Projeto de extensão das linhas 11-Coral e 13-Jade até Barra Funda tem pequeno adiamento

Avatar
Sessão pública de recebimento das propostas foi adiada da próxima sexta-feira, 26, para o dia 10 de março. Projeto contempla reconstruir vias entre Luz e Barra Funda e deve ser concluído em 2024
Estação Barra Funda (foto: Alexandre Giesbrecht)

A CPTM adiou a sessão pública de recebimento das propostas para a licitação de serviços de engenharia especializada para a elaboração de projeto executivo, fornecimento e implantação dos sistemas de rede aérea de tração, sinalização/SCT, suprimento de energia de tração e via permanente para a extensão da Linha 13-Jade, no trecho Luz-Barra Funda.

Antes prevista para a próxima sexta-feira, 26, a sessão agora está marcada para ocorrer no dia 10 de março, ou seja, daqui a duas semanas. A CPTM não explicou os motivos do adiamento em nota publicada no Diário Oficial de hoje.

A obra, que será custeada com sobras de financiamento de outros projetos, pretende aproveitar as vias não utilizadas nesse trecho para levar não só a Linha 13 como também a Linha 11-Coral até a Barra Funda.

Nesse cenário desenhado pela companhia, a imensa estação ao lado do Memorial da América Latina centralizará a maior parte das baldeações entre vários ramais: as linhas 7-Rubi, 8-Diamante, 11-Coral e 13-Jade, além de no futuro abrigar o Trem Intercidades com destino à Campinas.

A via permanente deverá passar por grandes melhorias (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

Curiosamente, a Linha 11 já atendeu Barra Funda, em 1994, pouco tempo depois que a CPTM assumiu as linhas da CBTU, mas o serviço de baixa qualidade acabou suspenso.

Embora pareça simples, o projeto envolve refazer as vias, incluindo trilhos, alimentação de energia e sistemas praticamente do zero. Será preciso construir uma nova subestação de energia para ampliar o fornecimento no trecho, além de mudanças no desenho das vias.

Conforme mostrou o site em detalhes, o contrato é de longo prazo, com 36 meses para execução, o que jogará a entrega para 2024 caso não surjam imprevistos. O orçamento para o serviço é de R$ 156 milhões.

Quando passar a funcionar, o novo trecho trará um alívio importante para a estação da Luz além de tornar a Linha 13-Jade mais atraente. Bem maior, a estação Palmeiras-Barra Funda terá condições mais adequadas de distribuir as baldeações, incluindo a possibilidade de acessar a Linha 3-Vermelha do Metrô.

Total
16
Shares
1 comment
  1. A totalidade das estações no trecho entre as estações Ipiranga e Lapa da CPTM estão em muito piores condições de acessibilidade e distribuição que Barra Funda, e são as que possuem a maior capacidade de se eliminar e redistribuir as múltiplas baldeações desnecessárias e desconfortáveis em estações de passagem, mas que hoje estão servindo indevidamente de terminais como a Luz e Brás, do que quaisquer outras linhas, em nome da logística e do conforto dos usuários, e aumentar a verdadeira integração com todas as linhas do Metrô e CPTM sem uma única exceção, além de se preparar para receber um futuro TIC-Trem Intercidades, si é que um dia eles iram voltar.

    Na atual situação financeira do estado é importante e imprescindível que se faça a retomada seletiva e rigorosa pelos que possuem chances consistentes e reais de retorno do investimento, e mais benefícios traga a população principalmente no atual cenário econômico, e não de forma simultânea , dispersa e aleatória como já está acontecendo.

    Neste trecho entre as prioridades estão á construção das Estações do Ipiranga, Parque da Mooca, Pari, revitalização da Júlio Prestes, criação da Estação Bom Retiro, e inclusive da futura grande Estação integradora Metrô CPTM da Linha 6-Laranja na Água Branca que deveria ser priorizada e antecipada sua construção e a unificação da Lapa, que além das linhas citadas poderá receber Linha 9-Esmeralda e os Trens Intercidades.

Comments are closed.

Previous Post

Plano de expansão da CPTM prevê 17 novas estações nos próximos 10 anos

Next Post

Licitação do projeto da Linha 19-Celeste sofre novo atraso

Related Posts