Goulart, Tatuapé, Brás e Luz. Daria mais demanda com certeza e aliviaria nem que fosse pouco as linhas 11, 12 e até uma pequena porção a 3 vermelha.
    Vejo que nesse momento senão deixar ela mais atrativa, pode ser que o governo do Estado volte ela somente na versão comum a engenheiro Goulart e, com certeza, sobrecarregar as 3 linhas que mencionei acima. Se o compartilhamento funciona em vários países pq não aqui?

    1. Concordo, o melhor a fazer com essa linha é expandi-la até a Luz, fazendo ela ter conexão com as linhas 12, 11, 3, 10, 7, 4 e 1. Se for até a Barra Funda, ainda conecta com a 8. O que mais o povo detesta na linha 13 é a quantidade surreal de baldeações que precisa fazer pra chegar nela, ainda mais no Brás, que precisa percorrer quilômetros pra ir do metrô pro trem.

    2. A questão é: e a Linha 11? Ela é um inferno de lotada, no pico nem se fala. Aumentar os intervalos dela pra conseguir inserir a Linha 13 regularmente vai ser um problema.

Comments are closed.

Previous Post

Linha 5-Lilás já transporta mais passageiros que a Linha 4-Amarela

Next Post

Menor proposta para obra do túnel entre as linhas 2 e 4 é de R$ 55,7 milhões

Related Posts