STM quer licitar novos trens para Linha 10-Turquesa ainda em 2019

Após alagamentos que danificaram trens ficaram e 350 equipamentos eletrônicos da CPTM, secretário Alexandre Baldy disse que renovação da frota do ramal é prioritária
Trem da série 2100 Foto: Redes Sociais

Após um forte temporal que atingiu a região metropolitana de São Paulo, sobretudo a região do ABC Paulista, no domingo, 10 de março, em que alagamentos foram registrados na Linha 10-Turquesa, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, o secretário da pasta de Transportes Metropolitanos (STM), Alexandre Baldy, afirmou ao programa de José Luiz Datena, da TV Bandeirantes, sobre a encomenda de novos trens para o ramal.

Segundo Baldy, a intenção é licitar uma nova frota de trens ainda em 2019 da qual a maior parte das composições será usada na Linha 10-Turquesa, “a que opera com os trens mais antigos e onde há necessidade preemente de reformar essa frota assim como foi feito em outras linhas“, disse.

Hoje a Linha 10 opera com a frota 2100, trens espanhois que vieram reformados para o Brasil na década de 90 e que não são adequados para linhas urbanas e sim regionais. No ano passado, a CPTM transferiu uma dezenas de trens da Frota 7500 que estavam na Linha 9-Esmeralda, porém, mesmo com um melhor desempenho, eles operam limitados pelos 2100. Já houve rumores que parte excedente dos Série 9500 da Linha 7-Rubi seria repassada para a Turquesa mas até agora isso não ocorreu.

Quase 24 horas sem funcionar

A chuva do domingo retrasado afetou vária regiões de São Paulo, mas sobretudo o ABC Paulista. Passageiros ficaram presos em estações e trens. Houve relatos de usuários que tiveram que aguardar até o dia seguinte para poder desembarcar do sistema.

A ferrovia ficou quase 24 horas com a circulação paralisada, e durante toda a semana passada, as composições operavam com lentidão em determinados horários.

A chuva acabou por danificar cerca de 350 equipamentos eletrônicos, entre rede aérea, sistemas de energia elétrica, trilhos, edificações, catracas, além de cinco trens e uma locomotiva. A companhia precisou investir R$ 3 milhões para recuperar os maquinários.

Os trens da Série 7500 foram repassados para a Linha 10 no ano passado, mas não são suficientes para substituir os 2100

Ainda de acordo com a CPTM, o evento chegou a causar a queda de um poste que atingiu a rede elétrica entre as estações Ipiranga e Tamanduateí. Houve ainda a necessidade de escoamento e drenagem da água das chuvas nas regiões afetadas.

Os trabalhos de recuperação envolveram 160 colaboradores desde a segunda-feira, 11 de março, até o último domingo (17), quando a força tarefa foi concluída.

Última paralisação do tipo foi em 2001

A ferrovia que liga o Brás até Rio Grande da Serra, cortando cidades como São Caetano, Santo André e Mauá, não ficava paralisada em sua totalidade desde 2001. Geralmente, as paralisações ocorrem em trechos distintos. Em grande parte do trajeto, o leito ferroviário acompanha córregos e ribeirões.

A linha 10 transporta uma média de 370 mil passageiros diariamente.

Com Ricardo Meier

 

Total
30
Shares
Previous Post

Alegando falta de dinheiro, CPTM suspende obras da estação Francisco Morato

Next Post

Metrô fala em antecipar prazo de instalação das portas de plataforma na Linha 5-Lilás

Related Posts