CPTM Destaques Linha 13

Primeiros trens exclusivos da Linha 13-Jade serão entregues em agosto

Primeira unidade do Série 2500 está sendo concluída na China pela CRRC e será enviada ao Brasil em breve
Projeção do Série 2500, trem que foi encomendado para a Linha 13

Vai demorar um pouco mais para que os passageiros da Linha 13-Jade passem a contar com os trens especialmente fabricados para ela. Durante o anúncio do governos federal e estadual a respeito do “monotrilho” que fará a ligação entre o ramal da CPTM e o Aeroporto de Guarulhos, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, revelou que o primeiro trem da Série 2500 será entregue apenas em agosto.

A expectativa era que a primeira composição chegasse ao país em junho. A fabricante chinesa CRRC Qingdao Sifang, no entanto, só deve embarcar o trem para o Brasil no início do segundo semestre. Serão oito unidades que serão usadas exclusivamente na Linha 13. Para isso contarão com alguns diferenciais como os bagageiros próximos às passagens entre os vagões e também acima dos assentos.

A CRRC, que tem como sócia brasileira a Temoinsa, venceu a licitação em janeiro de 2017 superando a coreana Hyundai-Rotem e a espanhola CAF. As duas fabricantes fizeram ofertas mais altas mesmo tendo instalações para montar os trens no Brasil. A Série 2500 será a primeira da CPTM produzida na China.

Projeção do Série 2500, trem que foi encomendado para a Linha 13

Sinalização ainda é o principal problema

Há pouco mais de um ano em operação, a Linha 13-Jade está longe de se aproximar da sua capacidade nominal, de 120 mil passageiros por dia. E a razão não envolve apenas a ausência de material rodante. O gargalo está no sistema de sinalização, ainda em maturação. Sem ele, é impossível para a CPTM reduzir o intervalo para o objetivo de 8 minutos ou menos, caso haja demanda para isso. Por enquanto, o ramal opera com 20 minutos de “headway” nos horários de picos e 30 minutos fora dele, além de viagens diárias dos expressos Connect e Airport Express.

Por falar em expressos, Baldy voltou a afirmar que as vias da Linha 12-Safira deverão ser modernizadas para que possam receber mais trens e assim permitir que as viagens do Connect ocorram em todos os horários. Graças ao serviço, a demanda da Linha 13 tem subido em 2019.

Estação Brás da CPTM: modernização pretende aumentar horários de trens da Linha 13

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

5 Comentários

Click here to post a comment
  • Pronto. Já atrasou o que está atrasado. A primeira composição era pra chegar agora em junho, foi adiada para agosto depois será setembro, outubro…

  • Esse connect apenas serve para atrapalhar o serviço da linha 12, uma linha inteira que não possui a demanda nem de algumas estações da linha 12 e só resulta numa coisa, no atraso da linha principal, deveriam modernizar as vias e sistemas de energia para diminuir os intervalos da L12 e não colocar mais uma linha para aquele trecho de trilhos

  • Proponho que temporariamente a estação terminal da linha 12 fosse Engenheiro Goulart, com os trens da linha 13 seguindo até o Brás. Assim, o serviço seria prestado, a linha 13 teria mais possibilidades de horários e a modernização poderia ser concluída, após a qual a linha 12 voltaria a ter seua estação terminal no Brás.

Airway