Sem interessados por Consolação, Metrô encerra nova rodada de concessões de direito de renomeação de estações

Companhia voltou a oferecer quatro estações, mas só negociou uma delas, Saúde, da Linha 1-Azul. Próximo passo será avaliar o lançamento de uma nova sessão pública
Entrada da estação Consolação com a marcação para o “naming right” (CMSP)

O Metrô realizou a sessão pública de recebimento de propostas pelo direito de nomeação parcial da estação Consolação, da Linha 2-Verde, no dia 3 de agosto, mas duas semanas depois ainda não havia publicado a ata do evento, em que divulga o resultado da licitação.

Consultada, a companhia confirmou que não houve interessados, assim como havia ocorrido com a estação Brigadeiro, leiloada no dia anterior.

Com isso, o Metrô encerrou a segunda rodada de concessões dos “naming rights” com apenas uma estação contratada, Saúde, que foi arrematada pela DSM – Marketing Digital. Estações centrais e de grande movimento, Anhangabaú, Brigadeiro e Consolação, acabaram sem ofertas.

A companhia afirmou que irá “avaliar o lançamento de uma nova sessão pública”.

Exemplos de como podem ficar os totens e testeiras das estações do Metrô com o patrocínio

Receita anual de R$ 4,1 milhões

Graças à concessão de três estações, o Metrô terá uma receita mensal de R$ 341.900 pelos direitos de nomeação de Penha, Carrão e Saúde. Em valores anuais, serão R$ 4,1 milhões a serem acrescidos à receita não tarifária.

Para se ter uma ideia, esse acréscimo representa cerca de 1,6% ao faturamento do Metrô com atividades não relacionadas ao transporte de passageiros, considerando os valores de 2019, antes dos efeitos da pandemia.

Ou seja, trata-se de uma contribuição marginal para ajudar a reduzir o prejuízo dos últimos anos. Embora essa modalidade tenha sido pensada com uma certa limitação em quantidade de estações, é fato que a expectativa da companhia era bem mais otimista.

Resta entender por que não houve participação de mais empresas além da DSM e se será preciso alterar a modelagem do edital a fim de tornar a concessão mais atraente no mercado.

Total
9
Shares
1 comment
  1. A solução não seria fazer blocos de estações? Fazer um lote com as estações que tem um potencial maior e colocar nesse mesmo lote estações com um potencial menor?

Comments are closed.

Previous Post

Estrutura para obras da estação Santo Amaro desaba no Rio Pinheiros

Next Post

VEM ABC requer indenização de R$ 1,3 bilhão ao governo pelo fim da Linha 18-Bronze

Related Posts