Por que um trem da Série 7500 começou a operar entre Itapevi e Amador Bueno?

No último sábado, uma composição com quatro vagões operou no trecho de 6 km de extensão. Isso poderia indicar a desativação dos trens antigos? Entenda
Trem da série 7500 operando na extensão operacional da Linha 8 (Nicolas Gordiano)

No último final de semana um fato bastante curioso pode ter sido notado pelos passageiros que utilizam o serviço da extensão operacional da Linha 8-Diamante. Uma composição da Série 7500 com quatro carros circulou no trecho entre Itapevi e Amador Bueno.

Atualmente o trecho com pouco mais de 6 km de extensão é servido com trens da Série 5400, composições fabricadas no final dos anos 70 e que foram herdadas da FEPASA.

O aparecimento da composição da série 7500 no trecho é inédito. Inicialmente foram realizados registros de um trem com quatro carros realizando testes. No sábado (23), após falha de trem na estação Itapevi, a composição em teste entrou em operação.

Trem da série 7500 ao lado do trem da série 5400 (Nicolas Gordiano)

O site questionou a ViaMobilidade sobre a novidade. A concessionária respondeu com a seguinte nota:

A ViaMobilidade tem investido continuamente em melhorias para prestar um serviço cada vez mais eficiente aos seus passageiros. Isso inclui, entre outras ações, testes em todos os sistemas e nos trens – como o que está sendo realizado em um trem da série 7.500 na Linha 8-Diamante (trecho entre as estações Amador Bueno-Itapevi) -, manutenção no sistema de energia, sinalização, telecom, estações. Com base nesses dados e resultados, a concessionária tem planejado as melhorias a serem feitas nas linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda ao longo dos próximos 30 anos de concessão

Extensão Operacional Itapevi-Amador Bueno (Jean Carlos)

Alguns pontos que podem gerar dúvidas são: 

  • Os trens da série 7500 ficarão permanentemente no trecho?

A ViaMobilidade tem a intenção de melhorar a operação trecho da extensão operacional, o que inclui a inclusão de composições mais modernas e com maior nível de conforto. Porém, os trens da Série 7500 deverão ser devolvidos para a CPTM, portanto esta série em específico não ficará “fixa” no trecho. A concessionária poderá inserir trens da Série 7000 que possuem várias semelhanças técnicas com a série 7500

  • Os trens da Série 5400 serão desativados?

O contrato de concessão não estabelece qualquer tipo de baixa patrimonial em material rodante, com exceção das duas composições da Série 7000 que já vieram imobilizadas da CPTM e que serão substituídas por dois novos trens. Portanto é possível afirmar que, pelo menos neste período inicial de concessão, não há previsão de desativação dos antigos trens.

Total
1
Shares
7 comments
  1. Mas só deles usarem os 7500 na extensão pra testar já dá pra perceber que os 5400 vão ser desativados com o tempo, e os 7000 que a Viamobilidade ficará com 20 trens dessa frota algumas poderão ser usadas 3 trens de 8 dívidas em 6 de 4, sobre trens a Viamobilidade já está caracterizando o 3°trem.

  2. Fiquei muito chateado com a retirada dos séries 8000 com passagem livre entre vagões da Linha 8 Diamante.

  3. A resposta é óbvia: se eles não dão conta dos trens novos, imagina dos trens antigos?

    A extensão da linha 8 é um trecho gratuito, largado e no fim do mundo. E não é a ccr que vai ter a bondade de gastar dinheiro a toa com esse trecho.

    São 6 trens da série 5400. 1 roda e outro na reserva. Na teoria muito trem para pouco trecho, na prática é um trem velho sem peças de reposição e o material humano com conhecimento dele foi perdido na demissão em massa da CPTM. O resultado é colocar metade do 7500 como quebra galho. A própria reportagem cita isso, ao dizer q a composição estava em teste mas entrou em operação por causa de avaria no 5400 que estava em operação

  4. A ccr q comprou esse trecho é uma empresa q só busca lucros. Já trabalhei com ela, e posso dizer q isso é propaganda publicitária. Vcs não fazem idéia dos escrúpulos q essa holding alemã pode fazer pra conquistar seus objetivos.

  5. Muito provavelmente após construírem a “Ambuitá” o trem poderá ter ponto final em “Amador Bueno”… Sobre os trens antigões, o natural é ir pro museu ou algo casula e turístico (mas tem mais antigos que esse atual de Amador que fariam melhor a função turística no quesito “Nostalgia”) rsrsrs….

Comments are closed.

Previous Post

Metrô planeja operar Linha 1-Azul com CBTC em dias úteis já a partir de agosto

Next Post

Alstom revela primeira imagem dos novos trens da Linha 8 e 9

Related Posts