O Metrô de São Paulo deverá retomar em breve os projetos que envolvem a extensão da Linha 15-Prata até a estação Ipiranga. A informação consta de e-mails trocados com empresa que havia sido selecionada para realizar o alteamento de linhas de transmissão que passam pelo futuro traçado do ramal de monotrilho. Segundo esses documentos, os serviços que envolvem também o projeto da via permanente e da estação Ipiranga da Linha 15 deverão ser recontratados neste semestre.

Com cerca de 2 km de extensão, o novo trecho ajudará a aliviar a demanda que hoje se dirige à estação Vila Prudente da Linha 2-Verde. Os passageiros com destino ao centro de São Paulo poderão então fazer uma baldeação em Ipiranga para seguir pela Linha 10-Turquesa, da CPTM que hoje tem o Brás como estação terminal. No entanto, o governo estuda uma forma viável de levá-la até Luz, o que tornaria a conexão da Linha 15 mais atraente.

Desde o ano passado, o Metrô tem retomado os planos da extensão, que havia sido suspensa em 2015 no momento da assinatura do contrato. A empresa Deletros, que deveria ter realizado os estudos de alteamento, acabou tendo a licitação anulada pela companhia, que não havia adjucado o contrato até hoje. Nesse período, diz o Metrô, houve mudanças no escopo que farão a companhia lançar uma nova licitação desses projetos.

Com eles em andamento, será possível então contratar uma empresa para realizar as obras civis e de sistemas para levar o ramal até Ipiranga. O consórcio Expresso Monotrilho Leste (CEML) inclusive já fará parte da ampliação das vias a partir de Vila Prudente.

Vale lembrar que ao levar a Linha 15 até Ipiranga, no futuro os passageiros poderão realizar uma baldeação para a Linha 5-Lilás no mesmo local. A extensão a partir da estação Chácara Klabin consta do planejamento do Metrô e aliviaria ainda mais a Linha 2-Verde. No entanto, essa obra não tem qualquer previsão conhecida.

O caminho até Ipiranga é curto, mas um tanto complexo

Desapropriações

Para levar a Linha 15-Prata até a nova estação terminal, contudo, exigirá delicadas desapropriações. No caminho planejado para as vias existe a comunidade de Vila Prudente, que terá parte do terreno utilizado pelo Metrô. A companhia tem avisado os moradores que serão atingidos pela obra há alguns meses, mas ainda não teria oficializado a retirada dessas pessoas. Em redes sociais, representantes da comunidade têm reclamado do governo por se negar a discutir os planos do projeto.

A Linha 15 deve seguir seu caminho pela avenida Professor Luiz Ignácio Anhaia Melo e ocupar um espaço ao lado do viaduto Grande São Paulo. A via elevada então cruzará a Linha 10-Turquesa para então fazer uma curva no sentido noroeste e seguir paralela ao ramal da CPTM. Já a estação Ipiranga do monotrilho deverá ficar do lado esquerdo da sua homônima, bem próxima do viaduto Capitão Pacheco Chaves. Espera-se que no projeto seja contemplada a ampliação e modernização da parada da Linha 10.

Em declarações durante a inauguração de três estações da Linha 15, o secretário Alexandre Baldy afirmou que o governo pretende iniciar as obras desse trecho ainda em 2020.